São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  27/03/2010
  Besouro gigante foi baleado no ar por colecionador, revela perito forense
 

A coleção do Museu de História Natural de Londres abriga cerca de 70 milhões de amostras, entre seu arcevo há um besouro da espécie africana Goliathus goliatus, capturado no século IXX que possui marcas de chumbinho em sua carapaça.

O animal que é considerado um dos maiores insetos existente e famoso por sua capacidade de fazer acrobacias aéreas foi investigado pelo cientista forense Heather Bonney, após a observação de marcas curiosas no corpo do besouro identificadas pelos de funcionários no museu.

A pesquisa foi noticiada pelo jornal britânico “Telegraph”, que apresentou o laudo de Bonney, a constatação através de um raio X, o chumbinho ainda alojado no animal e a partir da posição dos ferimentos, a conclusão de que o G. goliatus, observado, foi alvejado no dorso em pleno ar.

Foto: reprodução / Telegraph.co.uk Cold case - Investigação foi conduzida pelo cientista forense Heather Bonney (Foto: reprodução / Telegraph.co.uk)

Do G1

 
  Postado às 16h55
 
|
  27/03/2010
  Cobra de 2,5 m vai parar no veterinário após comer coelho de brinquedo
 

Uma serpente de 2,5 metros engoliu um coelho de brinquedo, em Redlynch, na Austrália. Segundo o jornal “Cairns Post”, a píton foi encontrada na residência de uma mulher que descobriu o réptil embaixo de sua cama após seu cachorro latir alertando-a sobre algo estranho no local.

Após ouvir o relato da mulher que presenciou a inusitada cena da píton devorar o brinquedo, David Walton, que foi chamado para capturar o animal contou - “A cobra estava magra e desesperada por uma refeição”.

Reprodução G1/(Foto: Reprodução/Cairns Post)

Do G1

 
  Postado às 16h53
 
|
  27/03/2010
  Cientistas acham diabo-da-Tasmânia resistente ao câncer de face
 

Uma comunidade de diabos-da-tasmânia, com variação genética, foi descoberta por cientistas da Austrália, até o momento os indivíduos encontrados apresentam objeção a uma doença tumoral facial que é responsável pela drástica diminuição da espécie, levando-os a vulnerabilidade de extinção.

O Zoológico de Taronga, na capital australiana, abriga um demônio da Tasmânia batizado de Tex.

Reprodução G1/(Foto: Mark Baker / AP 17-10-2008)

Do G1/AP

 
  Postado às 16h51
 
|
  27/03/2010
  Fotógrafo registra imagens microscópicas e em 3D de insetos e aranhas
 

O fotógrafo aposentado Steve Gschmeissner, decidiu registrar insetos e aracnídeos em resolução 3D, com o auxílio de um microscópio eletrônico de Varredura (MEV) que chega a custar até R$ 1 milhão, por ser muito mais potente que um microscópio óptico, o equipamento permite ampliar e tridimensionar a imagem.

Animais como moscas, pulgas e aranhas-saltadoras foram escolhidos pela riqueza de detalhes que podem ser observados a partir da ampliação de suas fotografias. O fotógrafo britânico declara que "Os insetos foram um grande projeto para mim. O nível de detalhe em seus minúsculos exoesqueletos é simplesmente lindo".

A tecnologia desses microscópios funciona com a aplicação do objeto com elétrons, que retornam a mensagem lida para que gere a imagem de alta precisão em 3D,"Poder usar um equipamento como esse na minha aposentadoria é a realização de um sonho", conta Gschmeissner.

Reprodução G1 (Foto: Steve Gschmeissner/Science Photo Library)

Do G1/BBC

 
  Postado às 16h48
 
|
  27/03/2010
  Tempestade de areia do Saara invadindo Ilhas Canárias é flagrada pela Nasa
 

O satélite Aqua da NASA (National Aeronautics and Space Administration) registrou imagens de uma tempestade de areia nas ilhas Canárias no Oceano Atlântico. O fenômeno que ocorre no arquipélago espanhol, iniciou-se em fevereiro e segundo a agência espacial americana, as areias são provenientes do deserto do Saara à cerca de 115 quilômetros de Canárias.

Cortesia Jacques Descloitres / MODIS Land Rapid Response Team / Nasa GSFC

Do G1

 
  Postado às 16h45
 
|
  27/03/2010
  Peixe vive em aquário há 43 anos, diz dono de pet shop
 

O jornal "New York Daily News" noticiou o singular caso de um Pacu negro que supostamente já viveu o dobro do que a média de peixes da mesma espécie.

O norte-americano Steve Grubel, 60, proprietário de uma loja de animais em Nova York conta que adquiriu o animal em 1967, vendeu-o posteriormente, mas o Pacu foi devolvido pelo comprador em 1970 e permanece vivo até hoje.

O peixe de 43 anos foi batizado de Buttkiss, pesa 20 quilos e mede 58,4 centímetros, vive em um aquário de 1,2 metros e não é remanejado para um local maior, pois Gruebel teme que o animal não resista à aclimatação. Em consequência da idade avançada, Buttkiss apresenta glaucoma no olho direito.

Reprodução/NY Daily News
Steve Gruebel com seu pacu negro de 43 anos de idade.

Do G1

 
  Postado às 16h40
 
|
  27/03/2010
  Agência chinesa afirma que tigres estão morrendo de fome em zoo
 

Uma investigação está apurando o óbito de onze tigres siberianos de um zoológico chinês. Suspeita-se que os felinos tenham morrido de fome, segundo ambientalistas, a situação de risco à extinção e a situação em que os animais se encontram nos cativeiros são alarmantes.

Os tigres morreram nos últimos três meses dentro do zoo Vida Selvagem na capital da província de Liaoning. Especialistas afirmam que muitos locais que deveriam servir para a proteção desses grandes carnívoros, não têm recursos financeiros suficientes para suprir as necessidades alimentares dos tigres, tal fato acarreta um maior índice de ataques aos funcionários que cuidam desses animais - "provavelmente, os 11 animais morreram de inanição, e não por doença" afirmaram os tratadores do Zoológico à agência oficial Xinhua.

Por acaso ou ironia, a China comemora em 2010 o “ano do Tigre” e a menos de um mês da abertura das celebrações. O país é o habitat natural de duas espécies, o tigre-de-bengala e o tigre-siberiano.

Appaloosa/Divulgação
Tigre siberiano macho no Zoológico de Leipzig (Alemanha); 11 da espécie ameaçada morrem na China

Da Folha/Efe

 
  Postado às 16h36
 
|
  15/03/2010
  Austrália e Japão se enfrentam em reunião sobre caça às baleias
 

Um ex-primeiro-ministro neozelandês pediu a adoção de um compromisso para as normas mundiais sobre a caça às baleias, no reinício de uma conferência internacional sobre o tema, na Flórida.

Austrália e Japão, cujas relações ficaram tensas na véspera por causa de divergências, tiveram uma segunda rodada de reuniões a portas fechadas em St. Pete Beach, balneário da costa da Flórida (sudeste dos Estados Unidos).

Os participantes do encontro estudam uma proposta que permita a Japão, Noruega e Islândia caçar os cetáceos abertamente -- apesar de existir desde 1986 uma moratória contra a caça comercial da espécie --, mas que teria como objetivo reduzir o total de capturas nos próximos dez anos.

Geoffrey Palmer, ex-primeiro-ministro da Nova Zelândia -- país contrário à prática -- e que ajudou a redigir o compromisso da Comissão Baleeira Internacional (CBI), reconheceu que a proposta "não vai agradar todas as nações".

"Não é possível. É um compromisso", disse Palmer, de acordo com um texto publicado após a reunião. "As duas partes terão que fazer um sacrifício", reforçou. A Austrália, que também se opõe à caça de baleias, já anunciou que o compromisso é inaceitável e o Japão insinuou que não está satisfeito com seus termos.
O Japão mata centenas de baleias ao ano no Oceano Antártico, o que causa repulsa na opinião pública da Austrália e da Nova Zelândia, onde o avistamento de baleias é um passatempo popular.

Divulgação
Ex-primeiro-ministro da nova Zelândia pediu a adoção de um compromisso para as normas mundiais sobre a caça às baleias

Da Folha/France Presse

 
  Postado às 21h14
 
|
  15/03/2010
  Lagartixa híbrida mantém variedade genética
 

Há mais de 40 anos, Bill Neaves, era um jovem estudante de doutorado, que desvendou o aparecimento de uma espécie assexuada de lagartixa da família Teiidae, composta apenas por fêmeas. Ele descobriu que a lagartixa era um cruzamento entre a fêmea de uma espécie e o macho de outra.

Porém, o que o intrigava por muitos anos era como esta espécie composta apenas por fêmeas podia ser capaz de manter um alto nível de variação genética, uma contribuição para a adaptação evolutiva que normalmente ocorre por meio da reprodução sexuada.

Apesar de se reproduzir sem um parceiro macho, esta espécie de lagartixa tem uma forte presença na natureza. Aracely Lutes, estudante de graduação do Instituto Stowers de Pesquisa Médica, em Kansas City, no estado de Missouri, onde Neaves trabalha, descobriu a peça que faltava no quebra-cabeça. As descobertas foram publicadas na revista "Nature" desta semana.

Em uma espécie de lagartixa de reprodução sexuada, cada lagartixa possui 23 cromossomos por parte da mãe e 23 por parte do pai.

Durante a reprodução na espécie só de fêmeas, Lutes descobriu que os 46 cromossomos da mãe são duplicados, resultando em 92 cromossomos para cada célula-ovo.

Esses cromossomos formam pares com suas cópias idênticas e, após duas divisões celulares, um ovo maduro de 46 cromossomos é produzido.

Uma vez que o cruzamento durante as divisões celulares ocorre somente entre pares de cromossomos idênticos, a lagartixa que se desenvolve a partir do ovo não fertilizado será idêntica à sua mãe.

É por isso que esta espécie sobrevive há várias gerações. No entanto, ao contrário das espécies que se reproduzem sexualmente, "estas lagartixas provavelmente não evoluirão para uma espécie mais forte", esclarece Neaves.

Elas "podem se adaptar bem nos desertos do sudoeste [norte-americano], mas quando a próxima era do gelo chegar, é provável que sejam extintas", diz ele.

Divulgação
Lagartixa da família Teiidae (foto) se reproduz sem macho, e tem forte variação genética porque cromossomos da mãe se duplicam

Da Folha/New York Times

 
  Postado às 21h12
 
|
  15/03/2010
  Lixo plástico forma mancha no oceano Atlântico, dizem cientistas
 

Cientistas da Sea Education Association (SEA, na sigla em inglês) anunciaram a descoberta de uma região no Atlântico Norte onde detritos de lixo plástico parecem se acumular. A área está sendo comparada com a já bem documentada "grande mancha de lixo do Pacífico".

Kara Lavender Law, da SEA, disse à BBC que o tema dos resíduos plásticos vem sendo "amplamente ignorado" no Oceano Atlântico. Ela anunciou os resultados da pesquisa, feita ao longo de duas décadas, em um encontro científico em Portland, nos Estados Unidos.

"Nós encontramos uma região mais ou menos ao norte do Oceano Atlântico onde estes resíduos parecem estar concentrados e permanecem durante longos períodos", explicou Kara Lavender Law. "Mais de 80% dos detritos plásticos foram encontrados na região entre 22 e 38 graus norte. Ou seja, temos uma latitude onde o lixo parece se acumular", completou.

Estudo aprofundado

O estudo é o mais longo e aprofundado já feito para determinar a presença de resíduos de plástico nos oceanos. Cientistas e estudantes da SEA coletaram plásticos e outros resíduos marinhos em redes de malha fina arrastadas pelo barco de pesquisa.

As redes permaneceram parte submersas e parte fora da água, coletando assim resíduos e pequenos organismos da superfície marítima.

Os cientistas fizeram 6,1 mil reboques na região do Caribe e do Atlântico Norte, na costa americana. Mais da metade destas expedições revelaram pedaços de plástico flutuando na superfície da água --resíduos de baixa densidade usados na fabricação de diversos produtos, inclusive sacos plásticos.

O impacto deste acúmulo de lixo no ambiente marinho ainda não é conhecido, acrescentou Kara Lavender Law. "Mas nós sabemos que muitos organismos marinhos estão consumindo este plástico e também que isso tem um efeito adverso sobre aves marinhas em particular", disse a pesquisadora à BBC.

O estudo revelou também que os detritos plásticos são normalmente pequenos e não formam uma mancha heterogênea, ou seja, estão dispersos em uma grande área.

SEA/Divulgação
Cientistas e estudantes da SEA coletaram plásticos e outros resíduos marinhos em redes de malha fina

Da Folha/BBC Brasil

 
  Postado às 21h10
 
|
  15/03/2010
  Fóssil de bebê mamute está exposto no Museu de Chicago
 

O animal mostrado nas fotos abaixo parece, mas não é um elefante. Quem está nas imagens é Lyuba, uma filhote de mamute que morreu há cerca de 40 mil anos e que foi encontrada na Sibéria (Rússia), em 2007. Lyuba é considerada o fóssil de mamute mais bem preservado já encontrado.

As fotos de Lyuba receberam destaque na imprensa de Chicago, pois o museu Field, um dos principais da cidade americana, abrirá a exposição Mamutes e Mastodontes: Titãs da Era do Gelo, cuja principal estrela é Lyuba.

Sergey Grishin, diretor do museu russo Shemanovskiy, responsável pela preservação do fóssil, foi a Chicago acompanhar a abertura da exposição e contou ao jornal Chicago Sun-Times a curiosa história de Lyuba. De acordo com ele, Lyuba foi avistada por Yuri Khudy, um morador da Sibéria que voltava para casa em um trenó puxado por renas. Grishin viajou de trenó, a pé e de helicóptero para avisar aos responsáveis pelo Shemanovskiy que havia encontrado o fóssil. Como agradecimento, o museu deixou que Khudy escolhesse o nome do mamute, que acabou batizado de Lyuba, em homenagem a sua mulher.

Reprodução

G1

 
  Postado às 21h08
 
|
  15/03/2010
  Fotos de deputado ao lado de onça-pintada morta é investigada pelo Ibama
 

Imagens são verdadeiras, mas ele não matou o animal, diz gabinete.
Em risco de extinção, espécie tem caça proibida no Brasil.

Foram publicadas na internet fotos do deputado estadual Sandoval Cardoso (PMDB-TO) ao lado de uma onça-pintada abatida. Em uma das imagens, ele aparece segurando uma arma junto ao animal.

O gabinete do deputado – assim como ele mesmo confirmou que as fotos são autênticas, mas afirma que o animal, cuja caça é proibida por lei, por se tratar de espécie em risco de extinção, não foi abatida pelo político.

A assessoria do deputado disse que a foto tem cerca de 10 anos e estava na memória de um computador que foi roubado. A divulgação, segundo o gabinete de Cardoso, tem finalidade de prejudicar sua imagem.

"Entre as fotos de várias pessoas em poses semelhantes, só postaram as fotos do deputado, deixando claro que as acusações nada têm a ver com meio ambiente, mas sim com a questão política", diz, em nota, sua chefe de gabinete, Evailza Noleto.

O deputado não pode ser contatado pessoalmente pela reportagem do Globo Amazônia porque está em deslocamento numa região sem cobertura de telefonia.

Segundo a versão apresentada pelo gabinete do deputado, a onça foi morta por um funcionário da fazenda que Cardoso tem nas proximidades de Colinas do Tocantins, no norte do estado. O animal teria rondando a propriedade e teria atacado animais criados ali.

Reprodução
O gabinete de Sandoval Cardoso confirmou que o deputado tirou fotos com o animal abatido, mas negou que ele o tivesse matado.

O superintendente do Ibama no Tocantins, Joaquim Montelo, disse que o órgão ambiental vai investigar quando foi cometido o crime ambiental e se o deputado foi o autor. Caso a investigação aponte Cardoso como responsável, ele poderá ser multado e ainda enfrentará inquérito criminal, explica Montelo. Se a foto tiver mais de 5 anos, a infração já expirou e não é mais passível de punição.

Montelo explica que em nenhuma hipótese uma onça-pintada pode ser abatida, ainda que esteja rondando animais de criação. “Deve-se chamar a autoridade ambiental na região para recolher a onça e levar para outro local”, aponta.

Caso se confirme a versão de que a onça que aparece ao lado do deputado tenha sido abatida por outra pessoa, explica o superintendente do Ibama, Cardoso não poderá ser responsabilizado de nenhuma maneira, pois a lei não prevê, segundo Montelo, sanção por conivência com infração ambiental.

Reprodução
O gabinete de Sandoval Cardoso confirmou que o deputado tirou fotos com o animal abatido, mas negou que ele o tivesse matado.

G1/Do Globo Amazônia
 
  Postado às 21h06
 
|
  15/03/2010
  Proposta da ONU quer estocar gás-estufa no mar e render créditos carbono
 

Países em desenvolvimento poderiam receber fundos para reduzir emissões de gases do aquecimento global protegendo seus ecossistemas marinhos, é o que propõe Achim Steiner, chefe do PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), durante conferência em Bali, Indonésia.

"Florestas" de algas, manguezais e pântanos costeiros estocam naturalmente grandes quantidades de carbono, que acaba sendo liberado na forma de gases-estufa quando esses ambientes são destruídos. Para Steiner, uma combinação de investimentos públicos e privados poderia ser usada para mudar isso.

"Se eu creio que um dia veremos um mercado para estocagem de carbono com base nos oceanos? Eu diria que, a esta altura, por que não?", declarou ele. Segundo o chefe do PNUMA, a ideia poderia se inspirar nos planos para recompensar os países pobres pela manutenção de florestas que estocam carbono. Tanto no caso das matas quanto no de ambientes marinhos, países desenvolvidos poderiam trocar verbas de conservação pelo direito de emitir cotas de gases do efeito-estufa.

Universidade James Cook/Divulgação
Cardumes próximos à Grande Barreira de Coral da Austrália, maior recife do mundo

Da Folha/Reuters
 
  Postado às 21h04
 
|
  05/03/2010
  Nova campanha do Pick-upau: ‘O Planeta não está perdido’
 

Pick-upau chama atenção para a questão climática com alusão a série de TV

No início do ano o Pick-upau lançou uma enquete entre os internautas para saber qual tema eles gostariam que a organização abordasse durante o ano. O público pode escolher entre cinco temáticas: desmatamento (16%), tráfico de animais silvestres (18%), consumo consciente (25%) e aquecimento global (41%). A partir do resultado a organização iniciou as atividades do ano com uma campanha bem diferente.

Para chamar a atenção do público sobre as mudanças climáticas, o Pick-upau faz uma alusão à série norte-americana “Lost”, produzida nos Estados Unidos pela ABC Studios, e sucesso nos quatro cantos do mundo. A série conta as histórias de sobreviventes de um acidente aéreo que caem em uma ilha misteriosa.

“Queríamos passar a mensagem de que a questão do aquecimento global não é um problema dos outros [referência aos personagens que vivem na ilha], é um problema nosso também, por isso resolvemos mostrar a cara na campanha, assumir a responsabilidade e convidar as pessoas a participar dessa mobilização”, disse Pedro Isal, do Pick-upau.

“É fato que a COP15, realizada em dezembro de 2009, em Copenhague, na Dinamarca, foi um fracasso, realmente muito frustrante, mas não podemos nos abater e achar que tudo está perdido. Nós ainda temos tempo para escolher, ainda temos uma escolha e precisamos agir enquanto houver uma chance. As pessoas precisam entender que quando falamos em salvar o planeta estamos dizendo que queremos salvar a humanidade e todo o resto”, completa J. Andrade, Pick-upau.

No começo de janeiro uma matéria publicada no Jornal “Folha de São Paulo” falava sobre a estreia da sexta e última temporada da série nos Estados Unidos, que por acaso, coincidia com o discurso sobre o estado da nação, que o presidente Barack Obama faria. Mas o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, se antecipou negando que o pronunciamento atrasaria a exibição do primeiro episódio da temporada.

Fãs da série haviam se manifestado contrários pelo fato do discurso coincidir com a exibição do programa da emissora ABC, adiando o começo do episódio. A história chamou a atenção dos ativistas que resolveram brincar com a série e chamar atenção para o problema do aquecimento global. “Usamos um fenômeno da TV mundial para chamar atenção para outro fenômeno, que também acontece em todo o planeta, o aquecimento global”, diz Isal.

COP15

Nem mesmo os 120 chefes de Estado, que se reuniram em Copenhague (Dinamarca), durante a COP15, em dezembro de 2009, foram capazes de aprovar um plano comum para o clima do planeta acima de seus interesses. Muito pelo contrário, o que se viu durante os dias da convenção do clima, organizado pela ONU, foi um jogo de queda de braços, onde todos saíram como perdedores.

Os interesses econômicos foram protagonistas na maioria das discussões, nem mesmo os chamados ‘líderes mundiais’ como o presidente norte-americano Barack Obama puderam salvar as negociações. No último dia da cúpula o clima de frustração era nítido e ficou ainda mais evidenciado com a partida dos líderes para seus países sem dar declarações públicas ou ao menos sair na foto final.

O Chamado ‘acordo de Copenhague’, que foi acertado entre 30 dos cerca de 200 países que integram a Convenção do Clima, representa nada ou quase nada do que se esperava ou do que se precisava de fato. No acordo, ficou decidido que esforços devem conter o aumento do clima em menos de 2°C, mas sem investimento algum previsto. Em resumo a COP15 começou com nada e terminou com menos ainda.

O Pick-upau quer sua opinião. Participe!

Divulgação/Pick-upau
Cartaz da campanha "The planet is not Lost" com ativistas do Pick-upau.
 
Reprodução
Cartaz da sexta temporada da série norte-americana LOST.

Da Redação
 
  Postado às 14h46
 
|
  01/03/2010
  Quênia soltará milhares de zebras para servir de alimento a leões selvagens
 

O Parque Nacional Amboseli, no Quênia, realizou um levantamento de população de gnus (espécie de antílope africano) e zebras do local e constatou um grave declínio desses indivíduos que provoca grande desestabilidade na cadeia trófica. Leões e hienas estão com baixa oferta de alimento e acabam tornando o gado local suas presas, com isso os pecuaristas reagiram a tal fato matando os predadores.

Para contornar a situação o serviço de Vida Selvagem do governo elaborou uma alternativa para promover a homeostase entre os animais como também minimizar os conflitos da comunidade que vive no entorno do parque.

A proposta está dividida em fases, sendo que primeira ocorre em fevereiro e prioriza a captura de zebras, as outras fases deverão ocorrer até julho e inclui os gnus, cerca de 7.000 exemplares dessas duas espécies serão transportadas para Amboseli a fim de servirem como alimento.

As estimativas feitas pelas autoridades quenianas demonstram que em 2007, havia 12.411 gnus e 6.978 zebras e esse numero caiu para 3.023 gnus e 2.467 zebras na região. A principal causa dessa redução foi a forte seca, a mais grave dos últimos 26 anos, o gado também sofreu com essa climatologia, aproximadamente 80% do rebanho foi reduzido.

A ação dos pecuaristas contra animais selvagens pode prejudicar esforços governamentais de conservação e turismo, o parque Nacional é um pólo importantíssimo e um dos mais famosos do Quênia, essa problemática pode certamente acarretar redução nas populações de leões.

Serviço de Vida Selvagem do Quênia/Divulgação
Quênia soltará milhares de zebras para alimentar leões famintos

Da Folha/BBC Brasil
 
  Postado às 16h14
 
|
  01/03/2010
  ‘Zoo de Londres’ fica surpreso com apetite sexual de tartaruga de 70 anos
 

Uma tartaruga no zoológico de Londres tem chamado a atenção de especialistas e do público devido sua insaciável disposição sexual, a possível justificativa é que o macho de 70 anos apelidado de Dirty Dirk passou mais de um ano longe das fêmeas até chegar à capital da Inglaterra.

Tal fato tem levantado a hipótese de uma possível reprodução da espécie que se encontra ameaçado de extinção. O testunine do arquipélago de Galápagos convive atualmente com Dolores e Dolly de 14 e 16 anos, respectivamente, e seu apetite sexual tem causado estranheza, pois a época de acasalamento ocorre em períodos quentes do ano.

Os zoólogos apontam o desmatamento e a caça a expansão de predadores do Pacifico como os principais motivos do declínio desses animais e informam que entre as 14 espécies existentes na região três já estão extintas.

Charles Darwin estudou tais espécies quando ainda era um jovem pesquisador do Zoo de Londres - “Esses animais crescem a um tamanho imenso" – descreveu Darwin, posteriormente esses estudos o auxiliaram a desenvolver a teoria de seleção natural - "Muitas são tão grandes que são necessários seis ou oito homens para levantá-las do chão."- citou novamente sobre as tartarugas de Galápagos.

Zoológico de Londres/Divulgação
Tartaruga de Galápagos pesa quase 200 quilos

Do G1/BBC
 
  Postado às 16h11
 
|
  01/03/2010
  Aquário na Flórida faz ressonância magnética de tubarão vivo
 

Um tubarão batizado de Numero 3, residente do Aquário da Flórida é submetido a um exame de ressonância magnética para que os veterinários tentem chegar a uma conclusão sobre sua doença.

Conhecido por tubarão-galha-branca-de-recife (Triaenodon obesus), a espécie recifal chega a medir aproximadamente 1,5 metros, a espécie oceânica pode chegar até 4,5 metros de comprimento.

A veterinária Ganevieve Dumonceaux preparou o animal para a experiência pioneira de ressonância magnética feita em um tubarão vivo no mundo. O procedimento é realizado para diagnosticar mais precisamente a enfermidade e pretende expandir esse exame a outros animais marinhos.

Os sete especialistas envolvidos ainda analisam os resultados obtidos, suspeitam que o indivíduo observado, que já está doente há meses, tenha um objeto preso em seu esôfago.

Reprodução/G1

Do G1
 
  Postado às 16h09
 
|
  01/03/2010
  Americano constrói moto com pele e crânio de jacaré
 

Confeccionada com couro e crânio de um jacaré abatido pelas autoridades estaduais, a moto apelidada de “Gatorbike” que alcança até 193Km/h, pertence ao norte-americano Jim Jablon, 45, que decidiu rifá-la para angariar recursos para seu centro de reabilitação de animais selvagens em Hernando na Flórida, nos Estados Unidos. A moto custou a Jablon cerca de R$ 150 mil e cada número da rifa custa aproximadamente R$ 187,00.

Reprodução/G1
Sem nenhum motivo para sorrir: 'Psychrolutes marcidus' tem corpo gelatinoso e não é comestível, mas está sendo capturado junto com camarões e lagostas nas águas profundas entre Austrália e Nova Zelândia

Do G1
 
  Postado às 16h07
 
|
  01/03/2010
  Americano usa material dentário para ‘salvar’ bico de águia
 

A emissora de TV “KTUU” noticiou o auxilio que um dentista norte-americano desempenhou ao tentar reparar o dano no bico de uma águia encontrada em dezembro em Anchorage, no estado do Alasca (EUA).

Dr. Kirk Johnson, tentou ajudá-la, adaptando uma prótese para o animal a partir do material utilizado para confeccionar coroas de dentes humanos - "A águia careca é um animal fabuloso, e o bico é um material similar ao que estou acostumado a trabalhar", disse o dentista.

Possivelmente a ave fraturou o bico ao enroscá-lo em uma linha de pesca e assim quebrou as extremidades córneas que recobrem as maxilas. Apesar de a águia apresentar uma boa recuperação, será difícil sua reintrodução a natureza.

Reprodução/KTUU

Do G1
 
  Postado às 16h05
 
|
  01/03/2010
  Depois de se aproximarem a humanos, corujas relutam em voltar à natureza
 

A coruja da espécie Suindara (Tyto Alba) foi encontrada no interior paulista quando ainda era um filhote e encaminhada para o Hotel Fazenda Capoava em Itu, que mantém uma parceria com o Zoológico de Sorocaba com a finalidade de propiciar uma reintrodução de animais à natureza. Caracterizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) como área de soltura, existem 15 espaços como este em São Paulo.

A Suindara está fazendo sucesso tanto com funcionários quanto com os visitantes de Capoava, houve duas tentativas de soltura, mas ela se recusa voltar para a mata, está a cerca de sete meses como hóspede da fazenda e já demonstra um comportamento atípico deste grupo de aves, tem apresentado hábitos diurnos e familiaridade a comandos de voz humanos.

É comum avistar essa espécie de coruja em São Paulo, há registros em diversos parques da cidade entre eles o Ibirapuera como também ocorrência de outras espécies como a coruja-buraqueira (Athene cunicularia) no parque Villa Lobos. O biólogo da fazenda, Ayo Miranda, explica que o processo de soltura é bastante complicado e demanda de quatro até doze meses para que o animal tenha condições de caçar sozinho – "As pessoas acham que basta soltar o bicho e ele volta a viver facilmente na mata. Não é bem assim.", afirma Miranda.

A coruja é considerada apta ao retorna de vida livre quando consegue buscar sua presa a uma distancia aproximadamente de 20m, é um processo lento de estimular o animal voar mais longe e entender o que é comida. A Suindara que está na fazenda, é um macho que foi batizado de Joly e está morando com outros animais que não conseguiram serem reintroduzidas, entre eles, araras, tucanos, macacos, entre outros, na condição de cativeiro, nesse aspecto é considerado pelo IBAMA como criadouro conservacionista, com esta atuação existem cerca de outros 50 no estado de São Paulo.

Joly e os indivíduos de sua espécie possuem disco facial branco e em forma de coração, são exímias caçadoras, capazes de girar em até 270º o pescoço aumentando significativamente o campo de visão binocular especializados em observação noturna.

Divulgação

Da Folha
 
  Postado às 16h03
 
|
  01/03/2010
  Fotógrafo flagra golfinhos surfando na África do Sul
 

O Filme “golfinhos surfistas” é o novo trabalho do diretor americano Greg Huglin, 57. O trabalho que durou seis anos traz ao público imagens desses animais em ondas de até 7,5 metros de altura na África do Sul.

O jornal britânico “The Times” entrevistou o fotógrafo e cinegrafista sobre seu novo lançamento, Huglin contou que estava na África filmando tubarões brancos quando flagrou os golfinhos em ação.

Huglin dedicou-se três meses por ano para registrar os golfinhos nas ondas e não sabe ao certo qual explicação para tal comportamento dos cetáceos – “precisa ter motivo?”- ele indaga, mas garante que os animais se divertem surfando. Está disponível no site do fotógrafo, um trailer em inglês de sua produção.

Reprodução/G1
Americano dedicou três meses por ano durante seis anos para filmar e fotografar os animais

Do G1/BBC
 
  Postado às 16h01
 
|
  01/03/2010
  Depois de viver dois anos com lobos, britânico lança livro
 

O britânico Shaum Ellis lança o livro "The Man Who Lives With Wolves" ("O Homem que Vive com os Lobos"), em que narra sua própria interação com uma matilha por quase dois anos. A maneira como os lobos relacionavam-se foram estudadas e observadas por aproximadamente sete anos vivendo em uma tribo americana em Idaho (EUA) e então conseguiu inserir-se meio aos animais selvagens .

O primeiro contato de Ellis com lobos foi em um zoológico - "Nesse animal em que a maioria das pessoas vê um matador selvagem e impiedoso, eu vi um ser compassivo e muito ligado à família. Para mim havia algo além do mito, da lenda. (...) Então, “minha missão passou a ser desvendá-lo”- disse ao programa “Outlook” do Serviço Mundial da BBC.

Ele descreve suas experiências no momento da alimentação -"Eu percebi logo que os lobos se dividem pelo que comem. Cada grupo de animal come uma parte diferente da caça. Os animais alfa, os líderes, iriam sempre comer o coração, o rim e o fígado. (...) Para mim sobrava tórax, pescoço etc.”. O cientista comentou que ingeria a caça ainda crua como restante da matilha -“Depois de passar a maior parte da semana sem comida, acredite, isso pode ser a melhor coisa que você já comeu na vida" completa.

Ellis relata momentos de medo e o receio de ser atacado no período noturno - "Com o passar dos dias, semanas, meses, anos, o medo se transformou num saudável respeito pelos lobos. Para mim, havia uma linha tênue entre ser aceito e ser expulso do grupo, ou até mesmo ferido ou morto". Houve um episódio em que um dos lobos o impediu de tomar água no rio de maneira agressiva, mordendo-lhe partes do corpo, o mesmo lobo posteriormente lambeu seu rosto e o conduziu até o aquele rio, o britânico notou sinais de um possível urso que havia passado naquela região - "Então, na verdade, aquele lobo salvou minha vida", lembra.

Após a experiência regressou para o Parque de Vida Selvagem Combe Martin na Inglaterra e adotou três filhotes de lobos assumindo a postura de líder. Ellis compara a hierarquia da matilha com sua própria família - "Fui criado pelos meus pais e também pelos meus avôs, assim como os lobos são. Isso parece criar aquele equilíbrio natural, em que os menos experientes ganham experiência e conhecimento por ter um animal mais velho para guiá-los". O cientista desabafa ao dizer o quanto foi difícil retomar a vida civilizada e deixar a família de lobos -"Levou meses até que eu voltasse a ter qualquer interesse na humanidade, afirma.

Divulgação
O britânico Shaun Ellis narra em parceria com Penny Junor suas experiências com lobos, com os quais conviveu por dois anos

Da Folha/BBC Brasil
 
  Postado às 15h55
 
|
  01/03/2010
  Felino passa por tomografia computadorizada em zoológico de Taiwan
 

Uma fêmea de leopardo de 16 anos, que vive no zoológico de Taipé, capital de Taiwan, é submetida pela segunda vez a uma tomografia computadorizada (TC). O felino denominado Meili, possuía um tumor na região torácica de aproximadamente 40 cm, que no ano passado depois de localizado, foi removido através de procedimento cirúrgico.

A tomografia computadorizada é um procedimento rápido, dura em média 5 minutos, trata-se de uma exposição do corpo sucessiva de raios X, com a finalidade de complementar um diagnóstico. Recentemente um tubarão do zoológico da Flórida, foi submetido pela primeira vez a uma ressonância magnética, que dura em torno de 30 minutos e auxilia em exames de tecidos moles, no caso a cartilagem, enquanto a TC é mais efetiva para estruturas ósseas.

Zoo de Taipei / Reuters
Mais um bicho sob cuidados médicos de primeira linha - Meili, de 16 anos, teve um tumor retirado ano passado

Do G1/Reuters
 
  Postado às 15h53
 
|
  01/03/2010
  Tailândia pinta elefantes como tigres para festejar o Ano Novo chinês
 

O Ano Novo lunar começou no dia 14 de fevereiro e em comemoração, na Tailândia alguns elefantes foram pintados de tigres. A celebração aconteceu na cidade histórica de Ayutthaya em que os elefantes juvenis, Plai Panlaan e Plai Noppokhao de 5 e 7 anos de idade respectivamente, foram pintados em homenagem ao Ano do Tigre.

Reprodução/G1

Do G1
 
  Postado às 15h50
 
|
  01/03/2010
  Helicóptero lançará 42 toneladas de veneno contra rato em ilha paradisíaca
 

Um plano de erradicação de ratos está previsto para ocorrer em 2012 na Ilha de Lord Howe, na Austrália. Considerada Patrimônios da humanidade na lista da UNESCO, a ilha de aproximadamente 57 km² sendo desta, dois terços de áreas protegidas e reserva marinha.

De acordo com informações da TV Sky News os ratos são os prováveis causadores do extermínio de espécies de aves nativas e um perigo para o restante da vida silvestre do local, é provável que tenham conseguido chegar à ilha através de um barco em 1918 e desde então se multiplicaram incontrolavelmente.

A operação está marcada para agosto de 2012, a prefeitura anuncia que 42 toneladas de veneno serão lançadas sobre a ilha através de helicópteros que farão a distribuição em áreas não habitadas e manualmente em áreas habitadas.

Um plano de manejo foi estabelecido para os animais de vida livre, domesticados e também de instrução as crianças, esse programa nunca antes foi executado em local habitado. Lord Howe abriga uma população de cerca de 350 pessoas.

Lord Howe Island Tourism Association
Roedores chegaram em um a barco à ilha em 1918. Desde então, a população se multiplicou e exterminou cinco espécies de aves

Do G1/BBC
 
  Postado às 15h48
 
|
  01/03/2010
  ONG alerta sobre perigo de extinção para 25 espécies de primatas
 

Relatório divulgado pela União Mundial para a conservação da Natureza ((IUNC) em parceria com diversas organizações de defesa da biodiversidade, alerta sobre a situação de risco que se encontram os primatas em todo o mundo.

De acordo com a pesquisa, vinte e cinco espécies podem desaparecer caso medidas de proteção não sejam tomadas, cinco estão em Madagascar, seis no continente africano, onze na Ásia e três na América do Sul e Central. Entre os primatas mais ameaçados estão o langur-de Cat Ba (Trachypithecus poliocephalus), com cerca de 70 indivíduos, gibões de crista negra (Nomascus nasutus) com aproximadamente 110 espécimes, ambos nativos da região nordeste do Vietnã; lêmures (Lepilemur septentrionalis) de Madagascar com uma população inferior a cem e o gibão-de-hainan (Nomascus hainanus) da China que é considerada a espécie mais rara.

Simon Stuart, presidente da Comissão de Sobrevivência das Espécies da IUCN, declarou à Agência France Presse, que não são as espécies com menor número de indivíduos que correm maior risco e sim os primatas que tem perdido seu habitat e que são vítimas da caça – “os chineses já aplicam medidas de conservação muito rigorosas” completou Stuart.

O relatório apresentado no zoológico de Bristol, no Reino Unido, mostrou o aumento de 25% das espécies classificas em risco na lista vermelhas em 2007 para 48% atualmente. Russell Mittermeier, presidente do grupo de especialistas sobre primatas da IUCN, declarou - "os primatas pertencem aos grupos de vertebrados em maior perigo".

Haverá no Japão, em outubro, com a assistência da ONU (Organização das Nações Unidas) a convenção sobre a Biodiversidade, e os protetores de primatas mobilizam-se para participar. A intenção dessa lista de 25 espécies ameaçadas segundo, Mittermeier, é "chamar a atenção do público, incitar os governos a fazer mais, e, em particular, encontrar meios de aplicar medidas de proteção urgentes".

Divulgação
Langur de Cat Ba, do nordeste do Vietnã, mais ameaçado primata; ONG alerta sobre perigo imediato de extinção para 25 espécies

Da Folha/G1/France Presse
 
  Postado às 15h45
 
|
  01/03/2010
  Capivara de estimação tem páginas no Myspace e no Twitter
 

Melanie Typaldos, moradora do estado do Texas, nos Estados Unidos, mantém em sua residência na cidade de Buda, uma capivara de estimação. O animal nomeado de Caplin Rous ganhou espaço na web com suas próprias páginas nas plataformas de comunicação Myspace e também Twitter. De acordo com o jornal “Los Angeles Times”, a família norte-americana adquiriu a capivara após uma viagem para a Venezuela.

Divulgação
Melanie Typaldos com a capivara chamada 'Caplin Rous'

Do G1
 
  Postado às 15h40
 
|