Patrocínio
 


 

Mulher é acusada de envenenar quase 130 águias
Caso foi registrado em Violet Town, uma cidade da Austrália


07/01/2021 – Uma mulher da cidade australiana de Violet Town está enfrentando cerca de 300 acusações por maus-tratos contra animais depois que agentes da vida selvagem encontraram cerca de 140 carcaças de aves nativas protegidas por lei em sua propriedade, incluindo 128 águas-audaz (Wedge-tailed eagle).

O escritório de conservação informou que a policia, oficiais de proteção à vida selvagem e funcionários do departamento de agricultura vasculharam a propriedade em agosto do ano passado, depois que as águias foram encontradas mortas em sua propriedade.

Reprodução/Wikipedia/JJ Harrison

 



A mulher, que não teve seu nome divulgado, foi acusada de 291 violações da Lei da Vida Selvagem da Austrália, instituída em 1975 e da Lei de Prevenção da Crueldade contra Animais, de 1986, incluindo crimes de envenenamento de aves de rapina. A pena máxima para quem mata aves nativas ou esta em posse desses animais, sem licença inclui multas pesadas e penas de até dois anos de prisão naquele país.

Segundo autoridades locais, a mulher deve enfrentar o tribunal em Benalla. Kate Gavens, chefe de conservação, disse que o escritório leva esses assuntos "muito a sério".


Reprodução/Maxpixel

 



“A águia-audaz é a maior ave de rapina de Victoria e uma parte importante do nosso meio ambiente. Esta investigação mostra o compromisso do regulador de conservação em combater os crimes contra a vida selvagem e proteger a icônica águia”, diz Gavens ao The Guardian.

Alguns fazendeiros da região veem a água-audaz como uma praga, por conta de ataques a cordeiros. Entretanto, o Departamento de Meio Ambiente, Terra, Água e Planejamento diz que as aves raramente atacam cordeiros saudáveis e jamais os indivíduos adultos.


Reprodução/Maxpixel

 



Para especialistas em vida selvagem matar um casal de águia-audaz causa um vácuo territorial que potencializa a chegada de outras aves e em maior quantidade, podendo causar um desequilíbrio ao ecossistema.

Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.


Reprodução/Maxpixel

 



Da Redação com informações The Guardian
Fotos: Reprodução/Maxpixel/Wikipedia/JJ Harrison

 
 
 
 
Copyright 2021 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
   

 

     
Patrocínio    
     
     
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental