Patrocínio
 


 

Notícias+


Mutilações de pombos podem ser causadas por cabelos humanos
Estudo aponta que causa de mutilações não se trata de doenças

16/11/2019 – É comum vermos pombos andando pelas cidades com os pés mutilados, sem alguns dedos. Imaginava-se que os pombos poderiam ser vitimas de alguma doença, mas segundo um estudo publicado revista "Biological Conservation", os causadores dessas lesões são cabelos humanos e outros resíduos dispensados nas ruas e praças.

Reprodução/Maxpixel

 



Essas mutilações em pombos são vistas em vários indivíduos de muitas cidades pelo mundo. Não é raro observarmos pombos sem um ou mais dedos nos pés, em alguns casos até a perda total dos dedos. Teorias indicavam que esses defeitos eram causados por doenças o que levava também acreditar que os pombos eram uma fonte de enfermidades, inclusive para humanos, devido a essas lesões.

Mas agora pesquisadores franceses do Museu Nacional de História Natural e da Universidade de Lyon examinaram centenas de pombos em 46 locais de Paris e concluíram que os humanos são os responsáveis pelas mutilações, ao menos em parte.

Reprodução/Maxpixel

 



O estudo verificou que a incidência desses acidentes são maiores em áreas onde há grande concentração de cabeleireiros que costumam descartar os cabelos nas mesmas cestas onde os pombos buscam alimentos.

Pesquisadores afirmam que o motivo das lesões é mecânico. "Quando os pombos andam no chão, os cabelos e os fios ficam emaranhados em seus membros e acabam fazendo um torniquete em seus dedos, causando necrose e queda da extremidade", diz representante do Museu, que salienta a importância em melhorar a gestão de resíduos para "limitar o sofrimento imposto à vida selvagem existente nas cidades".

Reprodução/Maxpixel

 



Os pesquisadores destacam que os pombos, muitas vezes consideradas aves relacionadas à sujeira e doenças, são, na verdade, um indicador de poluição do ambiente urbano. "A vigilância da poluição urbana nas grandes cidades pode se basear nas penas dos pombos, por exemplo, para avaliar resíduos metálicos contando-se seus dedos", conclui o estudo.

Projeto Aves realiza diversas atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância da conservação das comunidades de avifauna. O Projeto Aves é patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, desde 2015.

Reprodução/Maxpixel

 



Da Redação
Com informações AFP
Fotos: Maxpixel/Reprodução

 
 
 
 
Copyright 2019 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
 

 

 
Patrocínio
 
 
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental