__São Paulo, SP – Brasil
 
+Blog da Pick-upau
 
29/10/2006
Plâncton pode estar ligado ao clima terrestre
 

Cientistas da Universidade de Georgia (EUA) descobriram um gene que ajuda a determinar se o plâncton converte um tipo de molécula contendo enxofre, encontrado na água do mar, em outra, que vai para a atmosfera. Quando em suspensão, a molécula “voadora” pode atuar como foco para a formação de nuvens, modificando a temperatura e a quantidade de chuvas no planeta.

"Este novo gene oferece uma ferramenta poderosa para estudar a questão de como esse plâncton participa da troca de enxofre entre o mar e atmosfera", diz Mary Ann Moran, uma das pesquisadoras.

"A pesquisa revela um papel, até então desconhecido, dos micróbios do mar no ciclo global do enxofre", disse Matthew Kane, da Fundação Nacional de Ciências dos EUA, que financiou o trabalho.

A grande quantidade de enxofre na atmosfera vem da superfície dos oceanos através de um composto conhecido como dimetilsulfeto, ou DMS. O plâncton contrai a emissão de enxofre, transformando outra mistura, o DMSP, em DMS, ou em outros derivados de enxofre que não prejudicam o clima.

Do Estado de São Paulo

 
Postado às 12h15
 
 
|
 
28/10/2006
Panda gigante completa 34 anos
 

A panda gigante Taotao, comemorou seu 34º aniversário com uma enorme torta de nata e bambu. Taotao, o espécime mais velho vivendo em cativeiro na China está a 2 anos de bater o recorde da panda fêmea Meimei, que morreu de velhice em 2005, aos 36 anos.

A idade de 34 anos da panda equivale a 105 anos para um ser humano, destacou a agência Xinhua Zhou Baohui.

"Ela ainda tem bom apetite. Além de folhas de bambu, come dois ovos e bebe 1,25 litro de leite por dia", disse um dos tratadores do zôo de Jinan, na província de Shandong, no leste.

Taotao, que em mandarim significa “brincalhona” comeu um pedaço do bolo em forma de pêssego durante sua festa, enquanto crianças cantavam “Parabéns”.

Apenas 1.600 pandas vivem nas montanhas da província de Sichuan e nos montes Qinling, na província de Shanxi, informou a Administração Florestal Estatal e o grupo ambientalista WWF. O panda é uma das espécies mais ameaças de extinção do planeta.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 18h22
 
 
|
 
28/10/2006
Unesco anuncia 25 novas reservas da biosfera
 

O planeta acaba de ganhar 25 novas reservas da biosfera, entre as quais, a primeira intercontinental, dividida em dois países, Marrocos e Espanha.

A aprovação das novas reservas foi no plenário do Programa Homem e Biosfera (MaB) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Agora o planeta possui 507 reservas, dividas em 102 países. No Brasil estão a Mata Atlântica e a Serra do Espinhaço.

A Espanha conta agora com 37 reservas, depois da inserção dos Ancares de Leon, os Ancares de Lugo e a serra de Béjar e Francia, em Salamanca, além da área compartilhada com o Marrocos que possui cerca de 1 milhão de hectares e tem a maior parte como área marinha e 60% em províncias marroquinas de Tetouan, Chefchouen, Tânger e Larache, o remanescente está em Málaga e Cádiz, na Espanha.

Entre as novas áreas de reservas da biosfera estão o leito médio do rio Volga, na cidade russa de Samara; uma área do lago Chilwa, em Malavi; e a região Kien Giang, do Vietnã. Seis candidaturas foram reprovadas por motivos técnicos.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 16h33
 
 
|
 
26/10/2006
100 milhões de pessoas sofrerão com mudança climática
 

Segundo José María Figueres, ex-presidente da Costa Rica, cerca de 100 milhões de pessoas podem ficar desabrigadas por causa das mudanças climáticas.

"Nunca antes enfrentamos uma crise como a que temos" agora, disse Figueres, na conferência no 2º Fórum Internacional de Comunicação.

Figueres alertou que a mudança climática provocada pela emissão de 70 milhões de toneladas de CO2 lançadas na atmosfera a cada 24 horas, causara o deslocamento de milhões pessoas. Ele destaca ainda que nos últimos 14 anos foram registrados os 10 mais quentes da história da humanidade.

O ex-presidente, que atualmente ocupa o cargo de diretor delegado do Grupo Felipe IV, vai além, diz que 53% da tundra ártica desaparecerá, que haverá grandes tempestades, a maior parte na Ásia e uma "crise em massa de extinção" de espécies. No entanto, acredita que "há uma janela de oportunidades" para mudar esta expectativa catastrófica.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 20h21
 
 
|
 
26/10/2006
Peixes morrem em Recife por asfixia
 

Centenas de peixes morreram por asfixia no início da semana no Rio Capibaribe, que corta o centro do Recife, informou a Agência Brasil.

Exames de laboratório realizados pela bióloga Liana Barroso, da Universidade Federal Rural de Pernambuco, demonstraram a causa da morte dos peixes, que pode ter sido provocada por fragmentos de um material à base de ferro, conhecido como granalha.

Este produto havia sido usado há um mês na restauração de uma ponte sobre o Capibaribe, em obra contratada pela prefeitura. A divulgação do resultado parcial do laudo foi anunciada pelo presidente em exercício da Companhia Pernambucana de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), Geraldo Miranda.

Cerca de 600 quilos de peixes mortos foram retirados do Capibaribe, a maioria deles eram bagres, que vivem no fundo dos rios.

Do Estado de São Paulo/Agência Brasil

 
Postado às 15h25
 
 
|
 
21/10/2006
Pesquisadores apresentam fóssil de peixe que viveu na ‘terra’
 

Sidney/Austrália – Uma descoberta feita por cientistas australianos do Museu Vitória, em Melbourne, na Austrália, indica que peixes se transformaram em animais terrestres bem antes do que se imaginava. A prova é um fóssil de peixe Gogonasus (de 380 milhões de anos).

Os cientistas dizem que o Gogonasus está mais próximo dos animais terrestres que o Tiktaalik roseae (outro peixe de 375 milhões de anos), que até então era o elo comum entre todos os vertebrados terrestres.

"O fóssil de peixe tridimensional mais perfeito e completo já descoberto no mundo, vendo a sua foto, qualquer pessoa dirá que se trata de um peixe. Mas, quando se examina o esqueleto, percebe-se que as nadadeiras são muito avançadas, quase como o osso de uma pata de anfíbio", explica o pesquisador australiano John Long.

O fóssil foi encontrado em 2005, na área de Kimberley, norte da Austrália, região conhecida como Gogo, um antigo recife de corais. Através de um scanner os pesquisadores identificaram características parecidas com os primeiros animais terrestres: Estrutura óssea craniana semelhante aos primeiros anfíbios, orifícios no nariz parecidos com os humanos e uma nadadeira peitoral similar às patas traseiras de uma quadrúpede.

A pesquisa foi publicada na revista científica “Nature”.

Da Folha de São Paulo/EFE

 
Divulgação
 
Postado às 19h45
 
 
|
 
21/10/2006
México anuncia nova gasolina não-poluente
 
Ministério do Meio Ambiente do México lançou uma nova gasolina que reduzirá pela metade as emissões contaminantes e os danos à saúde, informou autoridades do órgão.

Segundo o ministro José Luege, a "supergasolina" irá evitar a morte prematura de cerca de 56 mil pessoas nas próximas décadas, a perda de 78 milhões de dias de trabalho e 165 mil casos de bronquites crônicas.

"Os benefícios desta norma seriam, no mínimo, 2,4 vezes superiores aos custos calculados em cerca de US$ 3 bilhões", salientou o ministro perante o presidente Vicente Fox. Ainda segundo o ministro, a nova fórmula reduz em 88% os níveis de enxofre.

Com a implantação da nova gasolina, o governo mexicano pretende reduzir mais de 50% dos contaminantes, como hidrocarbonetos e óxido de nitrogênio até 2020.

O novo combustível “Premium” será produzido pela estatal “Petróleos Mexicanos” (Pemex) por sugestão do Prêmio Nobel de Química 1995, o cientista mexicano Mario Molina.

Luege, no entanto, adverte que o uso da nova gasolina deve ser atrelado a melhoria na política de transportes, com destaque para a Cidade do México, onde circulam cerca de 4,5 milhões de automóveis por dia.

Do Estado de São Paulo/Ansa

 
Postado às 17h32
 
 
|
 
21/10/2006
The Guardian: Governo Brasileiro deve criar fundo internacional para Amazônia
 

Segundo o jornal britânico “The Guardian”, o governo brasileiro irá apresentar, em novembro, uma proposta para a criação de um fundo internacional para combater a destruição da floresta amazônica e diminuir as emissões de dióxido de carbono.

O periódico informa que o projeto é conduzido pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e será apresentado na Convenção sobre Mudanças Climáticas, em Nairóbi. O projeto visa proteger as florestas tropicais e estimular o crescimento econômico. "É uma situação que todos os lados ganham", disse uma fonte do governo brasileiro ao Guardian.

Esta noticia sai apenas alguns dias após o ministro do Meio Ambiente britânico, David Miliband, ter colocado em suspeita a capacidade do Brasil de garantir a preservação da floresta amazônica (veja artigo publicado no dia 06/10 no Blog do Pick-upau). O ministro havia sugerido um projeto que abrangeria uma imensa área da floresta e que fosse administrada por um consórcio internacional, participariam do plano, grupos empresariais e pessoas físicas que poderiam explorar a floresta.

O jornal britânico, salienta que o governo britânico não endossara os argumentos de Miliband, porém a notícia ganhou repercussão e causou indignação e dúvidas na sociedade brasileira, "muitos dos quais suspeitam de uma intervenção estrangeira na Amazônia", completou.

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 15h23
 
 
|
 
20/10/2006
Especulação imobiliária no Litoral norte paulista
 
A prefeitura de São Sebastião pretende liberar a construção de prédios com até 20 metros de altura (equivalente a uma edificação de 6 andares) na orla da cidade, baseada em um novo Plano Diretor e na nova Lei de Uso e Ocupação do Solo, enviado à Câmara de Vereadores, no dia 10 deste mês.

Atualmente a legislação limita as construções a 30% a 60% da área do terreno, com a nova lei este número pode chegar a 480% do tamanho do lote, um índice maior que o de bairros da cidade de São Paulo, como Higienópolis.

Moradores já ensaiam uma reação contra o projeto, eles temem a destruição da mata atlântica que compõem o Parque Estadual da Serra do Mar. 'Isso não é bom para ninguém, porque o que essa legislação permite não respeita nem a infra-estrutura física nem a ambiental', disse a arquiteta e urbanista Heloísa Proença, consultora da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa), autarquia do governo estadual.

'Empresários desistem de investir aqui porque não têm onde morar e mudam as empresas para outras cidades. São Sebastião é a única que não permite prédios', disse o secretário do Meio Ambiente, Téo Baliero.

O prefeito Juan Manoel Pons Garcia (PPS) acredita que a nova legislação é necessária para que o município de São Sebastião cresça e possa competir economicamente com outras cidades, como Caraguatatuba.

A Federação Pró-Costa Atlântica reuniu 24.039 assinaturas em um abaixo-assinado contra o projeto.

Na verdade este projeto tem um único intuito: privilegiar a especulação imobiliária em uma das regiões de maior preservação de mata atlântica do país. O prefeito de São Sebastião se esquece que o saneamento básico nos municípios litorâneos de São Paulo, incluído São Sebastião, tem muitos problemas e que a cidade não suportaria um aumento populacional desta magnitude.

Vale destacar também que São Sebastião recebe royalties da Petrobrás que opera no município. Se os vereadores agirem com bom senso está lei não deverá ser aprovada.

Do Estado de São Paulo

 
 
Postado às 20h13
 
 
|
 
20/10/2006
Idoso é ferroado por arraia
 
James Bertakis, de 82 anos, que viajava em sua lancha pelos canais do condado de Broward (norte de Miami), foi surpreendido quando uma arraia pulou dentro do barco.

Ele tentou retirar o animal da embarcação e foi atingido pelo animal. Ele "tentou retirar o animal da embarcação e foi ferroado na parte superior esquerda do peito", informou em comunicado a polícia da cidade de Lighthouse Point.

Segundo informações do Hospital Geral de Broward, Bertakis apresentava um quadro estável, após a cirurgia que removeu o ferrão.

Especialistas salientam que as arraias são animais sossegados e que ataques desta natureza são muito raros.

No mês passado o apresentador de TV Steve Irwin, conhecido como ‘caçador de crocodilos’ morreu após ser ferroado por uma arraia na Grande Barreira de Coral, na Austrália. Veja mais nas postagens de setembro de 2006.

Do Estado de São Paulo/France Presse

 
Postado às 17h32
 
 
|
 
20/10/2006
Poupar peixes pequenos pode causar desequilíbrio ambiental
 
A pesca industrial que recolhe indivíduos mais velhos e maiores pode causar um desequilíbrio ambiental, sugere estudo. Esta conclusão baseia-se em dados da Cooperativa de Investigação dos Pesqueiros Oceânicos da Califórnia (CalCofi, na sigla em inglês), que pesquisa condições ecológicas na Califórnia há mais de 50 anos.

Ao deixar no mar peixes menores e mais jovens, os pescadores deixam a população vulnerável a colapsos ambientais, como o El Niño.

"Descobrimos que a variabilidade nas espécies visadas (pelos pescadores) era muito maior, significando que a pesca tende a amplificar tanto os picos quanto os vales nos números das populações", disse George Sugihara, co-autor do artigo.

"Isso sugere que a pesca deveria ser manejada não apenas para manter o nível de pescado dentro de uma cota de biomassa, mas também para manter uma certa estrutura demográfica no cardume", completou.

A pesquisa foi publicada na revista “Nature”.

Do Estado de São Paulo

 
Postado às 14h15
 
 
|
 
20/10/2006
Maior depósito de pneus velhos do Brasil é fechado
 

Boa notícia para o meio ambiente. O maior depósito a céu aberto de pneus usados do Brasil foi fechado, localizado em Sorocaba, interior paulista (a 92 km da capital), o local abrigava 45 mil toneladas de pneus, cerca de 9 milhões de peças, que se acumularam durante 20 anos.

Todos os pneus foram transformados em pó e empregados na confecção de tapetes para automóveis. Esta operação foi resultado de um convênio, firmado em 2002, entre a fabricante de tapetes de borracha, Borcol, a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) e o Ministério Público Estadual (MPE).

O acordo, além de eliminar as carcaças dos pneus também acaba com o risco da proliferação do mosquito da dengue que se acumulava nos pneus com a chuva.

A matéria-prima resultante da eliminação dos pneus também foi utilizada na produção de solados de calçados, pisos industriais e base para quadras esportivas de grama sintética.

A Anip investiu em 2005, US$ 10 milhões na coleta e destruição de pneus usados, chamados de passivo ambiental das indústrias de pneus. A Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos possui 176 pontos de coleta dos pneus usados, em 19 estados.

Do Estado de São Paulo

 
Postado às 13h45
 
 
|
 
19/10/2006
Islândia anuncia que voltará a caçar baleias
 
Cerca de 30 baleias minke e nove baleias rorcual devem morrer nos próximos meses, é o que informa o governo islandês, que defini a matança como "caça sustentável".

A decisão unilateral da Islândia infringe a moratória Internacional que garante a preservação dos cetáceos, pelo menos até 31 de agosto de 2007, quando haverá nova rodada de reunião na CIB (Comissão Internacional Baleeira).

Ao todo a Islândia poderá matar 69 baleias, já que, anualmente captura 30 baleias por ano, sustentando que a caça tem “fins científicos”.

Segundo o comunicado do Ministério da Pesca daquele país, a captura desses animais representa “menos de 0,2% das baleias minke que vivem em águas islandesas, e 0,04% das baleias rorcual do Atlântico Norte central”.

"As capturas previstas não terão impacto significativo nas populações abundantes, serão executadas com todo o rigor", informa o órgão.

O ministério ainda afirma que "captura sustentável" é compatível com a legislação internacional, e que o governo islandês já havia deixado claro sua posição sobre a moratória, definida pela IWC (sigla em inglês para Comissão Internacional de Caça de Baleias).

O governo islandês também se baseia nos casos de Estados Unidos e Noruega, que permitem a caça comercial “dentro de cotas”.

Além desses países, Rússia, Japão e Grécia também permitem a matança de baleias, utilizando os mesmo argumentos.

Do Estado de São Paulo/Folha de São Paulo/EFE

   
Divulgação
 
Postado às 19h17
 
 
|
 
19/10/2006
Musgo é retirado ilegalmente de reserva ambiental
 
A Polícia Rodoviária Federal apreendeu cerca de 590 kg de musgo retirados irregularmente de uma reserva ambiental, da região litorânea de Paranaguá, no Paraná.

Os dois suspeitos que transportavam a carga ilegal em uma Fiorino, foram abordados no km 498 da Régis Bittencourt (BR 116), em Cajati há 219 km do sudoeste de São Paulo.

Os suspeitos admitiram que os 59 sacos de musgo apreendidos foram retirados ilegalmente da reserva. O auto de infração pode chegar a R$ 50 mil, segundo a PFR.

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 13h20
 
 
|
 
19/10/2006
Trafego aéreo no Reino Unido ameaça meta ambiental
 
O governo britânico pretende cortar em 60% as emissões de carbono, até 2050, mas viagens aéreas ameaçam a meta.

Segundo um estudo da Universidade de Oxford, o Reino Unido não terá êxito em combater as mudanças climáticas, caso o percentual de viagens aéreas no país continue a crescer.

"A menos que a taxa de crescimento dos vôos seja contida, o Reino Unido não poderá cumprir seus compromissos na questão da mudança climática", informou Brendan Boardman, líder do projeto.

O estudo chamado de “Preveja e decida: aviação, mudança climática e política”, relata que aviões e helicópteros produzem, atualmente 5,5% das emissões do país, e que até 2050, este número chegará a 25%, caso novas políticas não sejam implantadas.

O relatório ainda diz que possíveis restrições às viagens aéreas têm o apoio da maioria dos cidadãos britânicos, que são a favor de uma compensação ambiental por parte das empresas, mesmo que isso signifique um aumento nas passagens aéreas.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Postado às 12h20
 
 
|
 
18/10/2006
Bactérias evitam mudanças climáticas
 
Segundo o bioquímico alemão Rudolf Amann, co-diretor do Instituto Max Planck de Microbiologia Marinha, em Bremen, na Alemanha, se as bactérias não existissem, uma grande quantidade de gás metano presente no fundo do mar, subiria para a superfície, e haveria uma mudança climática imediata.

"As bactérias são o motor da vida", disse o pesquisador, elas são responsáveis por concluir o ciclo dos elementos. Segundo Amann, esse é apenas um dos benefícios dos microorganismos marinhos que "têm papel-chave no equilíbrio da atmosfera e da biosfera", completa.

"Além de mineralizar a biomassa morta, os microorganismos marítimos podem reciclar elementos poluentes na água, suprir funções vitais básicas, e é possível deduzir a partir deles muitos conhecimentos aplicáveis aos humanos", disse Amann

O pesquisador diz que o processo de purificação das águas já acontece há muito tempo, "Há 500 anos os microorganismos presentes nos rios podiam purificar os resíduos das populações humanas que viviam em suas margens".

Apenas oito mil espécies de bactérias foram descritas, isso corresponde a 1% do total estimado.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 19h33
 
 
|
 
14/10/2006
Desastre ambiental no Rio dos Sinos
 

Cerca de 15 km do rio dos Sinos estavam cobertos com milhares de peixes mortos. O desastre ocorrido na última semana no Rio Grande do Sul causou danos ao abastecimento de mais de 1,3 milhão de pessoas. A contaminação faz com que o rio perca oxigênio e os peixes subam a superfície onde acabam morrendo.

O trabalho de limpeza e retirada dos peixes mortos foi realizado por caminhões e escavadeiras das prefeituras da região, voluntários também ajudaram na operação. O desastre ambiental já é considerado um dos piores do Rio Grande do Sul.

Fepam multa três empresas

O órgão ambiental do Rio Grande do Sul, a Fundação de Proteção ao Meio Ambiente (Fepam) autuou três empresas responsáveis pelo desastre ambiental. Os nomes das indústrias, uma do setor alimentício e duas calçadistas, não foram divulgados. O valor das multas também não foi informado.

Segundo a Fepam, outras 120 empresas da região também podem ser autuadas, após a conclusão das investigações. O desastre causou a morte mais de um milhão de peixes, cerca de 42 toneladas de 12 espécies diferentes: jundiás, dourados, grumatãs entre outras.

Segundo autoridades do estado haverá uma nova legislação que proibirá do despejo de poluentes no arroio Portão, a diminuição em 30% da vazão de detritos que são jogados nos afluentes da Bacia do Sinos e o prazo de 180 dias para que os 32 municípios do Vale dos Sinos criem planos de saneamento e redução da poluição das águas da região.

Pescadores receberão ajuda do governo

O governo federal deverá pagar seguro e liberar cestas básicas para mais de 400 famílias de pescadores que estão impossibilitadas de trabalhar no Rio dos Sinos. A decisão foi definida pelo secretário especial de Aqüicultura e Pesca do governo federal, Altemir Gregolin. Cerca de 1.000 pessoas deve ser beneficiadas com a ação.

A pesca foi interrompida por prazo indeterminado em 20 km do rio dos Sinos. O “salário-defeso” do governo foi criado para organizar a pesca no país, e prevê até quatro meses por ano, um salário mínimo ao pescador que utiliza método artesanal.

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 20h18
 
 
|
 
14/10/2006
Aquecimento global: lagos no Alasca estão secando
 
Imagens aéreas e de satélites indicam que o aquecimento global está secando lagos no Alasca. Está foi a conclusão de um estudo da Universidade do Alasca em Fairbanks, nos Estados Unidos. Segundo os cientistas entre 1950 e 2002, cerca de 10 mil corpos d’água diminuíram de tamanho ou secaram em nove regiões do Alasca.

A diminuição dos lagos está entre 31% e 4% e a extinção completa de outros foi acelerada a partir da década de 70. As regiões baixas e interiores do Estado foram as que mais sofreram as transformações. Os pesquisadores concluíram que o nível de chuvas na região não sofreu alteração, o que pode significar uma redução no lençol freático do Alasca.

Segundo os pesquisadores, essas alterações têm um efeito devastador para o clima do planeta. “Regiões polares, como o Alasca, estocam grande quantidade de carbono e metano em seus solos, na forma de matéria vegetal morta cuja decomposição é impedida pelo frio e pela água. Exposto ao ar, o solo ártico é atacado com voracidade por bactérias, o que libera mais carbono ainda para a atmosfera, agravando o efeito estufa”.

O artigo foi publicado no periódico "Geophysical Research".

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 18h50
 
 
|
 
14/10/2006
Formigas estão desaparecendo de Moscou
 

Moscou está sofrendo um desaparecimento de formigas e as árvores dos parques russos estão ficando doentes. Segundo ambientalistas, haviam vários formigueiros pelo parques da cidade, agora restam apenas dez. A redução pode ter acontecido por conta de limpezas constantes realizadas pela prefeitura.

As formigas "são muito úteis ao ecossistema, já que comem os parasitas das plantas. Muitas árvores já estão adoecendo", disse Elena Kolesnikova, especialista do Centro para a Tutela da Natureza Selvagem, ao jornal "Moskovski Komsomolets".

Um formigueiro possui até um milhão de formigas, que mantém uma área de mais de 10 mil metros sem pragas. O parque nacional Losini Ostrov perdeu muitos abetos que foram atacados por um inseto que destrói sua casca. Lagartas também estão destruindo carvalhos, bétulas entre outras espécies.

O desaparecimento das formigas está causando um sério desequilíbrio no local.

Da Folha de São Paulo/Ansa

 
Postado às 15h33
 
 
|
 
12/10/2006
Insetos influenciam em evolução das plantas
 

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Granada, na Espanha, conclui que insetos estimulam a evolução das plantas.

O estudo realizado com 300 espécimes de Erysimum mediohispanicum, encontrada no sudeste da Espanha, demonstra que a espécie possui uma característica incomum: produz flores radiais e bilaterais.

Era sabido que por mais diferentes que fossem as flores, elas se classificavam em apenas um dos dois formatos básicos: as com simetria radial, como margaridas, ou as de simetria bilateral, como as orquídeas. No entanto, através do novo estudo, os pesquisadores concluem que houve uma evolução da flor.

Os cientistas dizem que presenciaram uma seleção natural: “não apenas as flores bilaterais recebiam mais visitas de besouros, como as plantas com esse tipo de flor tinham mais sementes e mais descendentes”.

Do Estado de São Paulo

 
Postado às 18h50
 
 
|
 
11/10/2006
Pássaro multicolorido é descoberto na Colômbia
 
Bogotá - Um novo pássaro foi descoberto na Colômbia. A ave amarela com crista vermelha foi batizada de yariquies, uma homenagem à tribo indígena que habitava as montanhas onde a espécie foi descoberta, uma região de floresta ainda inexplorada no país.

A descoberta parece ter acontecido em um momento decisivo. Por conta dos novos yariquies, o governo colombiano pretende preservar 500 acres da floresta andina e transformá-la em parque nacional.

"Ainda há muita flora e fauna a ser descoberta na região", diz Camila Gomez, do grupo colombiano ProAves.

"Descobrem-se cerca de duas novas espécies de pássaro a cada ano, no mundo", concluiu o britânico Thomas Donegan, membro da dupla responsável pela descoberta. "É um evento raro".

Para localizar a nova espécie os pesquisadores caminhavam até 12 km por dia dentro da floresta e recebiam suprimentos através de helicópteros que lançavam os materiais.

Segundo o pesquisador esta foi a primeira descoberta de uma nova espécie que não foi necessário matar um exemplar.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Postado às 13h22
 
 
|
 
09/10/2006
Índia quer combater caça ilegal de tigres
 
Nova Déli - Um conjunto de medidas aprovadas pela Índia visa combater a caça ilegal de tigres. Segundo a agência local PTI, além da nova legislação um censo ira registrar o número de espécimes que vivem no país e será criado o Escritório de Controle e Prevenção de Crimes contra a Fauna Nacional. Este novo órgão será responsável pela fiscalização em diferentes estados indianos e irá proteger outras espécies além dos tigres.

O novo censo contará com ajuda de vídeos que irão identificar os tigres através de suas listras que funcionam como uma impressão digital do animal. O novo estudo também pretende aperfeiçoar a identificação através das pegadas dos felinos. O levantamento deverá ser concluído em 2007.

Segundo estudos de fontes oficiais, existem apenas cerca de 3.600 tigres vivendo em liberdade na Índia, porém alguns ambientalistas e ONGs acreditam que esse número não passe de 2.000 animais.

Estima-se que em toda a Ásia existam entre 5.000 e 7.000 tigres. No século 19 este número girava em torno de 100 mil exemplares..

As novas medidas foram apresentadas durante a reunião do Comitê Permanente do Convênio Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestres.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 17h55
 
 
|
 
07/10/2006
Mais 9 meses de vida para elefantes africanos
 
ONU rejeita liberação da venda de marfim

Genebra - Final feliz, pelo menos por enquanto. A ONU recusou a solicitação de três países africanos que queriam a liberação da venda de 60 toneladas de marfim. A decisão foi baseada em dados sobre a população dos elefantes e a caça ilegal dos animais.

O pedido foi feito por Botswana, Namíbia e África do Sul e foi rejeitado pelos países membros da Convenção Internacional sobre Comércio de Espécies Ameaçadas (Cites).

"A decisão dá aos elefantes mais nove meses de alívio contra os caçadores clandestinos", disse Peter Pueschel, do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal. "Pelas nossas estimativas, 10.000 elefantes, pelo menos, são abatidos ilegalmente na África a cada ano. Do nosso ponto de vista, o sistema de monitoramento é insuficiente".

Outro ponto em discussão da Cites é decidir se o Japão possui um controle suficiente do comércio interno de marfim para se considerar um parceiro comercial, caso a venda seja autorizada.

A decisão foi mais que acertada, mas os elefantes ainda correm perigo, pois esta resolução permanecerá por apenas nove meses. Depois novas discussões serão realizadas.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Postado às 16h32
 
 
|
 
06/10/2006
Querem privatizar a Amazônia?
 

O secretário de Meio Ambiente da Grã-Bretanha, David Miliband, divulgou no México, um plano para transformar a floresta amazônica em área privada.

A declaração foi feita durante um evento que reuniu governos de 20 países mais poluidores do mundo, na cidade de Monterrey, como informou o jornal "Daily Telegraph".

O projeto prevê que uma imensa área da floresta seja administrada por um consórcio internacional. Poderiam participar do plano, grupos empresariais e pessoas físicas que poderiam explorar a floresta.

A proposta tem o consentimento do primeiro-ministro britânico Tony Blair e segundo Miliband, visa proteger a floresta. O político também diz que a proposta ainda está em fase inicial e que será necessário discutir as questões de soberania da Amazônia com o Brasil, país que abriga a maior parte da floresta.

A repercussão

Após a divulgação desta notícia em diversos meios de comunicação o ministro britânico, David Miliband, divulgou uma nota esclarecendo a polêmica causada pela suposta intenção do governo inglês de privatizar a Amazônia, através de um fundo internacional. "Deixei muito claro que o interesse do governo do Reino Unido não é o de apoiar ou promover a compra da Floresta Amazônica, mas, sim, de trabalhar com os colegas brasileiros (e outros países) para apoiar o manejo florestal sustentável", disse Miliband.

Veja a nota divulgada pelo ministro britânico do meio ambiente:

Declaração de David Miliband sobre a cooperação Brasil - Reino Unido em mudança do clima e desenvolvimento sustentável

Estou muito satisfeito em ter tido um encontro cordial e proveitoso com o Secretário-Executivo Langone. Reafirmamos nosso compromisso conjunto com o sucesso e o valor do Diálogo de Gleneagles. Discutimos nosso interesse comum no manejo florestal sustentável. Tivemos, também, uma discussão produtiva sobre nossa cooperação bilateral em etanol e sobre a contribuição que os biocombustíveis podem aportar ao tratamento da mudança do clima e ao desenvolvimento sustentável em termos mais gerais.

Há uma série de propostas de países, em discussão, para tratar da questão do desmatamento, as quais merecem ser examinadas de forma cuidadosa. Confirmamos a avaliação de nossos cientistas de que 80% dos gases de efeito estufa decorrem do uso e da produção de energia, incluindo transportes, e que cerca de 20% advêm do desmatamento. Refletimos também sobre a importância das atividades recentes do Brasil na área de manejo florestal, que levaram a uma queda de 31% nas taxas de desmatamento em 2004/05 e de 11% em 2005/06. Acolhi, com satisfação, a recente proposta apresentada para discussão no âmbito da UNFCCC (Convenção-Quadro das Nações Unidas para Mudança do Clima) pelo Brasil, em Roma, sobre incentivos positivos para a redução do desmatamento e sobre as ligações entre os esforços dos países desenvolvidos e dos países em desenvolvimento.

O Reino Unido e o Brasil têm um papel importante em trabalhar junto com outras partes na discussão sobre desmatamento e manejo florestal sustentável pelos países em desenvolvimento. Deixei muito claro que o interesse do Governo do Reino Unido não é o de apoiar ou promover a compra da Floresta Amazônica, mas, sim, de trabalhar com os colegas brasileiros (e outros países) para apoiar o manejo florestal sustentável.

Ressaltei que o Reino Unido está muito interessado em trabalhar com o Brasil para explorar formas de mobilizar recursos internacionais para auxiliar os países em desenvolvimento no manejo florestal sustentável. O Governo do Brasil reafirmou seu compromisso com a cooperação internacional na área de desmatamento, com pleno respeito pela soberania brasileira. O Secretário-Executivo Langone também reforçou a importância de se envolverem as comunidades locais.

Ambos os países reafirmaram o compromisso em continuar a cooperação na área de mudança do clima e desenvolvimento sustentável, e aguardam a primeira reunião do Grupo de Trabalho bilateral sobre Mudança do Clima ainda este ano. Espero que essa reunião chegue a um acordo sobre ações práticas para alcançar nossos objetivos comuns.
Monterrey, México, 4 de outubro de 2006.

O Ministério do Meio Ambiente também se manifestou através de uma nota oficial.

Com referência às notícias publicadas pela imprensa inglesa e repercutidas no Brasil sobre o anúncio, pelo governo da Inglaterra, de apoio à criação de um fundo internacional para compra de terras na floresta amazônica, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) informa que o secretário-executivo deste ministério, Claudio Langone, foi contactado ontem (03/10), em Monterrey, no México, por seu colega inglês, David Miliband, que negou a intenção de fazer qualquer anúncio a respeito da proposta veiculada pela imprensa. Da mesma forma, Miliband afirmou ter sido mal interpretado em suas declarações à imprensa daquele país. Langone está em Monterrey, no México, chefiando a delegação brasileira que participa, entre ontem e hoje (3 e 4/10), da 2ª Reunião Ministerial do Diálogo de Gleneagles sobre Mudança do Clima, Energia Limpa e Desenvolvimento Sustentável, onde estão sendo discutidos temas como a substituição dos combustíveis fósseis e as ações para a implementação da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.
Brasília, 3 de outubro de 2006.


Assessoria de Comunicação
Ministério do Meio Ambiente
Ascom/MMA

 
Divulgação
 
Postado às 20h06
 
 
|
 
05/10/2006
Sigourney Weaver pede fim de pesca predatória
 

"O alto-mar não pertence a nenhum país e certamente não pertence aos donos dessas grandes corporações pesqueiras", disse. "Ele pertence a todos nós, e chegou a hora de o tomarmos de volta". Esse foi o argumento usado pela atriz Sigourney Weaver, durante a Assembléia-Geral da ONU que discutirá a implementação de uma moratória a pesca de arrasto no fundo do mar.

A atriz pediu que os membros e delegados das Nações Unidas decretem a moratória sobre este tipo de pesca, extremamente predatório, conhecido como arrastão de fundo em alto-mar. Weaver que já estrelou filmes como na “Montanha dos Gorilas” e a série de ficção científica Aliens, disse que as novas tecnologias deixaram ecossistemas frágeis, como o fundo do mar, a mercê desses arrastões.

O processo condenado por Weaver utiliza grandes redes equipadas com rodas, correntes e portas metálicas recolhem não só peixes mas tudo que estiver no caminho.

A Assembléia já havia aprovado um apelo em 2004, solicitando que países como o Japão, Islândia e Espanha interrompessem este tipo de pesca predatória.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Divulgação/Reprodução
 
Postado às 15h13
 
 
|
 
05/10/2006
Buraco na camada de ozônio bate recorde
 

Buraco na camada de ozônio sobre a Antártida bate recorde em 2006. São as informações da Agência Espacial Européia (ESA, na sigla em inglês). Segundo o estudo cerca de 40 milhões de toneladas do gás já foram perdidos. O pior resultado havia sido registrado em 2000, com 39 milhões de toneladas.

"Essa perda significativa requer temperaturas muito baixas na estratosfera, combinadas com luz do Sol. A perda extrema de ozônio pode ser explicada pelo fato de as temperaturas sobre a Antártida terem atingido o menor nível registrado na área desde 1979", disse o engenheiro atmosférico da ESA, Claus Zehner.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Imagem: Nasa
O buraco do ozônio, conforme registrado em 29 de setembro
 
Postado às 13h27
 
 
|
 
04/10/2006
Super população de coalas causa desequilíbrio ambiental
 
Canberra - Coalas estão acabando com florestas de eucaliptos na Austrália. Cerca de 28.000 animais estão devorando os eucaliptos da Ilha Canguru.

O aumento populacional dos coalas está sendo considerado um desastre ecológico, por estar colocando o ambiente em desequilíbrio. Os animais consomem meio quilo de folhas ao dia durante as duas horas que permanecem acordados.

Cientistas querem testar um dardo anticoncepcional, em 2007, para tentar conter o crescimento populacional dos coalas. Sem predadores os marsupiais que lembram ursinhos de pelúcia estão se multiplicando rapidamente e destruído seu próprio habitat.

Os primeiros testes anticoncepcionais mostram 100% de sucesso, informou a pesquisadora Cathy Herbert, da Universidade de New South Wales.

"Estamos desenvolvendo um sistema de dardos que podem ser disparados na coxa dos animais, uma vez a cada dois anos, para que não tenhamos de subir nas árvores", disse ela. "O sistema de implantação à distância deve estar pronto no ano que vem".

A maior dificuldade está sendo convencer os coalas a descerem das árvores com até 30 metros de altura, local onde passam a maior parte do dia.
Do Estado de São Paulo/AP

 
Postado às 13h20
 
 
|
 
03/10/2006
Lixo tóxico
 
União Européia quer endurecer leis para quem transportar lixo tóxico. Atualmente este tipo de transporte já é proibido, no entanto, o não cumprimento das leis prevê apenas multa ao infrator.

A Comissão Européia pretende criar uma lei que punirá com prisão os responsáveis pelo transporte de resíduos tóxicos. A medida pretende evitar acidentes como o ocorrido na Costa do Marfim, onde o navio Probo Koala de bandeira panamenha, comissionada por uma empresa holandesa, despejou mais de 400 toneladas de lixo tóxico e causou problemas de saúde em cerca de 50.000 pessoas.

Lodo tóxico

Na Indonésia, lodo tóxico provoca desastre ambiental. Em alguns locais a substância chega a cinco metros de altura, soterrando casas e prédios públicos.

O desastre aconteceu na área de Java Oriental, cerca de 5 milhões de metros cúbicos da substância tóxica vazaram da companhia de gás Lapindo Brantas.

Segundo o jornal "The Jakarta Post", o presidente daquele país, Susilo Yudhoyono, declarou que parte do lodo tóxico será despejada no mar, apesar dos riscos ambientais.

Mais de 400 hectares foram atingidos e cerca de 3 mil famílias serão removidas para outras áreas. Organizações ambientais alertam para os risco ao meio ambiente e à saúde.

Matéria publicada no Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 14h15
 
 
|
 
03/10/2006
Russell Crowe na pele do caçador de crocodilos
 
O ator Russell Crowe, 42, vencedor do Oscar por "Gladiador", nega que fará filme sobre a vida do caçador de crocodilos.

Os rumores surgiram na imprensa especializada em Hollywood. Segundo informações, Crowe estaria negociando o papel do Steve Irwin (o caçador de crocodilos) com o estúdio Universal. Sobre a notícia Crowe diz que ficou chocado. "Isto é horrível (...) Me ofende profundamente, é absurdo que pensem que vou negociar milhões para dançar sobre o túmulo do meu amigo", disse o ator em entrevista ao canal Extra.

"Perdemos um amigo, um campeão. Levarei tempo para assimilar isto", disse Crowe na ocasião.

Steve Irwin morreu no dia 04/09, o naturalista e apresentador de televisão australiano sofreu um acidente durante a realização do documentário "Ocean's Deadliest" (que poderia ser traduzido como "Os animais mais mortais dos oceanos").

O apresentador foi aferroado no peito por uma arraia-prego enquanto filmava perto de Cairns, em Low Isles na Grande Barreira de Corais, nordeste da Austrália. Mesmo sendo socorrido por uma equipe de resgate, Irwin não resistiu e morreu antes de chegar ao hospital.

Do Estado de São Paulo/France Presse

 
Postado às 12h22
 
 
|
 
03/09/2006
Milhões de anchovas morrem na Espanha
 
Madri - Um fenômeno, ainda sem explicação causou a morte de milhões de anchovas no norte da Espanha. A espécie protegida por lei pela União Européia é conhecida como “bocartes” na região e são consideradas iguarias. Sua pesca é proibida na Espanha e França.

Os peixes foram encontrados na praia Colunga há 60 km ao leste da cidade de Gijon, na província de Astúrias.

"Não podemos pescá-las porque são raras, e elas se matam", lamentou Luis Laria, coordenador de uma unidade de proteção à vida marinha do governo. A moratória da pesca de anchovas foi decretada há dos meses, a fim de recuperar a espécie.

"Mais de três toneladas foram encontradas até agora, e nossa hipótese, ainda sem comprovação, é que tentavam fugir de um predador e vieram dar na praia", disse Laria.

Especialistas analisaram os peixes mortos, na maioria jovens, e não encontraram vestígios de intoxicação.

Do Estado de São Paulo/AP

 
Postado às 11h08
 
 
|
 
02/10/2006
Aquecimento global e poluição
 
Aquecimento global está alterando a temperatura das águas do Ártico. Segundo cientistas do Centro de Pesquisa Internacional do Ártico da Universidade do Alasca em Fairbanks foram observadas correntes de águas quentes vindas no Atlântico Norte até o Oceano Ártico.

"A grande área do Oceano Ártico promete ficar muito mais quente", disse o cientista do programa Nansen and Amundsen Basins Observational Systems (Nabos), Igor Polyakov.

Dados analisados nos últimos dez anos mostram que o movimento de águas quentes em direção ao Ártico tem crescido e essa ação pode ter efeitos no aquecimento global.

Poluição

Na Europa, o Comissário de Meio Ambiente da União Européia (UE), Stavros Dimas, condena e classifica como inaceitáveis as propostas do Parlamento para acabar com várias medidas propostas para diminuir a poluição do ar.

"A poluição do ar está encurtando a vida de cada cidadão da UE por uma média de oito meses, e precisamos enfrentá-la com vigor", afirma Dimas. Cerca de 350.000 europeus morrem todos os anos por causa da poluição, informou Dimas.

O comissário propõe várias medidas que custariam, a governos e empresas, cerca de US$ 8,6 bilhões ao ano. O principal ponto das sugestões é impor limites ao despejo de poluição atmosférica produzida por carros e um combate aos pesticidas. Dimas ainda fez criticas as emendas que darão às indústrias um prazo além de 2010 para se regularizarem aos limites de poluição.

Motor mais ecológico

No Japão, a montadora Honda anunciou que irá produzir uma nova geração de motores a diesel mais ecológica. O novo motor irá reduzir as emissões de óxidos de nitrogênio.

"Desenvolvemos um sistema que permite converter os óxidos de nitrogênio em dinitrogênio inofensivo", informou a montadora, por meio de um comunicado. "Pretendemos colocar os motores no mercado americano dentro de três anos", completou.

O modelo que será produzido nos Estados Unidos, atenderá o nível estipulado pelas leis americanas, informou a montadora.


Matéria publicada na Folha de São Paulo/AP/France Presse

 
Postado às 18h13
 
 
|
 
02/10/2006
ONU pode liberar matança de elefantes
 
A Organização das Nações Unidas estuda aliviar a proibição ao comércio de marfim. Dá para acreditar nesta história.

A aprovação do relaxamento da proibição de até 60 toneladas de marfim pode acontecer em uma reunião em Genebra, hoje o comércio é proibido internacionalmente.

O Programa Ambiental das Nações Unidas diz que os países signatários da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas vão decidir sobre a liberação da venda do marfim. A ONU informou que a liberação estará condicionada aos dados sobre a caça ilegal e a recuperação da população de elefantes.

Se a medida for aprovada Botswana poderá exportar 20 toneladas, a Namíbia 10 toneladas e a África do Sul mais 30 toneladas. E adivinhem que sã os interessados em comprar o material?

China e Japão, segundo informou as Nações Unidas.

Atualmente o marfim é retirado legalmente apenas de animais que morram de causas naturais.

Ambientalistas dizem que a liberação pode incentivar a matança ilegal dos animais. Já os defensores do comércio alegam que a atividade pode levar ao manejo economicamente viável das manadas, ah tá.

No mês passado guardas florestais no Chade encontraram 10 elefantes mortos ilegalmente. Veja o Blog do Pick-upau (setembro 2006).

Manejo sustentável de uma espécie que corre risco de extinção é “boa”, afinal o marfim é de grande importância para a sobrevivência humana. Ele é usado para fazer esculturas, bijuterias entre outros utensílios.

Os ambientalistas temem e os defensores do comércio alegam e a ONU promove. Enquanto isso os elefantes correm o risco de desaparecer. Porque não rasgam logo a Convenção Internacional de Comércio de Espécies Ameaçadas (Cites, na sigla em inglês), assim ficaria mais fácil de “negociar”.

Se esta resolução for aprovada será um imenso retrocesso na preservação desta espécie e uma falha grave de todos os envolvidos.

Na semana passada zoológos chineses alertaram para um possível desaparecimento do elefante asiático em poucos anos. A China possui apenas 150 animais. Segundo um relatório da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), existem entre 30 mil e 50 mil elefantes asiáticos vivendo em seu habitat natural, a maioria na Índia.

Matéria publicada na Folha de São Paulo/AP

 
Postado às 16h20
 
 
|
 
01/10/2006
Censura de Bush
 
Bush censurou um relatório sobre o aquecimento global. Grande novidade!

Um relatório produzido pela Noaa (agência americana para oceanos e atmosfera) indicava que o aquecimento global poderia estar aumentando a freqüência e a força de furacões nos Estados Unidos.

Segundo a revista “Nature” o estudo deveria ter sido publicado em maio deste ano, mas o responsável pela divulgação, Ants Leetmaa, teria recebido um e-mail do Departamento de Comércio informando que o relatório deveria ser “menos técnico” e que não seria divulgado.

A Noaa negou a censura. Quem acredita em George W. Bush?

Matéria publicada na Folha de São Paulo

 
Postado às 15h08
 
 
|
 
01/10/2006
A fuga dos gorilas
 
Ingleses se mobilizam para salvar gorilas. A brincadeira [séria] de um grupo de ambientalistas promoveu em Londres o evento “Great Gorilla Run” (Grande Fuga dos Gorilas) para arrecadar fundos para a proteção dos gorilas na África.

O evento que acontece desde 2003, já reuniu cerca de 2.000 pessoas. Neste ano, cada participante paga cerca de 100 libras (+/- R$ 400,00) por uma fantasia completa de gorila. Vestidos a caráter percorrem pontos turísticos da capital britânica.

A campanha também prevê que os participantes ajudem a conseguir patrocinadores. A meta de arrecadação é de 400 libras por gorila (participante).

Segundo os organizadores (Gorilla Organization), desde 2003 já foram arrecadados mais de 500.000 libras para a proteção dos gorilas.

No final da corrida, o participante pode levar a fantasia para casa. Eeeeeehhhh!!!
Ah! E para quem já participou das corridas anteriores tem desconto também!

Matéria publicada na Folha de São Paulo/AP

 
 
Postado às 13h15
 
 
|
 
01/10/2006
Desastre em Galápagos
 
Um derramamento de óleo tipo “bunker”, combustível pesado ou de asfalto, atingiu o arquipélago equatoriano de Galápagos. O acidente teria acontecido em uma praia da ilha Santa Cruz.

O desastre aconteceu próximo à sede da Fundação Charles Darwin, em Puerto Ayora, um povoado na ilha Santa Cruz. Equipes de resgate da fundação fizeram o salvamento de 17 iguanas marinhas e um pelicano que foram expostos ao óleo. Os animais receberam banhos e ficarão em observação.

Para evitar a expansão das substâncias, foram colocadas bóias absorventes.

Localizado no oceano Pacífico, o arquipélago de Galápagos foi declarado pela Unesco Patrimônio Natural da Humanidade. O local possui grande diversidade da fauna e da flora espalhadas em 19 ilhas e 100 ilhotas e rochas.

Matéria publicada na Folha de São Paulo/ANSA

 
 
 
Postado às 11h22
 
 
|