São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  23/12/2007
  Transposição do São Francisco: O fim da greve de fome
 

Supremo libera obras de transposição do rio São Francisco e bispo Cappio divulga carta depois de 23 dias de greve de fome.

Veja a seguir a íntegra da carta D. Cappio

Leia abaixo a íntegra da carta de D. Luiz Flavio Cappio, bispo de Barra (BA), que completaria hoje 23 dias de greve de fome contra a transposição do rio São Francisco:

"Aos meus irmãos e irmãs do São Francisco, do Nordeste e do Brasil

Paz e Bem!

No dia de ontem completei 36 anos de sacerdócio --36 anos a serviço dos favelados de Petrópolis (RJ), dos trabalhadores da periferia de São Paulo e do povo dos sertões sem-fim do nordeste brasileiro.

Ontem, vimos com desalento os poderosos festejarem a demonstração de subserviência do Judiciário. Ontem, quando minhas forças faltaram, recebi o socorro dos que me acompanham nesses longos e sofridos dias.

Mas nossa luta continua e está firmada no fundamento que a tudo sustenta: a fé no Deus da vida e na ação organizada dos pobres. Nossa luta maior é garantir a vida do rio São Francisco e de seu povo, garantir acesso à água e ao verdadeiro desenvolvimento para o conjunto das populações de todo o semi-árido, não só uma parte dele.

Isso vale uma vida e sou feliz por me dedicar a esta causa, como parte de minha entrega ao Deus da Vida, à Água Viva que é Jesus e que se dá àqueles que vivem massacrados pelas estruturas que geram a opressão e a morte.

Uma de nossas grandes alegrias neste período foi ter visto o povo se levantando e reacendendo em seu coração a consciência da força da união, crianças e jovens cantando cantos de esperança e gritos de ordem com braços erguidos e olhos mirando o futuro que almejamos para o nosso Brasil querido. Um futuro onde todos, todos sem exceção de ninguém, tenham pão para comer, água para beber, terra para trabalhar, dignidade e cidadania.

Recebi com amor e respeito a solidariedade de cada um, próximo ou distante. Recebi com alegria a solidariedade de meus irmãos bispos, padres e pastores, que manifestaram de forma tão fraterna a sua compreensão sobre a gravidade do momento que vivemos.

Através do seu posicionamento corajoso, a CNBB nos devolveu a esperança de vê-la voltar a ser o que sempre foi em seus tempos áureos: fiel a Jesus e seu Evangelho, uma instituição voltada às grandes causas do Brasil e do seu povo e com uma postura clara e determinada na defesa da dignidade da pessoa humana e de seus direitos inalienáveis, principalmente se posicionando do lado dos pobres e marginalizados desse país.

Ouvi com profundo respeito o apelo de meus familiares, amigos e das irmãs e irmãos de luta que me acompanham e que sempre me quiseram vivo e lutando pela vida. Lutando contra a destruição de nossa biodiversidade, de nossos rios, de nossa gente e contra a arrogância dos que querem transformar tudo em mercadoria e moeda de troca. Neste grande mutirão formado a partir de Sobradinho, vivemos um momento ímpar de intensa comunhão e exercício de solidariedade.

Depois desses 24 dias encerro meu jejum, mas não a minha luta que é também de vocês, que é nossa. Precisamos ampliar o debate, espalhar a informação verdadeira, fazer crescer nossa mobilização. Até derrotarmos este projeto de morte e conquistarmos o verdadeiro desenvolvimento para o semi-árido e o São Francisco.

É por vocês, que lutaram comigo e trilham o mesmo caminho que eu encerro meu jejum. Sei que conto com vocês e vocês contam comigo para continuarmos nossa batalha para que 'todos tenham vida e tenham vida em abundância'."

Em fevereiro de 2007, Cappio entregou carta ao presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva.

Veja a íntegra da carta

“Barra, 21 de fevereiro de 2007
Quarta-feira de Cinzas

Caro Presidente Lula
Paz e Bem!

Escrevo-lhe hoje, dia em que a Igreja do Brasil lança a Campanha da Fraternidade 2007 sobre a Vida da Amazônia e toda a sua riqueza humana e natural.


O objetivo desta carta, amiga e fraterna, é retomar o diálogo que assumimos juntos por ocasião de nosso encontro no dia 15 de dezembro de 2005 em sua sala de trabalho no Planalto.

Agradeço pelas oportunidades que os representantes da sociedade brasileira e representantes do governo tivemos de iniciar o debate sobre assuntos tão importantes como: Projeto de Revitalização do São Francisco, Projeto de Transposição das águas do Rio São Francisco, Projeto de Desenvolvimento Alternativo para o semi-árido brasileiro, na busca de um consenso que soe em acontecer numa sociedade democrática.

Retorno o diálogo justamente quando a humanidade, estarrecida, toma consciência das conseqüências do aquecimento global, com impacto em todo o planeta, particularmente na vida de bilhões de seres humanos, inclusive na já historicamente oprimida e humilhada população nordestina.

Retomo o diálogo quando o Rio São Francisco, mais assoreado, sofre uma grande cheia e sua população ribeirinha, a quinhentos metros do rio, passa sede, como mostrou, nessa semana, o Jornal Nacional.

Retomo o diálogo quando uma menina morreu afogada em um dos canais que supre os perímetros irrigados de Petrolina (Pe), por ter ido "roubar" água para matar sua sede e da sua família.

Retomo o diálogo quando o senhor fala em iniciar as obras de transposição que irão consumir inicialmente R$ 6,6 bilhões, mais de 50% de todo o orçamento destinado a recursos hídricos no Programa de Aceleração de Crescimento (PAC).

Retomo o diálogo quando o Tribunal de Contas da União (TCU) afirma publicamente, em seu relatório, que o Projeto de Transposição de Águas do São Francisco não beneficia o numero de municípios e de pessoas que afirma atingir.

Divulgação

Retomo o diálogo quando o mesmo Tribunal, através do acórdão 2020/2006, determinou ao Ministério da Integração e ao Ministério da Defesa que não utilizem recursos públicos para execução de obras de transposição enquanto não houver decisão definitiva sobre a validade de licença prévia concedida pelo Ibama.

Retomo o diálogo quando a Agência Nacional de Águas (ANA), organismo de Estado criado para a gestão estratégica do uso da água no Brasil, propõe 530 obras para solucionar os problemas de abastecimento hídrico até 2015 em todos os núcleos urbanos acima de cinco mil habitantes do semi-árido brasileiro até 2015. Essas obras beneficiariam as populações mais necessitadas e custariam R$ 3,6 bilhões, portanto, mais baratas, mais abrangentes, mais eficientes que qualquer obra de transposição hídrica.

Em nosso encontro, acima referido, o senhor me disse que "não seria louco de levar essa obra à frente se apresentássemos uma alternativa melhor". Agora, somando as obras propostas pela ANA juntamente com as iniciativas de captação, armazenamento e manejo de água de chuva desenvolvidos pela Articulação do Semi-Árido (ASA), o senhor tem uma chance de escolha muito melhor, pela qual seu governo ficará marcado para sempre na história do nordeste brasileiro, sua terra natal.

Não faltam alternativas. Falta uma decisão política mais lúcida.

Nosso pedido, senhor presidente, é que se retome o diálogo e que se garanta que seja amplo, transparente, verdadeiro e participativo, incluindo toda a sociedade do São Francisco e do Semi-Árido, conforme foi pactuado em Cabrobó em outubro de 2005 e renovado através de pedido formal por carta protocolada em 6 de fevereiro último.

Senhor presidente, sempre vestimos sua camisa. Ainda estamos vestidos nela. Nossa contribuição de fiel militante da causa do povo é para o senhor seja verdadeiramente aquilo a que se propôs, o de ser o presidente de todo o povo brasileiro, especialmente dos pobres deste país, por serem os que mais necessitam de sua atenção.

Receba nossa saudação amiga e fraterna, com votos de uma Feliz e Santa Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dom Frei Luiz Flávio Cappio, OFM
Bispo Diocesano de Barra - Bahia”

Saiba mais sobre a transposição do rio São Francisco.

 
  Postado às 17h57
 
|
 
  23/12/2007
  Crocodilo na cadeia
 

A delegacia da cidade de Nhulunbuy, no norte da Austrália, recebeu um hóspede inusitado. Um crocodilo de 2,4 metros, que passou a noite na cela, por representar, segundo a polícia, uma ameaça aos pescadores locais.

O oficial Wade Marshall, disse não ter outra opção, senão trancar o bicho na cela. Segundo o policial, os agentes receberam diversos alertas de que o animal teria atacado alguns pescadores nas imediações do Nhulunbuy Yacht Club.

Reprodução

"Depois de três horas e algumas tentativas, nós conseguimos capturá-lo e levá-lo para o distrito policial", disse. "Nós cuidamos dele. Ele foi coberto com uma manta úmida, regada regularmente durante a noite inteira."

Depois de uma noite na cadeia, o crocodilo foi levado para um criatório de répteis da região.

Da BBC Brasil

 
  Postado às 17h38
 
|
 
  23/12/2007
  Elefantes identificam manadas através do olfato
 

Elefantes africanos são capazes de memorizar o cheiro de pelo menos 17 congêneres e seguir sua pista através das savanas. É o que diz um estudo realizado no parque nacional Amboseli, no Quênia e publicado na revista "Biology Letters" da "Royal Society" britânica.

O estudo orientado por Richard Byrne, da universidade britânica de Saint Andrews, observa que os paquidermes conseguiram identificar os outros membros de sua manada, parentes ou não, cheirando amostras de terra misturada com urina dos companheiros.

Reprodução

A experiência foi realizada durante dez semanas com 36 grupos familiares de elefantes. Durante a pesquisa, os cientistas observaram que os elefantes conseguiram identificar pelo menos 17 fêmeas e foram capazes de reconhecer mais 30 membros da sua família.

Elefantes africanos vivem em uma sociedade matriarcal. Depois de adultos, os indivíduos se separam e formam grupos dominados pela fêmea mais velha. Esses grupos se separam e voltam a se formar regularmente.

Da France Presse/Folha de São Paulo

 
  Postado às 17h13
 
|
 
  23/12/2007
  Sem lenço e sem documento
 

Um jovem hipopótamo de 13 anos, chamado Aldo e nascido na França, deixou seus anos de circo e ira começar uma vida nova na África do Sul. Durante o tempo em que viveu na Europa, Aldo não tinha “documentos”.

Segundo a prefeitura de Gard (sul da França), o diretor do circo de Veneza, Serge Landri, nunca teve certificados para manter o animal e foi obrigado a ceder o animal a Fundação 30 Milhões de Amigos.

Reprodução

A justiça decidiu em favor da prefeitura (e do hipopótamo) por conta das más condições do cativeiro onde Aldo vivia. A Fundação 30 Milhões de Amigos pagará os 40.000 euros do custo da viagem do hipopótamo até Sanwilde Wildlife, no parque sul-africano de Kruger, onde viverá um regime de semi-liberdade.

O ex-dono de Aldo poderá pagar multa pelo crime de detenção ilícita de uma espécie não doméstica protegida, de acordo com a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e da Flora Silvestres.

Da France Presse/Folha de São Paulo

 
  Postado às 16h55
 
|
 
  23/12/2007
  Paul McCartney pede que população mundial torne-se vegetariana
 

O ex-Beatle Paul McCartney pediu que população mundial cultive hábitos vegetarianos para salvar o planeta dos efeitos da mudança climática.

"Um relatório recente das Nações Unidas, intitulado 'Live Stock's Long Shadow', contém uma mensagem clara: o ato individual mais eficaz que uma pessoa pode realizar para reduzir os efeitos do aquecimento global é tornar-se vegetariana", escreveu McCartney em uma carta publicada em jornais britânicos.

Divulgação

"O importante é que esse relatório deveria incentivar todos a fazer o que puderem a respeito", afirmou o cantor, dizendo que a ONU "pelo menos uma vez acertou em sua recomendação".

Da Ansa/Folha de São Paulo

 
  Postado às 16h38
 
|
 
  23/12/2007
  ‘Piolhos’ ameaçam salmão no Canadá
 

Segundo um estudo divulgado pela revista ‘Science’, criaturas que fazem o papel de piolhos marítimos podem acabar com os salmões no Canadá, em quatro anos.

As populações de salmões rosados estão diminuindo rapidamente nos últimos anos e se a praga continuar essa queda pode ser de 99% nos próximos quatro anos, dizem cientistas Universidade de Alberta.

"O impacto é tão grande que estão ameaçadas as populações silvestres", disse Martin Krkosek, ecólogo da Universidade. O estudo estima que 80% dos salmões que retornam ao arquipélago de Broughton, na Colúmbia Britânica já foram dizimados pela praga de piolhos. "Se não fizermos nada, vamos perder estes peixes", disse Krkosek. "Existe um perigo real para as populações silvestres, como resultado do impacto das fazendas", disse Ray Hilborn, biólogo da Universidade de Washington, que também participou do estudo.

Da EFE/Folha de São Paulo

 
  Postado às 16h27
 
|
 
  23/12/2007
  Cientistas encontram novo “ratão” na Indonésia
 

Pesquisadores da Indonésia e dos Estados Unidos dizem ter descoberto duas novas espécies de mamíferos, uma delas, um rato gigante.

O roedor chega a cinco vezes o tamanho de um rato comum e pesa cerca de dois quilos. Segundo Kristofer Helgen, do Instituto Smithsonian, o bicho foi visto várias vezes no acampamento dos pesquisadores.

Divulgação

Uma espécie de gambá pigmeu também foi encontrada e segundo os pesquisadores é o menor marsupial do mundo. "É promissor saber que existe um lugar na Terra tão isolado que continua sendo domínio total da natureza selvagem", disse o líder da expedição, Bruce Beehler.

Da Efe/ Folha de São Paulo

 
  Postado às 16h12
 
|
 
  23/12/2007
  Festival plantará 7.000 árvores para compensar emissões
 

O Rock in Rio 2008 será realizado, pela primeira vez, em Madri na Espanha, e a novidade é o tema de combate à mudança climática no planeta. Segundo os organizadores, 7.000 árvores serão plantadas para compensar as emissões de CO2 (dióxido de carbono) gerada durante o evento.

O festival será realizado nos dias 26 e 27 junho e 4, 5 e 6 de julho. As árvores deverão ser plantadas em Arganda del Rey, município da Comunidade Autônoma de Madri que receberá o show.

Divulgação

Á organização do festival também pretende reduzir as emissões utilizando geradores movidos a biodiesel, iluminação de baixo consumo e redução de vagas no estacionamento. "Queremos promover a idéia de que fazer algo já é bom, e que vale a pena fazê-lo", diz Roberto Medina, organizador do evento.

Da Efe/ Folha de São Paulo

 
  Postado às 15h58
 
|
 
  23/12/2007
  Vilarejo do Rio de Janeiro está sumindo
 

Pesquisadores da UFF (Universidade Federal Fluminense) e da UERL (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) estão investigando a invasão do mar sobre o vilarejo de Atafona (no município de São João da Barra, no norte fluminense).

A praia está sendo engolida pelo mar e destruindo casas e expulsando os moradores da orla. Cerca de 180 construções já foram destruídas e o farol já foi transferido de local duas vezes.

Nos anos 50 o vilarejo atraia diversos moradores, hoje restam apenas algumas dezenas de casas próximas a areia. Segundo especialistas, o aquecimento global é o principal causador do fenômeno.

Da BBC Brasil/Folha de São Paulo

 
  Postado às 15h42
 
|
 
  07/12/2007
  Campanha de ONG “entuba” miss Reino Unido
 

Conhecida por suas campanhas contra o uso de peles de animais, a organização não-governamental PETA (Pessoas para o Tratamento Ético dos Animais, na sigla em inglês) acaba de lançar mais uma campanha polêmica.

Desta vez, a ação é contra o comércio de foie gras, uma iguaria francesa feita a partir de fígados de gansos e patos superalimentados.

A campanha traz um cartaz com a ex-miss Reino Unido Brooke Johnston sendo “entubada” para receber comida à força, uma alusão ao procedimento adotado nos animais.

Peta/Divulgação

Da BBC Brasil/Folha de São Paulo

 
  Postado às 18h05
 
|
 
  07/12/2007
  Tecnologias da Embrapa Amapá na Expofeira 2007
 

A 44ª Expofeira do Amapá, o mais importante evento de negócios e
entretenimento do Estado do Amapá, também é vitrine para tecnologias desenvolvidas pela Embrapa Amapá que visam melhorar a produtividade na agricultura e agregar valor a produtos florestais não-madeireiros. O evento é promovido pelo Governo do Estado, em parceria com o Sebrae-AP, no Parque de Exposição da Fazendinha, distante 12 quilômetros de Macapá.

Em uma área construída de 20 mil m² há produtos agrícolas, exposição de serviços em vários segmentos da economia regional, venda de animais de genética melhorada, rodeios, cursos e oficinas. De acordo com os organizadores, a expectativa é de um público em torno de 800 mil pessoas.

Embrapa

No estande da Embrapa Amapá, o visitante é convidado a conhecer produtos que resultam de pesquisas feitas pela empresa em comunidades do interior do estado, agregando o conhecimento científico, o saber das populações tradicionais e as parcerias com diversas instituições estaduais, federais e privadas. "A Expofeira é uma excelente oportunidade para termos um contato direto com nosso público-alvo e constatar a percepção da sociedade sobre as nossas atividades", afirmou o chefe geral da Embrapa Amapá,
Newton de Lucena.

Este ano a vitrine é representativa das tecnologias desenvolvidas por outras unidades da Embrapa e publicações sobre diversos temas da agropecuária. Diana Batista da Silva, 24, residente em Santana, disse que foi justamente a vitrine que lhe chamou a atenção. "Fiquei atraída pelos produtos e quis entender melhor o que a Embrapa faz, por isso vim conhecer o estande", afirmou a dona de casa, que levou para casa folderes sobre pesquisas para agricultura familiar e agroenergia, os quais fazem parte das publicações que são doadas ao público visitante.

Embrapa

No estande da Embrapa há uma mostra de castanha in natura, dry fatiada e salgada para tira-gosto, biscoito de castanha e óleo processado e natural. O biscoito e a castanha fatiados são da Embrapa Acre. Os demais são produzidos por extrativistas de Laranjal do Jari, onde o engenheiro agrônomo Walter Paixão desenvolve estudos para melhorar a renda dos castanheiros. "Estudamos este produto e agora partimos para a valoração, aproveitando o potencial de exposição que é a Expofeira".

O visitante também conhece variedades de feijão-caupi, como "Amapá", "BRS Mazagão", lançadas pela Embrapa Amapá, e Novaera", lançada pela Embrapa Amazônia Oriental (Belém) para toda a região Norte. As duas últimas podem ser colhidas mecanicamente. Neste espaço, está sendo mostrada em primeira mão a variedade de feijão-caupi a ser lançada em 2008 pela Embrapa Amapá, que tem o nome provisório de Tumucumaque. Para apreciar o sabor destes produtos, haverá degustação de baião de dois na próxima sexta-feira, 30, no estande da empresa, preparado com ingredientes especiais pela laboratorista Leila Guerra. A degustação também inclui palmito da pupunheira, temperado com orégano e azeite, resultante de experimentos da Embrapa.

As moscas-das-frutas estão entre os insetos mais prejudiciais à agricultura mundial. Devido à ameaça que representam para este importante segmento da economia brasileira, a Embrapa desenvolve pesquisas para identificar fatores que podem contribuir para o programa de combate às moscas-das-frutas, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura. No estande, o visitante conhece diversas espécies de moscas-das-frutas identificadas no Amapá, a exemplo da mosca-da-carambola, que entrou no Brasil pelo Oiapoque, em 1996.

A pequena Eduarda Stefany Pinheiro, 6 anos, ficou entusiasmada ao conhecer "como são as mosquinhas ficam na goiaba que a gente come", disse a menina. Sua mãe, Terezinha Pinheiro, elogiou o estande da Embrapa como um recurso para aprimorar o conhecimento adquirido na escola. "Tudo aqui me chamou a atenção, está bem organizado e as pessoas explicam direitinho o trabalho da Embrapa, que eu não conhecia. Isso é muito bom para nossos filhos que estudam!", afirmou a dona de casa.

Embrapa

O cipó-titica é outro produto de excelência, pesquisado pela Embrapa Amapá. Este ano foi montado um mostruário das telas de trançados com esta fibra. O produto florestal não-madeireiro é estudado na Embrapa há cerca de seis anos e agora rendeu ao pesquisador Antonio Cláudio Almeida de Carvalho o Prêmio Samuel Benchimol na categoria Economia/Tecnologia. Ele apresentou um projeto de inovação de desenvolvimento sustentável a partir da valoração do cipó-titica pelas comunidades extrativistas de municípios do entorno do Parque Nacional do Tumucumaque. Além disso, há no espaço mesas e cadeiras confeccionadas em madeira e cipó-titica, demonstrando o potencial moveleiro da fibra para agregar conservação da floresta, mão-de-obra qualificada e renda no Amapá.

As vantagens da cerca elétrica para impedir que gado ultrapasse limites de áreas também é demonstrada no estande da Embrapa. A tecnologia é estudada pelo pesquisador Paulo Meirelles e este ano um atrativo para ilustrar o assunto é um touro estilizado, representando o rebanho bovino amapaense. Como parte da Expofeira, acontece a II Feira do Empreendedor, voltado para rodada de negócios entre empresários de móveis, madeira e artesanato.

Da Embrapa
Dulcivânia Freitas

 
  Postado às 17h31
 
|
 
  07/12/2007
  Polícia Ambiental do Paraná captura sucuri de 200 kg
 

O réptil de 6 metros e 200 kg foi capturado pela Policia Ambiental do Paraná em uma casa abandonada em Arroio-Guaçu. O animal havia sido encontrado por moradores da região.

"Muitas lendas são contadas, inclusive de que a sucuri quebra ossos. Na verdade isso pode até acontecer, mas ela não o faz propositadamente. Não se descarta a possibilidade da sucuri matar e comer um homem", disse o capitão Valdecir Gonçalves Capelli, do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde. A sucuri, que precisou de seis homens para ser imobilizada, foi levada para o Parque das Aves, em Foz do Iguaçu.

PM-PR/Divulgação

Da Folha de São Paulo

 
  Postado às 16h45
 
|