__São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  28/02/2007
  Tubarões entram na lista dos ameaçados
   
 

Londres – Pesquisadores da União Mundial para a Conservação (IUCN), apresentaram um relatório com várias espécies de tubarões que estão ameaçadas de extinção, o maior predador dos mares parece ter encontrado um rival a altura, o homem.

Os cientistas classificaram a situação de três espécies de cação-raposa como "vulneráveis globalmente" e alteraram a situação do tubarão mako de "vulneráveis" para "quase ameaçados."

"As características dos tubarões de alto mar - rápidos, fortes e com grandes áreas de atuação - levam freqüentemente à noção errada de que esses animais são resistentes às pressões da pesca", disse Sarah Fowler, uma das responsáveis pela lista do IUCN.

"Nesta semana, especialistas em tubarão vindos do mundo todo chamaram atenção para a vulnerabilidade dessas espécies à pesca predatória e concluíram que várias espécies estão hoje ameaçadas de extinguirem-se em escala global", completou.

O documento pede que a classificação "quase ameaçada" seja mantida para o tubarão-azul, o mais abundante nos mares e proporcionalmente visado pelos pescadores. Os tubarões estão sofrendo com o aumento do comércio da carne e de barbatanas.

Do Estado de São Paulo/Reuters

   
  Postado às 17h33
   
 
 
|
   
28/02/2007
Tráfico de animais na China condena 13 pessoas
 

Pequim – Maior caso de tráfico de animais já registrado na China condena 13 pessoas. Os traficantes foram condenados a 14 anos de prisão pela compra e venda ilegal de milhares de corujas, uma espécie protegida por lei naquele país.

Segundo informações da agência oficial Xinhua, Ma Weihu, um dos acusados, além de 14 anos de prisão será obrigado a pagar uma multa de US$ 12.800 por comprar ilegalmente 900 corujas em Ningxia, que seriam vendidas para restaurantes de Cantão.

Cantão é famosa por seus restaurantes que servem os mais diversos animais silvestres em suas cozinhas e também foi responsável pela origem do surto da gripe aviária há quatro anos e que já matou cerca de 800 pessoas em todo mundo.

Os outros doze condenados pegaram penas de cinco a 13 anos de prisão e várias multas, informou o Tribunal do Distrito de Qindu, na cidade de Xianyang (província de Shaanxi).

Ao todo a quadrilha comercializou mais de 4 mil corujas entre agosto de 2005 e abril de 2006. As autoridades chinesas conseguiram resgatar 930 aves.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 17h12
 
 
|
 
28/02/2007
Periquitos mexicanos são alvo do tráfico
 

Cidade do México - Um relatório produzido pelas organizações Defenders of Wildlife do México e Teyeliz, aponta uma redução de 90% na população de periquitos mexicanos.

Segundo o documento "O tráfico ilegal de periquitos no México", 11 das 22 espécies de periquitos correm risco de desaparecer por causa do tráfico de animais. Os pesquisadores informaram que a população dos pássaros está entre mil e dez mil indivíduos.

As espécies mais ameaçadas são o periquito de cara laranja (atolero), o periquito de cara branca (cucha), o catarina e o pechisucio (quila).

"O tráfico ilegal se transforma na maior ameaça aos periquitos e as quantidades extraídas a cada ano, sem controle, acabarão com várias espécies em pouco tempo", prevê o documento.

Segundo Juan Carlos Cantú, diretor de programas da Defenders of Wildlife do México, a promotoria ambiental só consegue recuperar 2% das aves capturadas, cerca de 77% dos animais que são caçados morrem antes de chegar aos seus receptores (consumidor). "Desse jeito, algumas espécies desaparecerão em 10 a 15 anos", conclui o ambientalista.

O documento destaca ainda, que o México autorizou a caça de aves silvestres há 50 anos, o que levou a extinção completa de muitas espécies, como já havia acontecido com as tartarugas marinhas e as baleias que eram vistas em águas mexicanas.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 16h55
 
 
|
 
28/02/2007
Japão é acusado de enfraquecer convenção sobre lixo
 

28/02/2007 - Manila – Um comunicado assinado pelo Greenpeace, pela Basel Action Network, pela Citizens Against Chemicals Pollution e pela Global Alliance for Incinerator Alternatives (GAIA), acusa o Japão de amainar a Convenção de Basiléia, assinada em 1989, e de negociar com outros países asiáticos acordos econômicos que viabilizariam a reabertura do tráfego de lixo atômico.

As ONGs apresentam como prova um documento, descoberto em 2006, no qual o Japão requer o estudo dos acordos econômicos bilaterais como uma forma de negociação bidirecional do tráfego de resíduos tóxicos.

"Enquanto desembolsa cinicamente muito dinheiro para a Convenção de Basiléia e promete ajuda aos países em desenvolvimento, o Japão se tornou, na verdade, um câncer da Convenção, com o objetivo de destruir sua missão original", disse Richard Gutierrez, do escritório para a Ásia-Pacífico do Basel Action Network, em Manila.

"Insistimos em nosso pedido para que o acordo não seja aprovado até que os artigos sobre liberação de lixo nuclear e tóxico não sejam eliminados", disse Beau Baconguis, do Greenpeace em Manila.

A nota destaca que a Convenção de Basiléia, constituída pela ONU, regulamenta que países signatários sejam responsáveis por cuidar de seu lixo dentro de suas fronteiras.

Do Estado de São Paulo/EFE

 
Postado às 16h40
 
 
|
 
28/02/2007
Castor é visto em Nova York pela 1ª vez em 200 anos
 

Os castores podem ser vistos no selo oficial da cidade de Nova York, mas o bicho de verdade não era flagrado há 200 anos na região. Na última semana biólogos conseguiram gravar um vídeo com um castor nadando pelo Rio Bronx

"Tinha de acontecer, porque as populações de castores estão aumentando e os hábitats, encolhendo", disse Dietland Muller-Schwarze, especialista em castores da Universidade Estadual de Nova York. "Provavelmente, veremos mais no futuro".

Os castores foram importantes no começo da ocupação da ilha de Manhattan, caçadores de peles europeus eram atraídos para a região, e justamente por causa da caça os animais desapareceram da cidade no início do século 19.

Os pesquisadores acham que o castor avistado pode ser um macho e deve medir cerca de um metro de comprimento. O animal foi batizado de José, em referência ao deputado José Serrano, que conseguiu dinheiro do governo federal para a despoluição do rio.

Do Estado de São Paulo/Associated Press

 
Postado às 16h29
 
 
|
 
27/02/2007
Repórter Eco completa 15 anos
 

O Repórter Eco é uma revista semanal, atual, especializada em meio ambiente. Aborda de forma aprofundada pesquisas para o desenvolvimento sustentável e conservação dos biomas brasileiros, proteção da rica diversidade biológica e cultural do país, projetos para manter para o futuro os recursos hídricos, estudos de controle da poluição do ar, solo, terra e água, ecologia urbana, fontes de energia alternativas e renováveis, astronomia, antropologia, arqueologia, arquitetura ecológica, redução, reuso e reciclagem de resíduos sólidos, comércio justo, patrimônio histórico, cultural e arquitetônico, e ecoturismo.

Além da revista semanal, são produzidos programas temáticos a partir de viagens nacionais e internacionais. O Repórter Eco mantém um quadro específico de reportagens sobre a biodiversidade brasileira.

Reprodução

O Repórter Eco faz sucesso há mais de uma década. Foi criado em fevereiro de 1992 como o primeiro telelejornal da televisão brasileira especializado em meio ambiente. O objetivo era antecipar e aprofundar os assuntos que seriam abordados na Rio-92, a Conferência Mundial das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro. Em setembro de 92, o Eco ganhou espaço e foi transformado pela equipe de criação em um programa de meio ambiente, com informações do Brasil e do mundo, que hoje é respeitado por cientistas, ONGs ambientalistas, estudantes e pelo público em geral que busca a qualidade de informação como uma das marcas do jornalismo público da TV Cultura de São Paulo.

O programa se especializou na divulgação dos projetos, ações e pesquisas nacionais ou mundiais, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida, de prestar um serviço público e ainda de informar sobre os principais temas ambientais da atualidade.

O programa vai ao ar aos domingos, para saber mais acesse www.tvcultura.com.br/reportereco

Da TV Cultura

 
Postado às 15h36
 
 
|
 
27/02/2007
Lula gigante é encontrada na Nova Zelândia
 

Pescadores neozelandeses capturaram no oceano Antártico, uma lula gigantesca com 450 quilos e olhos do tamanho de um pneu.

A lula do gênero Architeuthis, estava viva e comendo outro pescado quando foi capturada. Os pescadores tiveram muito trabalho para colocar o animal dentro da embarcação com o menor dano possível, que foi congelado e será entregue a cientistas.

Reprodução

As lulas gigantes são criaturas pouco estudadas e podem chegar a 14 metros de comprimento. Este foi o maior exemplar já capturado, confirmou o ministro de Pesca da Nova Zelândia, Jim Anderton.

Da Folha de São Paulo/EFE/Reuters

 
Postado às 15h22
 
 
|
 
27/02/2007
Al Gore entra de vez na preservação do meio ambiente
 

Ex-vice-presidente dos EUA ganha Oscar com documentário ambiental

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, estrela do documentário "Uma verdade inconveniente”, foi destaque na cerimônia de entrega do Oscar 2007. A produção levou os prêmios de melhor documentário e melhor canção original “I Need to Wake Up”. Gore subiu ao palco duas vezes, para receber um dos prêmios e para um anúncio ao lado do ator Leonardo DiCaprio, também envolvido com a causa ambiental.

Reprodução/Divulgação

Veja o trailer do documentário "Uma verdade inconveniente

DiCaprio fez elogios rasgados sobre o ex-vice-presidente e aproveitou para falar sobre a primeira edição ecológica da entrega do principal prêmio do cinema mundial e convidou a seleta platéia a acessar o site da academia.

Reprodução

Mega Show promoverá conscientização ambiental em todo o planeta

Al Gore está decido a intervir na mudança climática do planeta, ou pelo menos a conscientizar a sociedade. Depois do premiado documentário, Gore promoverá show mundial com artistas em defesa do meio ambiente.

O evento “Live Earth”, (SOS - Campanha por um clima em crise) será no dia 7 de julho, e acontecerá simultaneamente em todos os sete continentes. Gore fez o anuncio ao lado da atriz Cameron Diaz e revelou a lista de convidados: Etheridge, Foo Fighters, Lenny Kravitz, Sheryl Crow, John Mayer, Duran Duran, Korn, Black Eyed Peas, Akon, Enrique Iglesias, Faith Hill e Tim McGraw, o evento terá mais de 100 artistas.

Shanghai (China), Johannesburg (África do Sul), Sidney (Austrália) e Londres (Grã-Bretanha) serão as cidades privilegiadas, a assessoria também confirmou shows em cidades dos Estados Unidos, no Brasil e até na Antártida.

O show de 24 horas poderá ser acompanhado pela TV, rádio e internet. O evento tem entre seus patrocinadores a Microsoft, de Bill Gates.

"Para resolver a crise climática, temos de chegar a milhares de milhões de pessoas. Estamos lançando "SOS" e o "Live Earth" para começar um processo de comunicação que mobilizará pessoas no mundo inteiro com o fim de que comecem a agir", disse Al Gore.

Vale lembrar que al Gore foi vice-presidente dos Estados Unidos durante os oito anos em que Bill Clinton era o homem forte da Casa Branca, e que perdeu as eleições para George W. Bush, mesmo tendo vencido nas urnas. Nos EUA o voto é distrital.

Divulgação

Da Folha de São Paulo/TV Globo/Agências Internacionais

 
Postado às 14h56
 
 
|
 
16/02/2007
Morte de machos deixa borboleta fêmea mais promíscua
 

Londres – Um estudo feito pela University College London, mostra que um índice grande de contaminação por uma bactéria que mata os machos de diversas espécies de insetos, inclusive borboletas, aumenta a promiscuidade sexual das fêmeas e esgota os machos sobreviventes.

A pesquisa mostra um desequilíbrio populacional, e um único macho “fica” com centenas de fêmeas.

Segundo o periódico Current Biology, algumas populações de borboletas tropicais, o sistema de reprodução é apontado por um grupo de bactérias, o Wolbachia.

Esta bactéria é transmitida de mãe para filho e mata o macho antes que o embrião chegue ao estágio de lagarta.

"A promiscuidade das fêmeas aumenta quando o número de machos se reduz. Mais parceiras leva à fadiga nos machos, que passam a produzir quantidades menores de esperma", explica a bióloga Sylvain Charlat, que coordenou o estudo. "Infelizmente, as fêmeas instintivamente percebem que há menos esperma, e que as chances de engravidar, após cada acasalamento, são menores. Isso só as torna mais ativas".

Do Estado de São Paulo

 
Postado às 15h39
 
 
|
 
16/02/2007
Elenco de “Amazônia” quer preservação da floresta
 

Os atores Victor Fasano, Juca de Oliveira e Christiane Torloni, que fazem parte do elenco da minissérie brasileira “Amazônia, de Galvez a Chico Mendes”, da TV Globo, resolveram integrar o grupo de celebridades a favor da maior floresta do planeta.

Em uma carta aberta de artistas brasileiros sobre a devastação da Amazônia, os atores descrevem os problemas enfrentados na região, veja um trecho do documento:

Acabamos de comemorar o menor desmatamento da Floresta Amazônica dos últimos três anos: 17 mil quilômetros quadrados. É quase a metade da Holanda. Da área total já desmatamos 16%, o equivalente a duas vezes a Alemanha e três Estados de São Paulo. Não há motivo para comemorações. A Amazônia não é o pulmão do mundo, mas presta serviços ambientais importantíssimos ao Brasil e ao Planeta. Essa vastidão verde que se estende por mais de cinco milhões de quilômetros quadrados é um lençol térmico engendrado pela natureza para que os raios solares não atinjam o solo, propiciando a vida da mais exuberante floresta da terra e auxiliando na regulação da temperatura do Planeta.

Reprodução

Depois de tombada na sua pujança, estuprada por madeireiros sem escrúpulos, ateiam fogo às suas vestes de esmeralda abrindo passagem aos forasteiros que a humilham ao semear capim e soja nas cinzas de castanheiras centenárias. Apesar do extraordinário esforço de implantarmos unidades de conservação como alternativas de desenvolvimento sustentável, a devastação continua. Mesmo depois do sangue de Chico Mendes ter selado o pacto de harmonia homem/natureza, entre seringueiros e indígenas, mesmo depois da aliança dos povos da floresta “pelo direito de manter nossas florestas em pé, porque delas dependemos para viver”, mesmo depois de inúmeras sagas cheias de heroísmo, morte e paixão pela Amazônia, a devastação continua.

Eles colocaram uma página na internet a fim de recolherem assinaturas para um abaixo assinado a favor da preservação da floresta.

Veja o texto completo e participe do abaixo assinado

Amazonia Para Sempre

 
Postado às 15h39
 
 
|
 
16/02/2007
Indonésia pode perder 2.000 ilhas até 2030
 

Os estudos sobre o aquecimento global e o efeito estufa começam a apresentar números finais, pelo menos para algumas regiões do mundo. Um levantamento encomendado pelo governo da Indonésia traz uma perspectiva pessimista. O relatório estima que cerca de 2.000 das 18 mil ilhas do país devem desaparecer até 2030.

Isso deve acontecer em razão do aumento do nível do mar, o estudo não informa quantas pessoas serão atingidas, pois há poucos dados sobre a ocupação das ilhas.

O coordenador da pesquisa, Rachmat Witoelar, classifica o resultado como trágico, "É muito, muito sério".

A Indonésia já sofre com o atraso da estação de chuvas, causando uma onda de calor e afetando a agricultura local.

Da Folha de S.Paulo/Associated Press

 
Postado às 15h22
 
 
|
 
16/02/2007
Londres quer Jogos Olímpicos mais ecológicos da história
 

Londres – A ODE (Olympic Delivery Authority), organização responsável pela construção de estádios e instalações esportivas, pretende promover os Jogos Olímpicos mais ecológicos da história, em 2012, em Londres. Pois Pequim, na China, que sediará os Jogos em 2008, no quesito ecologia e desenvolvimento sustentável, ficou nas eliminatórias.

O diretor da ODE, David Higgins, disse que investirá em ações na redução das emissões de carbono e resíduos e aposta na reciclagem e no “transporte verde”.

"Queremos garantir que os Jogos de 2012 sejam lembrados não somente por terem sido duas semanas de fantástica ação esportiva, mas também por serem os mais verdes da atualidade", disse Higgins.

Para atingir as metas, pretendem reciclar 90% do material desprezado e utilizar pelo menos 20% nas novas instalações na Vila Olímpica. A ODE que reduzir em 50% as emissões de carbono até 2013.

Novas vias para pedestres e ciclistas serão construídas e os materiais serão transportados de navio e trem.

Da Folha de São Paulo/EFE

 
Postado às 15h08
 
 
|
 
16/02/2007
ONU segue na contramão e investe em carvão mineral
 

O GEF (Fundo Ambiental Global, na sigla em inglês), maior fundo do planeta para projetos ambientais, informou que está investindo cerca de US$ 45,5 milhões em usinas a carvão da Índia.

O carvão mineral é um combustível poluente, não-renovável e comum em países do Terceiro Mundo.

O GEF foi criado após a Eco-92 e é gerenciado pelo Banco Mundial e por agências da ONU (Organização das Nações Unidas). A justificativa do órgão é a tentativa de tornar a utilização do carvão mais eficiente e com menos poluentes.

Segundo Monique Barbut, gerente do fundo, houveram muitos debates sobre a decisão de investir ou não no carvão mineral, a escolha final contraria o objetivo do fundo de tentar se livrar do carbono como fonte de energia, porém, "Não dá para cobrir o planeta com turbinas eólicas", disse Barbut.

O carvão é o mais grave emissor de gases de efeito estufa.

Vai entender...

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 14h56
 
 
|
 
16/02/2007
Jornal argentino alerta sobre desmatamento da Amazônia
 

Buenos Aires - "Não são reclamações de ecologistas exagerados, como costumava qualificar com desdém o presidente George Bush aos que, há alguns anos, faziam advertências sobre o aquecimento global", destaca o jornal Clarín.

O desmatamento e os incêndios florestais são os principais problemas enfrentados pela maior floresta do planeta. O periódico destaca que o governo brasileiro tenta conter os crimes, mas sem êxito.

"O pulmão verde do planeta corre perigo", diante de uma "destruição sem piedade", descreve o jornal, "fazendeiros e garimpeiros já desflorestaram 550 mil quilômetros quadrados, quase duas vezes a província de Buenos Aires", diz a matéria.

"Não só desaparecem umas 50 mil espécies por ano. A derrubada de árvores contribui enormemente com o aquecimento global, os especialistas estimam que 40% do oxigênio produzido na Terra provêm das selvas tropicais e a amazônica é a mais extensa, e isso já se sente aqui e agora. Em nossas praias, em nossos campos e em todo o mundo. O governo do Brasil tenta frear a derrubada de árvores sem êxito. Como puderam comprovar nossos enviados, o Amazonas parece terra de ninguém. Mas seu futuro nos afeta a todos", conclui o artigo.

A matéria ocupou duas páginas.

Da Folha de São Paulo/Clarín

 
Postado às 14h34
 
 
|
 
16/02/2007
"O Atlas da Água" mapeia recurso mais precioso do planeta
 

Cerca de 1 bilhão de pessoas não possui acesso à água potável, no fim do século serão 3,2 bilhões de pessoas. Estima-se que em todo o mundo morram 1,7 milhão de pessoas por ano, por causa de águas poluídas. Essas são algumas informações da OMS (Organização Mundial da Saúde).

O livro "O Atlas da Água", de Robin Clark em parceria com a pesquisadora Jannet King, está sendo lançado no Brasil através da Publifolha. A publicação traz informações de 168 países e 33 mapas com a distribuição dos recursos hídricos do planeta. Discute a exploração de águas subterrâneas, a escassez do recurso, a água utilizada como fonte de energia, os conflitos que surgirão, contaminação, saneamento básico entre outros temas.

Divulgação

Robin Clark escreveu vários livros sobre o meio ambiente, com destaque para "Water: The International Crisis" e "The Science of War and Peace". Como editor, assinou os títulos "Global Environment Outlook 2000" e "Global Environment Outlook 2002".

Da Folha de São Paulo

 
Postado às 14h19
 
 
|
 
16/02/2007
Preguiça de bicho preguiça frustra cientistas
 

Jena/Alemanha – Pesquisadores da cidade alemã de Jena desistiram, após três anos, de espera para que um bicho preguiça se movimentasse. Quilos de pepinos, pratos de espaguete nada foi suficiente para preguiçoso Mats participar do estudo sobre movimento.

O estudo promovido pelo Instituto de Zoologia Sistemática e Biologia Evolucionária da Universidade de Jena pretendia que o bicho preguiça subisse em um mastro, o problema é que não combinaram isso com Mats, que se recusou a participar.

"É óbvio que Mats não queria ter nada a ver com o progresso da ciência", disse o porta-voz da universidade.

Da Folha de São Paulo/AP

 
Postado às 14h10
 
 
|
 
16/02/2007
Animais exóticos morrem em incêndio na Espanha
 

Madri – Mais de 1000 animais exóticos, entre serpentes, lagartos e tartarugas, morreram em um incêndio ocorrido em uma empresa, no município de Humanes, no sul de Madri.

Segundo informações da agência EFE, serviços de emergências foram alertados por uma ligação de funcionários da empresa especializada no comércio de animais silvestres.

Os bombeiros controlaram o incêndio em 20 minutos, mas não conseguiram evitar a morte dos animais. A causa do incêndio não foi divulgada.

Da Folha de São Paulo/EFE

 
Postado às 13h15
 
 
|
 
16/02/2007
Empresa paga indenização por morte de baleia
 

Roma/Itália - A Princess Cruise Lines, companhia de navegação pertencente ao grupo Carnival, foi obrigada a pagar uma indenização de US$ 750 mil, por causa da morte de uma baleia.

O acidente ocorreu em julho de 2001, no parque nacional marinho de Glacier Bay, uma reserva ambiental no Alasca. O navio invadiu a área e navegou sem cuidado e em alta velocidade. A embarcação atingiu a baleia, que estava grávida, causando múltiplas fraturas e ocasionando sua morte.

A sentença pode ser um grande precedente. O procurador norte-americano para o Alasca, Nelson Cohen, disse que "os mamíferos marinhos da região são tesouros preservados para as futuras gerações: devemos protegê-los de atos de negligência e criminosos perpetrados por indivíduos ou grandes empresas".

Da Folha de São Paulo/Ansa

 
Postado às 12h09
 
 
|
 
16/02/2007
Mobilização contra o aquecimento global
 

Artistas da TV, do cinema e da música se mobilizam contra o aquecimento global do planeta. O assunto que caiu como uma bomba nos últimos dias, após a divulgação de um estudo da ONU (Organização das Nações Unidas), trouxe a tona a discussão sobre o efeito estufa.

Apesar do descaso de muitos políticos, a classe artística já vem atuando na causa ambiental há algum tempo. Celebridades como o ator Leonardo DiCaprio, "O Aviador" e "Titanic", levantam a bandeira de um mundo mais saudável e equilibrado. O astro está preparando um documentário sobre o requilibrio de ecossistemas. "11th Hour" tem produção, roteiro e narração do ator, que reúne depoimentos de nomes como o físico e escritor Stephen Hawking e Mikhail Gorbachev, último presidente da extinta União Soviética.

Divulgação/Reprodução
O ator Leonardo DiCaprio

"O aquecimento global não é apenas o principal desafio que encaramos hoje; é um tema crucial que envolve toda a humanidade", disse DiCaprio, que também deve produzir um reality show "ecológico" para a TV norte-americana.

Já o ex-vice-presidente norte americano Al Gore produziu o documentário "Uma Verdade Inconveniente", do diretor Davis Guggenheim. A produção está concorrendo a duas categorias no Oscar, melhor documentário e melhor canção, ("I Need to Wake Up", de Melissa Etheridge). Sua luta na preservação ambiental lhe rendeu uma indicação ao Nobel da Paz.

Na lista dos astros da TV estão nomes como Josh Jackson ("Dawson's Creek"), Jorja Fox ("CSI"), Mischa Barton ("The O.C."), Jane Kaczmarek ("Malcom"), Bradley Whitford ("The West Wing"), que aderiram à campanha da ONG Climate Star contra o aquecimento global. Orlando Bloom e Kevin Bacon também colaboram com a entidade.

Divulgação/Reprodução
Scissor Sisters

Na música os americanos do Scissor Sisters transmitiram um show em Londres em prol da ONG Global Cool. Bloc Party, Fall Out Boy, Panic! At The Disco, Sonic Youth, KT Tunstall, The Killers, Blackalicious, Perry Farrell e Jet também apóiam as atividades da organização.

Segundo o relatório da ONU a temperatura média da Terra subirá de 1,8ºC a 4ºC até 2100.
Fotos Divulgação/Reprodução

Da Folha de São Paulo/EFE

 
Postado às 11h23
 
 
|
 
16/02/2007
Cientistas querem proteção para tubarões e arraias
 

Cerca de 100 cientistas exigiram, através de um documento, que o governo mexicano regulamente uma norma sobre a pesca e a captura de tubarões e arraias, por causa da grande redução dessas espécies em águas mexicanas.

Em carta enviada ao secretário de Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento Rural, Pesca e Alimentação, Alberto Cárdenas Jiménez, os pesquisadores destacam que esse tipo de pesca afeta também outras espécies, como golfinhos, baleias e tartarugas marinhas.

A lei em questão já existe, no entanto, as pressões do setor de pesca esportiva têm pressionado as autoridades. Caso a pesca continue como vem sendo feito, um grande impacto ambiental ocorrerá na região, o que representará uma mudança na economia local.

Segundo a organização ambientalista Greenpeace, em 1990, a pesca na região foi de 34 mil toneladas, em 2006, este número foi reduzido em 22%, cerca de 26.500 mil toneladas. Em algumas regiões como Sonora a queda foi de 68%, já em Yucatán a redução chegou a 73%.

Da Folha de São Paulo/EFE

 
Postado às 10h30
 
 
|