São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  21/10/2010
  Mudança climática causa êxodo inédito de morsas para a costa do Alasca
 

Pesquisadores do Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS) monitoraram morsas, após cientistas citarem o primeiro êxodo em massa de milhares delas no Ártico. Os animais estão se movendo das áreas geladas para terras firmes no Alasca.

Para o monitoramento, os pesquisadores utilizaram etiquetas eletrônicas que geram sinais captados por satélites, e puderam observar que entre 10 a 20 mil animais (maioria mães e filhotes) estão agora se reunindo no mar de Chukhi.

Um alerta feito por cientistas sobre a ameaça de extinção desses animais por conta das mudanças climáticas, pode ser reforçada com o acontecido.

O gelo do Ártico reduziu-se a seu recorde mais baixo devido ao aumento da temperatura, que no local é duas vezes mais rápida que no resto do mundo gerando assim um aumento de dióxido de carbono (CO2) que pode levar a queda de 40% da população de morsas e mais 17 espécies (baleias, ursos polares e raposas) até 2095 e segundo projeções da USGS o mar de Chukhi estará completamente sem gelo até o fim desse século.

USGS/Reprodução
Mar de Chukchi, entre Rússia e Alaska; entre 10 mil a 20 mil morsas abandonaram áreas geladas para viver em terra firme

Da Folha
 
  Postado às 10h52
 
|
  21/10/2010
  Pesquisa quer verificar influência da areia do Saara na temperatura atmosférica
 

Imagens capturadas pelo satélite ESA da agência espacial europeia, mostraram como a areia e a poeira do deserto do Saara se movem em direção ao norte do oceano Atlântico atravessando a África e chegando até Cabo Verde. Além de se moverem para lugares bem distantes como a América do Sul, ajudando na fertilização da Floresta Amazônica.

O Saara é responsável por metade da poeira que circula anualmente na atmosfera terrestre, e essa poeira pode ser usada na absorção de radiação solar, tanto convertendo –a em calor como mandando- a de volta ao espaço e criando um efeito de resfriamento.

Com base nesses dados, a Universidade do Alabama, em Huntsville, nos EUA, divulgou um projeto de três anos que tem por objetivo descobrir o efeito da areia e da poeira na temperatura atmosférica terrestre.

"Uma coisa que queremos fazer é calcular a ação refletora da poeira e talvez esse dados coletados poderão substituir as atuais teorias sobre o assunto ", disse o líder da pesquisa, Sunder Christopher.

Douglas Kim/Divulgação
Areia e poeira do deserto do Saara se movem com regularidade para lugares tão distantes como a América do Sul

DA NEW SCIENTIST

 
  Postado às 10h47
 
|
  21/10/2010
  Pandas gêmeos nascem em cativeiro no Japão
 

O parque Adventure World, em Wakayama, reuniu a imprensa para apresentar dois filhotes de urso panda gigante de 760 e 682 gramas, fruto do casal Rauhin e Eimer, que viraram astros no Japão.

O Centro japonês comemorou o fato, já que além de serem gêmeos nasceram de inseminação natural, fato raro de acontecer em pandas de cativeiro, pois geralmente perdem o interesse por sexo após serem aprisionados.

Fora da China, o centro Wakayama é o mais bem sucedido, com dez nascimentos. Calcula-se que existam 1,6 mil pandas selvagens, onde a maior parte se encontra nas montanhas de Sichuan, na China e cerca de 210 pandas estão em cativeiro.

Reprodução / BBC

Da Folha/BBC
 
  Postado às 10h44
 
|
  21/10/2010
  Fotógrafo recebe prêmio por imagem do encontro entre beija-flor e víbora
 

A organização inglesa CIEWEM, contemplou o húngaro Bence Maté, 25 anos, com um dos prêmios de fotografia do Meio Ambiente de 2010.

O húngaro ganhou na categoria “Mundo Natural” ao capturar um beija-flor enfrentando uma víbora verde pronta para dar o bote.

Reprodução / The Sun
No último Sustentar, crianças receberam informações sobre sustentabilidade

Do G1
 
  Postado às 10h45
 
|