São Paulo, SP Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  07/11/2007
  Pesquisador da Embrapa Amapá ganha Prêmio Samuel Benchimol
 

O pesquisador da Embrapa Amapá, Antônio Cláudio Almeida de Carvalho, foi um dos ganhadores do Prêmio Professor Samuel Benchimol 2007 ao apresentar uma proposta inovadora de desenvolvimento econômico sustentável para a Amazônia. O projeto de valoração e manejo sustentável do cipó-titica (Heteropsis flexuosa), um produto florestal não-madeireiro abundante no Amapá, obteve o primeiro lugar na categoria Econômica/Tecnológica. "Para a Embrapa é uma deferência muito importante. Ganhar um prêmio de desenvolvimento sustentável demonstra que a empresa tem propostas inovadoras e viáveis para a Amazônia. Para o Amapá é de grande importância por se tratar de uma das menores unidades da Embrapa no Brasil, mas que tem propostas de impacto para a economia nacional", afirmou Antônio Cláudio.

O projeto inscrito pelo pesquisador propõe a valoração e o manejo do cipó-titica como uma possibilidade concreta de desenvolvimento econômico regional na Amazônia, a partir da manutenção da floresta em pé. Trata-se de uma continuidade do trabalho realizado nos últimos seis anos pela Embrapa Amapá, quando foi possível obter dados sobre a botânica da planta, crescimento e reprodução, sementes, frutos, e a própria dinâmica de extração e comercialização do cipó-titica.

Os principais objetivos da proposta apresentada por Antônio Cláudio Almeida são garantir a sustentabilidade da extração do cipó-titica, aumentar a produtividade desta planta nas áreas de Reserva Legal das propriedades dos agro-extrativistas do Amapá e promover a inserção econômica e social das populações tradicionais que vivem da extração do cipó-titica, através da legalização das áreas de coleta junto aos órgãos ambientais do Amapá. A idéia é desenvolver o projeto em um prazo de três anos, na área de entorno do Parque Nacional do Tumucumaque, abrangendo os municípios de Porto Grande, Pedra Branca do Amapari e Serra do Navio.

O Prêmio Professor Samuel Benchimol é uma inciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e da Confederação Nacional da Indústria (CNI), está dividido nas categorias Ambiental, Econômica/Tecnológica e Social. "Disputei na categoria de propostas econômicas porque o desenvolvimento da cadeia do cipó-titica tem potencial de impacto na economia brasileira", disse Antônio Cláudio Almeida. A solenidade de premiação será no dia 23 deste mês, no auditório da Casa da Indústria, em Rio Branco, no Acre.

Ao comemorar o reconhecimento pelo Prêmio Samuel Benchimol, o pesquisador participa na noite desta segunda-feira, 5, em Pedra Branca do Amapari, da cerimônia de assinatura de um convênio entre a Associação dos Produtores Agro-extrativistas de Água Fria (Ampaaf) e a empresa mineradora MMX, para o financiamento do projeto de desenvolvimento da cadeia produtiva do cipó-titica na região da Perimetral Norte. "A Embrapa será a instituição de responsabilidade técnica pelo projeto, enquanto a empresa investirá R$ 75 mil do seu fundo de desenvolvimento para a região", afirmou o pesquisador.

Antônio Cláudio Almeida de Carvalho, 45 anos, é Engenheiro Agrônomo formado pela então Faculdade de Ciências Agrárias do Pará, atualmente Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Possui mestrado em Estatística e Experimentação Agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq - USP) e atualmente cursa doutorado pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea-UFPA) no curso de Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido, na área de concentração em economia dos recursos naturais. Ele desenvolve um projeto de tese sobre a valoração das áreas de Reserva Legal da Amazônia pela maximização dos produtos florestais não-madeireiros, entre eles o cipó-titica.

O Prêmio Professor Samuel Benchimol para Amazônia foi instituído em 2003. É uma homenagem a um dos maiores conhecedores da região, falecido em 2002 aos 78 anos. Natural de Manaus (AM), Samuel Isaac Benchimol estudou a fundo a formação econômica da Amazônia, com destaque para o período do ciclo da borracha, e discorreu sobre os pólos de crescimento, a Zona Franca de Manaus, a política florestal e as estratégias de integração. Benchimol é autor de 109 livros, todos relacionados à vida, economia e à sociedade da região.

Projetos agraciados

Na categoria "Ambiental" o primeiro lugar foi para o pesquisador Philip Martin Fearnside, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA); 2º) Raimundo Nonato Lemos da Silva (Eletronorte - RO); 3º) João Tito Borges (Fucapi).

Na categoria "Econômico e Tecnológica" os vendedores foram: 1º) Antonio Cláudio Almeida de Carvalho (Embrapa Amapá); 2º) Idelfonso Generoso da Silva (SEATER/ Acre; 3º) Ariane Mendonça Pacheco (Nutritest - AM).

Na categoria "Social" - 1º) Marilene Gomes de Sá Ribeiro e Ruy Alexandre de Sá Ribeiro (INPA - AM); 2º) Edinaldo Nelson dos Santos Silva e Veridiana Vizone Scudeller (Inpa -AM); 3º) Antonio Francisco Lima de Oliveira (PA).

Na categoria "Personalidade" foram inscritos 14 pessoas e 5 instituições. Os três mais votados foram: o governador Eduardo Braga, Alex Bolonha Fiúza de Mello - reitor da Universidade Federal do Pará e a Suframa. Também estavam concorrendo ao prêmio de personalidade, a Rede Globo, o Governo do Estado do Acre, a SBPC e a CNBB, entre outros.

Dulcivânia Freitas
Embrapa Amapá

 
  Postado às 20h02
 
|
 
  04/11/2007
  Mundo animal
 
Christoph Allgaier/Divulgação
Biólogo alemão flagra molusco usando a boca para montar carapaça extra.
O caramujo Napaeus barquini, espécie encontrada nas ilhas Canárias (litoral da Espanha) utiliza pedaços de liquens para decorar e camuflar sua carapaça contra predadores.
 
Reprodução
Invertebrados adotam mais de uma dezena de posições sexuais, diz estudo espanhol.
As aranhas têm seu próprio Kama Sutra, levando-se em conta a grande variedade de posições que adotam no momento de copular, diz um estudo patrocinado pelo Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC) da Espanha.

O Kama Sutra, um antigo texto hindu, descreve dezenas de posições, algumas próximas de acrobacias, que podem ser praticadas durante o ato sexual. O estudo espanhol mostra que as aranhas também abandonaram ao longo dos anos a monotonia e já conhecem mais de uma dezena de "posições sexuais".

Divulgação
Calor matou 500 kg de peixes na lagoa Rodrigo de Freitas no Rio
Segundo a Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente), o calor pode ter causado a morte de cerca de 500 kg de peixe na lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio.

A gerente da Divisão da Qualidade das Águas da Feema, Fátima Soares, informou que a espécie encontrada morta é muito sensível. "Esse peixe é sensível a mudanças climáticas. Supomos que possa ser isso [calor] que matou os peixes. Temperaturas altas sempre têm conseqüências", diz Soares.

Divulgação
Chimpanzé ganhará homenagem póstuma nos EUA
A chimpanzé Washoe, que teria sido a primeira da espécie a utilizar o idioma de sinais dos seres humanos, morreu dia 30 de novembro e agora ganhará homenagem.

A ação será promovida por cientistas do Instituto de Comunicações de Humanos e Chimpanzés dos Estados Unidos. "No momento de sua morte, estava rodeada de sua família e seus amigos mais próximos", dizia o comunicado do instituto.

"Ela foi verdadeiramente única ao aprender um idioma humano, que ainda ensinou ao seu filho adotivo", disseram membros do grupo Amigos de Washoe em seu site. Washoe tinha 42 anos.

Divulgação
Impressão dos corpos ficou muito bem preservada
Concepção artística mostra como os animais seriam em vida
Anfíbios de 330 milhões de anos deixam 'impressão corporal' em rocha
Vestigios de criaturas extintas como pegadas de dinossauros são relativamente comuns no registro fóssil, no entanto uma impressão de corpo inteiro deixada por um bicho extinto nunca tinha sido vista - até agora.

Pesquisadores do Museu de História Natural do Novo México (Estados Unidos) revelaram essa estranha "pegada corporal" deixada por anfíbios de 330 milhões de anos, parecidos com salamandras. As impressões revelam, entre outras coisas, que os animais possuíam pele totalmente lisa, como a de seus parentes modernos.
Reprodução
Orangotango-de-sumatra (Pongo abelii) enfrenta a destruição acelerada de seu habitat na Indonésia
Tilo Nadler/Divulgação
Langur-de-nariz-arrebitado-de-tonkin (Rhinopithecus avunculus) é uma das espécies vietnamitas da lista dos ameaçados
Macacos brasileiros escapam da lista dos 25 primatas mais ameaçados
Confira abaixo a lista completa das 25 espécies mais ameaçadas de primatas, com seus países de origem:

- Lêmur-gentil (Prolemur simus) - Madagascar
- Lêmur-de-colar-branco (Eulemur albocollaris) - Madagascar
- Lêmur-desportivo-de-Sahamalaza (Lepilemur sahamalazensis) - Madagascar
- Sifaka-sedoso (Propithecus candidus) - Madagascar
- Gorila-do-rio-cruz (Gorilla gorilla diehli) - Nigéria, República dos Camarões
- Mono roloway (Cercopithecus diana roloway) - Costa do Marfim, Gana
- Galago-anão-de-Rondo (Galagoides rondoensis) - Tanzânia
- Colobo-vermelho-do-rio-Tana (Procolobus rufomitratus) - Quênia
- Colobo-vermelho-da-Srta. Waldron (Procolobus badius waldroni) - Costa do Marfim, Gana
- Kipunji (Rungwecebus kipunji) - Tanzânia
- Colobo-vermelho-de-Pennant (Procolobus pennantii pennantii) - Guiné Equatorial
- Macaco-aranha ou coatá (Ateles hybridus) - Colômbia, Venezuela
- Macaco-aranha-castanho (Ateles fusciceps) - Colômbia, Equador
- Macaco-barrigudo-da-cauda-amarela (Oreonax flavicauda) - Peru
- Gibão-hoolock-do-oeste (Hoolock hoolock) - Bangladesh, Índia, Mianmar
- Lóris-delgado-vermelho (Loris tardigradus nycticeboides) - Sri Lanka
- Langur-de-cara-roxo(Semnopithecus vetulus nestor) - Sri Lanka
- Langur-da-cauda-de-porco (Simias concolor) - Indonésia
- Társio-de-siau (Tarsius sp.) - Indonésia
- Langur-de-delacour (Trachypithecus delacouri) - Vietnã
- Langur-de-cabeça-dourada (Trachypithecus poliocephalus poliocephalus) - Vietnã
- Langur-da-canela-cinza (Pygathrix cinerea) - Vietnã
- Langur-de-nariz-arrebitado-de-tonkin (Rhinopithecus avunculus) - Vietnã
- Gibão-de-hainan (Nomascus hainanus) - China (ilha de Hainan)
- Orangotango-de-sumatra (Pongo abelii) Indonésia

Portal G1/Folha de São Paulo

 
  Postado às 20h20
 
|