__São Paulo, SP Brasil
 
+Blog da Pick-upau
 
18/07/2006
Desenvolvimento insustentável: Beijing, Beijing e Tchau, Tchau
 

A China está entre os países em desenvolvimento - junto com Brasil, Índia entre outros -, que mais agride o meio ambiente. Esta conclusão é baseada nos desastres, quase diários, que o país asiático sofre. Um estudo da Administração Estatal para Proteção do Meio Ambiente, verificou que 45% das 7.555 indústrias químicas e petroquímicas apresentam problemas e um grande risco para o meio ambiente.

Cerca de 81% dessas empresas estão em área de risco para o meio ambiente, sendo 1.354 próximas de rios, lagos, açudes e regiões costeiras, outras 2.489 estão localizadas próximas de cidades com alta densidade populacional. Lembrando que a população da China esta próximo de 1,2 bi de habitantes em todo o planeta há cerca de 6,5 bi de habitantes.

Segundo, a reportagem da EFE, autoridades chinesas dizem que serão investidos cerca de 14 bilhões de iuanes (US$1,8 bilhão) na prevenção de catástrofes ambientais.

Somente entre janeiro e abril deste ano, a SEPA recebeu informações sobre 49 acidentes ambientais, sendo 13 deles graves.

Esse discurso de desenvolvimento a qualquer custo, como acontece na China, nós brasileiros, conhecemos bem. Nossos governos (em todos os níveis, mas sobretudo o federal) simplesmente desconsideram a hipótese de um desenvolvimento sustentável. Apesar de algumas iniciativas, ainda modestas, como tecnologias alternativas de energia, os planos dos governos em exercício estão longe do ideal.

Nossos rios são agredidos diariamente - não só por empresas, mas pela falta de saneamento básico (esgotos vindos de residências) -, basta verificarmos as estatísticas do IBGE sobre o assunto, são assustadoras. Na agricultura o avanço desordenado e predatório da soja e da pecuária (entre outros) está destruindo grandes porções de biomas como o Cerrado e a Floresta Amazônica. No caso da Mata Atlântica, o avanço de empreendimentos imobiliários, a falta de uma legislação especifica e a ausência do Estado põe em risco o 7% de remanescente da mata.

Essa história de PIB, balança comercial, importações versus exportações e tudo mais é muito boa para o país, mas tudo isso sendo feito através de um sistema sustentável e que não agrida o meio ambiente, como vem acontecendo, é melhor ainda, aliás, é ideal.

As eleições estão chegando... Quem tem propostas para um avanço tecnológico e um desenvolvimento sustentável para o País????

Avança Brasil! (mas de forma sustentável e consciente heinnnn)

 
Postado às 19h40
 
|
 
18/07/2006
De pai pra filho
 

No artigo científico publicado na última edição da revista "Science" (www.sciencemag.org), os cientistas Alex Thornton e Katherine McAuliffe, autores da pesquisa mostram como as suricatas arracam pinças de escorpião para ensinar seus filhotes, a caçar e comer suas presas.

Esses mamíferos alimentam-se principalmente de insentos e vertebrados, e vivem em regiões secas do sul da África, os animais mais velhos chamados de "ajudantes" e são os responsáveis por ensinar as técnicas aos mais novos.

Na maioria das vezes eles arrancam o ferrão dos invertebrados venenosos para facilitar a captura dos mais novos, e se alguma coisa der errado eles estão sempre por perto, supervisionando a "caçada". Geralmente em outros animais, os mais velhos não mudam seu compartamento para ensinar os mais novos, eles simplesmente capturam suas presas e mais novos têm que ficar atentos para saber quais foram as técnicas empregas, a diferença é que neste caso não há benefício para o adulto que está ensinando a técnica.

Ainda bem que entre eles não existe o fato de ensinarem sem receber algo em troca, o que já ocorre em outras "espécies" de animais...
A reportagem foi publicada na Folha de São Paulo. :-)

 
Divulgação
Postado às 19h10
 
 
|
 
14/07/2006
O outro lado da história
 
Hahahahaha!!! Tem gente que não vai gostar...mas é bem engraçado hein....
Veja como é estar na situação de vítima!!!
 
 
A ilustração acima foi feita pelos Sd PM Givanildo Leonardo dos Santos, do 3ºGp/PFM, da 3ªCompanhia de Policiamento Ambiental (Adamantina), do 2ºBPAmb e Sd PM Vanderlei Aparecido Soares Pereira, da 4ª Companhia de Policiamento Ambiental (Campinas) do 1ºBPAmb. :-)
 
Postado às 19h40
 
 
|
 
12/07/2006
Animais e palhaços do circo
 
Na semana passada foi divulgada a notícia da apreensão de dois macacos babuínos, de origem africana, em um terreno de um circo desativado, em Itaboraí, na região metropolitana no Rio de Janeiro.

Segundo a reportagem os animais haviam sofrido maus-tratos e foram trazidos irregularmente para o Brasil. A reportagem foi publicada na Folha de São Paulo.

Quando o assunto é animal em circo a polêmica é proporcional a tenda. A favor de apresentações com animais, os donos de circo, contra, associações de proteção aos animais, alguns políticos e acredito que a sociedade em geral. O universo do circo é fantástico, mas o uso de animais é no mínimo duvidoso. A história de que os animais são bem tratados e tudo mais nem sempre é verdade, pois notícias como esta são bem comuns.

O caso será investigado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). :-(
 
Postado às 19h05
 
 
|