São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  18/09/2009
  Formiga argentina usa substâncias para não ser enterrada viva
 

Recentemente o pesquisador Dong-Hwan Choe, da Universidade da Califórnia em Riversidade, descobriu que a Linepithema humile, uma espécie de formiga argentina, possui moléculas que funcionam como um alerta às companheiras de que está viva. Evitando assim que sejam levadas ao ‘lixão’ da colônia por engano. Pois a limpeza da colônia através da remoção de cadáveres é fundamental para a saúde da formigas.

Essa substância deixa de ser produzida logo após a morte do inseto. Para chegar a esta conclusão os pesquisadores lavaram formigas vivas para retirada desta substância, que de volta a colônia foram levadas ao lixão de qualquer maneira.

PNAS/Divulgação
Formiga carrega indivíduo imaturo morto para lixão do formigueiro...
 
Dong-Hwan Choe/Divulgação
... e faz o mesmo com indivíduo adulto de sua espécie

Do G1
 
  Postado às 12h07
 
|
  18/09/2009
  Filhote de jaguar negro nasce em zoo
 

Nasceu no zoológico Parque das Lendas, em Lima, no Peru, um filhote de jaguar negro. O felino é o quarto da espécie a nascer em cativeiro.

Divulgação/Zoo de Lima
 
  Postado às 12h04
 
|
  18/09/2009
  Nova espécie de pássaro é descoberta
 

Foi descoberta pelos pesquisadores da Universidade de Melbourne (Austrália) e da Wildlife Conservation Society (WCS), uma nova espécie de rouxinol no Laos. O pássaro que recebeu o nome de Rouxinol da Face Pelada (Bare-Faced Bulbul) é a primeira ave desta espécie descoberta em 100 anos na Ásia.

Divulgação
 
  Postado às 11h55
 
|
  18/09/2009
  Panda vermelho nasce em zoo
 

Nasceu esta semana, no zoológico de Lincoln, em New England, Estados Unidos, um filhote de panda vermelho. Porém sua mãe a panda Wen-Dee tem dificuldades para produzir alimento. Por isto o bebê panda inspira cuidados de toda a equipe do zoo que se reveza para acompanhar sua saúde e alimentá-lo.

Divulgação/Zoo de Lincoln

Divulgação/Zoo de Lincoln

 
  Postado às 11h47
 
|
  18/09/2009
  Ave reconhece quem é ‘gente boa’ e quem é ameaça, diz pesquisa
 

Segundo pesquisa realizada na Universidade da Flórida, em Gainesville, Estados Unidos, divulgada na revista científica “PNAS”, o pássaro americano Mimus polyglottos é capaz de identificar humanos que já ameaçaram seu ninho.

Esta ave que é adaptada a vida nos centros urbanos, mantém relação pacífica com os humanos. Mas ao ter seu ninho ameaçado por qualquer pessoa “registra” o invasor, que é atacado pelos pássaros toda vez que passa no local.

Louis Guillette/Divulgação
Animal, claro, não gosta quando se aproximam de seu ninho
Louis Guillette/Divulgação
Animal prestes a atacar estudante que já tinha visto perto de seu ninho

Do G1

 
  Postado às 11h41
 
|
  18/09/2009
  Gorila nasce em parque na Alemanha
 

A gorila Gana de 12 anos que vive no zoológico de Muenster, na Alemanha, superou a perda de seu filho Claudio, que morreu de infecção intestinal aos três meses de idade no ano passado. Agora a mamãe gorila curte a chegada do novo filhote com apenas 2 dias de nascido.

Divulgação/Zoo de Muenster

Divulgação/Zoo de Muenster

 
  Postado às 11h37
 
|
  18/09/2009
  Planeta Azul
 

A destruição do meio ambiente em qualquer parte do Planeta Terra tem, via de regra, o ser humano como o principal causador. Aquele que DEUS deu a capacidade de raciocinar, a consciência de saber o que representa suas atitudes e ações e o livre arbítrio de tomar a decisão certa ou errada.

A degradação de nossa “casa” a cada dia se acumula e aos poucos vai tornando ameaçada a existência da raça humana, mas o pior é que estamos arrastando conosco as outras formas de vida deste Planeta.

As grandes cidades em sua incessante fome de crescimento vai engolindo o patrimônio inalienável que Deus cedeu ao nosso uso. Exemplos negativos brotam aos milhares, a própria ocupação irregular do solo e outras formas de desrespeito à legislação ambiental são o nascedouro em futuro não distante da desordem urbana, que também causam reflexos na segurança pública. O crime organizado a usar as favelas como sua fortaleza para dificultar a ação preventiva e repressiva da Polícia, as reintegrações de posse, as feiras de rolo, as zonas sob a influência de gangs, que impõe pelo terror a obediência de uma população que não consegue evitar a submissão, tudo isso, são alguns aspectos de que a qualidade de vida que se busca nas cidades está negativamente comprometida.

O “efeito dominó” tem sua primeira pedra tombada no núcleo familiar, onde a educação deve começar e na escola ser complementada. Ali também deve ser plantada a semente do uso racional de nossos recursos naturais. Ensinar que eles são finitos e passiveis de se tornarem escassos ou de faltarem no futuro.

O conceito de sustentabilidade, tão citados entre aqueles que labutam na área ambiental e tão pouco posto em prática pelas pessoas, especialmente as que, por sua posição na estrutura da sociedade e por dever de ofício, o deveriam fazê-lo, acabam por comprometer a estabilidade e o delicado equilíbrio do meio ambiente. Precisamos mudar a postura passiva e até omissa, se não quisermos sofrer as graves conseqüências que a própria ciência já sinaliza aos berros. Talvez essas mudanças possam ocorrer por imposição da “mãe natureza”, que pode se manifestar de forma violenta, seja pelas conseqüências do aquecimento global (secas, inundações, tornados, furações, etc.), pelos terremotos mais freqüentes, pelas pragas a dizimar nossas plantações ou por novas formas de doenças incuráveis, mas seria melhor que fosse por nossas mudanças de atitudes. Já dizia o saudoso Chico Xavier: “Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja”.

Gilmar Ogawa
Ten Cel PM Comandante
4.Batalhão de Polícia Ambiental

Divulgação/Zoo de Dublin
 
  Postado às 11h28
 
|
  18/09/2009
  Veneno, e não baba, é arma mortal de dragão
 

Nova pesquisa realizada por Bryan Fry da Universidade de Melbourne, Austrália, divulgada na revista científica “PNAS”, identificou que o dragão-de-komodo possui glândulas produtoras de veneno semelhante a dos répteis localizadas no crânio.

Após análise do veneno descobriram que sua composição química age na coagulação e circulação sanguínea da vítima, levando-a morte. Até então acreditava-se que o animal se valia de bactérias na saliva capazes de causar infecção para abater suas presas.

Chris Kegelman/Divulgação
No detalhe, a temida bocarra da criatura
 
Chris Kegelman/Divulgação
O dragão se debruça sobre o cadáver de uma de suas vítimas

Do G1
 
  Postado às 11h22
 
|