Patrocínio
 


 

Notícias+


Projeto Aves: Arara-canindé
Habita florestas úmidas, matas de galeria, buritizais e palmais

ARARA-CANINDÉ
Ara ararauna (Linnaeus, 1758)
Família: Psittacidae

10/10/2018 – Espécie monotípica, ou seja, não ocorrem subespécies. Sua distribuição é ampla, ocorria historicamente do leste do Panamá até o sul do Brasil e norte da Argentina. Leste do Panamá através da Colômbia para o leste até o sul da Venezuela; Guianas e Brasil e para o sul até oeste e leste do Equador; leste do Peru e nordeste da Bolívia; antigamente na ilha de Trinidad, aparentemente também no Paraguai e norte da Argentina.

Em quase todo o Brasil, Amazonas, Pará, Roraima, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Rondônia, Piauí, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Bahia e São Paulo.

Pick-upau/Reprodução/Viviane Rodrigues Reis

Arara-canindé (Ara ararauna).

 

Habitam florestas úmidas, matas de galeria, buritizais e palmais.

Atinge 86 centímetros de comprimento. Apresenta a face nua branca, com fileiras de penas pretas; lado dorsal azul; lado ventral amarelo; amarelo sob as asas e a cauda.

Vive em casal ou pequenos grupos, podendo algumas vezes chegar a 50 indivíduos. Pode voar longas distâncias entre o local de pernoite e de alimentação.

Pick-upau/Reprodução/Viviane Rodrigues Reis

Arara-canindé (Ara ararauna).



Alimenta-se de cocos de palmeiras como do buriti (Mauritia flexuosa), chichá (Sterculia apetala) e pequi (Caryocar brasiliense), visita comedouros.

A nidificação ocorre em cavidades nos troncos de grandes palmeiras mortas e em ocos de buriti. Coloca 2 ovos brancos.

Na década de 1980 já foi muito capturada pelo comércio internacional. Apesar de ter perdido parte de seu habitat, não está classificada em nenhuma categoria de ameaça tanto na avaliação regional (Brasil) quanto na global, pois apresenta distribuição ampla e pela tolerância que possui a fragmentação, degradação e aos efeitos de borda em seu habitat. Nos estados do Paraná (2004) e São Paulo (2009) está criticamente em perigo.

Pick-upau/Reprodução/Viviane Rodrigues Reis

Arara-canindé (Ara ararauna).

 

Em comemoração ao centenário da aprovação da Lei do Tratado das Aves Migratórias (MBTA, na sigla em inglês), importantes instituições estrangeiras como National Audubon Society, National Geographic, BirdLife International e The Cornell Lab of Ornithology, oficializaram 2018 como o Ano da Ave. Aqui no Brasil, a Agência Ambiental Pick-upau também realizará uma série de ações para a promoção do Projeto Aves, patrocinado pela Petrobras, incluindo matérias especiais sobre as aves nas mais diversas áreas, como na ciência.



O Projeto Aves realiza diversas atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância da conservação das comunidades de avifauna.

Pick-upau/Reprodução/Viviane Rodrigues Reis

Arara-canindé (Ara ararauna).



O Projeto Aves é patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, desde 2015.

Da Redação/Viviane Rodrigues Reis
Fotos: Reprodução/Viviane Rodrigues Reis

 
 
 
 
Copyright 2018 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
 

 

 
Patrocínio
 
 
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental