Talha-mar (Rynchops niger)
 
 
Notícia
Comedouros de aves podem ser culpados por surto e morte de aves selvagens
WDFW informa que surto de Salmonela vem de comedouros, em Washington
 

14/01/2021 – Condados de Washington, nos Estados Unidos, relataram que aves doentes e mortas surgiram em comedouros de quintais de casas. Os condados de King, Kitsap, Skagit, Snohomish e Thurston solicitaram que o Departamento de Pesca e Vida Selvagem de Washington (WDFW) recomende que as pessoas interrompam, ao menos temporariamente, a alimentação de aves silvestres nesses comedouros.

Segundo Kristin Mansfield, veterinária da WDFW, a salmonelose, uma doença comum e fatal para aves, causada pela bactéria salmonela, é responsável pela atual extinção dos tentilhões, pintassilgo-pinheiro, entre outras aves canoras. "Quando as aves se aglomeram em grande número nos comedouros, eles podem transmitir a doença por meio de fezes e saliva", disse Mansfield em um comunicado à imprensa.


Reprodução/Maxpixel

 



Autoridades locais acreditam que a propagação da doença neste inverno no hemisfério norte pode ter sido ampliada pela migração de tentilhões e outras espécies, que geralmente passam o inverno nas florestas do norte do Canadá e voam para o sul, mas nesse ano vistos em número bem maior.

Observadores de aves devem ficar atentos se um animal apresentar um comportamento letárgico próximo a comedouros, se forem vistos afofando as penas e se ficarem fáceis de abordar ou se aproximar, disse Mansfield. "Infelizmente, neste ponto, há muito pouco que as pessoas podem fazer para tratá-las", disse Mansfield. "O melhor é deixar as aves em paz."


Reprodução/Maxpixel

 



A população pode ajudar a conter a propagação da salmonelose interrompendo a alimentação nos comedouros de aves em quintais, pelo menos até fevereiro, com objetivo de não aglomerar as aves e encorajá-las a forragear naturalmente. “As aves usam fontes naturais de alimento o ano todo, mesmo usando comedouros de quintal, então elas devem ficar bem sem os comedouros”, disse Mansfield.

Para aqueles que decidirem manter a alimentação nos comedouros devem realizar a limpeza diária dos locais. Deve-se lavar o comedouro com água morna com sabão. Depois mergulhar os objetos em uma solução de nove partes de água e uma parte de água sanitária. Enxague e seque bem ante do uso. É importante também manter o solo abaixo dos comedouros bem limpo, rastelando e recolhendo as fezes e o invólucro das sementes.


Reprodução/Maxpixel

 



As pessoas também receberam orientação para reduzir o número de comedouros, de modo que possam realizar a limpeza adequada desses equipamentos e escolher aqueles comedouros que acumulam menos aves, como tubos em vez de plataformas, além de espalhar esses comedouros. Manter as fontes de banho das aves limpas é igualmente importante.

Segundo o WDFW, é possível, apesar de incomum, que a bactéria Salmonela seja transmitida de aves para humanos, por meio do contato direto com as aves infectadas, fezes ou gatos que tenham matado essas aves. Porém, ao manusear os comedouros e fontes é sugerido usar luvas e lavar bem as mãos. O WDFW também pede que as pessoas relatem casos de aves mortas e evitem manuseá-las.


Reprodução/Maxpixel

 



Apesar de não haver casos relatados no Brasil, as regras de limpeza e segurança citadas na matéria podem ser adotadas como forma preventiva e de bons costumes no trato com aves silvestres.

Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação com informações The Daily Chronicle
Fotos: Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 
 
 
Periquito-rico (Brotogeris tirica)
 
 
 

   
 
_Acompanhe as ações e atividades do Projeto Aves
     

 

     
             
             
  Patrocínio          
   
             
             
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental  
 
Copyright 2015-2021. Projeto Aves. © Agência Ambiental Pick-upau. Todos os direitos reservados.