São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  17/09/2011
  Desmatamento da Amazônia em julho é 54% menor que há um ano, diz INPE
 

Foi divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, o relatório referente ao mês de julho, do Sistema de Monitoramento do Desmatamento em Tempo Real na Amazônia Legal (DETER).

O relatório mostrou que foram detectados 224,9 km² de floresta desmatada. A área derrubada equivale a 140 vezes o Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Apesar de o índice ser alto, ficou 54% menor que o índice de julho do ano passado e 28% menor que o de junho de 2011.

O Pará foi o estado com maior índice de devastação, foram detectados 93,7 km² de floresta derrubada. Em segundo lugar ficou Rondônia com 52,4 km², seguido por Mato Grosso com 51,4 km².

Uma pequena parte (7%) da região não pode ser observada, pois como é época de seca em grande parte da Amazônia uma cobertura de nuvens atrapalhou a visualização.

Luciano Dias - Ibama / Divulgação

 

Como é de costume, o Instituto ressaltou que devido à cobertura de nuvens que varia de um mês para o outro e a resolução dos satélites, os dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER) pode não apresentar medição exata do desmatamento mensal na região.

O principal objetivo do sistema é a geração de informações para orientação da fiscalização ambiental no local.

Na imagem acima, trator que estava sendo usado para derrubar floresta em São Félix do Xingu (PA), por meio do método do correntão, que consiste numa corrente de elos grossos que é puxada por máquinas para cortar a vegetação. Abaixo, o correntão estendido no terreno, visto do alto. O trator foi apreendido pelo Ibama. (Foto: Luciano Dias - Ibama / Divulgação)

Do Globo Natureza

 
  Postado às 19h48
 
|
  17/09/2011
  Grupo de tubarões é flagrado devorando carcaça de baleia
 

De acordo com reportagem do jornal “Townsville Bulletin", um grupo de tubarões-tigre foi flagrado em Palm Island, Austrália, atacando uma baleia. O grupo era formado por cerca de 10 tubarões e alguns chegavam até quatro metros de comprimento.

Roland Coutts, morador do local, estava pescando na baía quando avistou os tubarões devorando a carcaça. Ivy Fulford, que estava com Coutts na embarcação, em princípio, achou que a carcaça de baleia fosse uma rocha.

Reprodução/Townsville Bulletin

Grupo de tubarões-tigre foi flagrado devorando a carcaça de uma baleia.

"No começo pensei que fosse uma pedra grande, mas depois vi os grandes tubarões", disse Fulford, e disse também que nunca tinha visto tubarões daquele tamanho. "Alguns dos tubarões eram quase do tamanho do meu barco", finalizou Coutts.

Do G1

 
  Postado às 19h45
 
|
  17/09/2011
  Lago 'cor de sangue' gera debate sobre fim dos tempos nos EUA
 

No Texas um lago cujas águas ficaram vermelhas e os peixes morreram recentemente virou polemica religiosa no EUA. Foi postado por um pastor de Indiana um vídeo do lago no Youtube, onde ele sugere que o acontecimento tenha relação com fim dos tempos.

“Não digo que este lago do Texas seja uma revelação das Escrituras, mas o que quero dizer é que as profecias da Bíblia estão lentamente se concretizando em meio a uma revelação do fim dos tempos – que precisamos ser certos, precisamos ser salvos, precisamos renascer para encontrar o Rei que vem vindo”, diz o pastor no vídeo.

O pastor ainda cita uma passagem do Apocalipse: “O segundo anjo derramou a sua taça no mar, que se tornou em sangue como de um morto, e morreu todo ser vivente que estava no mar.”

De acordo com a autoridade de parques e pesca do Texas, o OC Fisher é um lago artificial que está praticamente vazio por causa da seca que está acometendo o Estado. Segundo as autoridades, a mudança da cor da água e a mortandade dos peixes são devido à falta de oxigênio e a reprodução acelerada das bactérias da família Chromatiaceae, que se beneficia com falta do gás.

Acredita-se que com a chegada das chuvas a cor da água voltará ao normal. Já a população de peixes, que será introduzida artificialmente levará até quatro anos para se recuperar.

Texas Parks and Wildlife Inland Fisheries/Divulgação
Lago OC Fisher está próximo de secar completamente.

Do Globo Natureza

 
  Postado às 19h40
 
|
  17/09/2011
  'Supergene' faz borboleta da Amazônia mudar asas para proteção
 

Um estudo publicado na edição online da revista “Nature” desvendou o misterioso mimetismo de uma espécie de borboleta da Amazônia que imita nas asas o desenho de congêneres venenosos para se proteger. O estudo se baseia na análise de um “supergene”. "Este fenômeno tem intrigado cientistas há séculos, inclusive o próprio Darwin", afirmou Richard French-Constant, da Universidade de Exeter, do Reino Unido.

"Nós realmente ficamos impressionados com o que descobrimos", complementou Mathieu Joron, do Museu Nacional de História Natural de Paris, que dirigiu as pesquisas da equipe franco-britânica.

Reprodução/PLos Biology
As duas primeiras fileiras mostram borboletas da espécie Heliconus numata; na terceira fileira é possível ver dois exemplares da espécie Heliconus melpomene e na última fileira se encontram duas borboletas da espécie Heliconus erato

A Heliconus numata, borboleta amazônica, possui complexos desenhos em suas asas que as permitem imitar seis espécies de borboletas venenosas (Melineae) com sabor amargo e desagradável para as aves. Elas transmitem às suas descendentes esta proteção contra os predadores.

Herança
Mathieu Joron explicou que o “supergene” está localizado em um único cromossomo e compreende cerca de 30 genes que juntos controlam algumas característica, entre elas a cor das asas que são transmitidas em blocos à geração seguinte.

Ele ainda afirmou que a “manutenção de boas combinações”, que viabiliza a imitação das espécies venenosas se deve a um "mecanismo quase inesperado".

A ordem dos genes dentro do “supergene” varia nas Heliconus que apresentam desenhos diferentes. “Uns estão de costas para os outros”, fato que "suprime o processo natural de recombinação genética" na reprodução sexuada, explicou Joron.

Sendo assim, "os genes se comportam como blocos colados", evitando as formações intermediárias, perdendo a vantagem do mimetismo. Já era conhecido em outras espécies, como as flores primaveras e na camuflagem das mariposas, a existência dos grupos coordenados de genes que formam o supergene.

Da France Presse/G1

 
  Postado às 19h35
 
|
  17/09/2011
  Passageiro é preso com cobras escondidas na calça nos EUA
 

No aeroporto de Miami, na Flórida (EUA), um passageiro foi preso tentando embarcar com sete cobras dentro da calça. Além das cobras, agentes da Administração de Segurança nos Transportes (TSA) também acharam três tartarugas pequenas, escondidas nas meias.

O passageiro foi preso na hora e acusado de violar a lei que trata da importação de animais exóticos, a Lei Lacey. De acordo com a emissora “CBS” ele poderá pegar até cinco anos de prisão.

Divulgação/TSA

Suspeito escondeu sete cobras em sua calça.

 
Agentes também encontraram três pequenas tartarugas.

Do G1

 
  Postado às 19h32
 
|
  17/09/2011
  Ouriço é encontrado entalado em tronco de árvore no Reino Unido
 

Segundo o jornal inglês “Daily Mirror”, veterinários levaram 45 minutos para socorrer um ouriço selvagem que estava entalado no tronco de uma árvore. O animal teve que ser levado a uma clínica em Nottingham, Reino Unido. Depois de recuperado, o ouriço foi devolvido ao local onde foi achado.

Reprodução/Mirror
Ouriço foi encontrado entalado em tronco. O animal passou a noite na clínica veterinária. No dia seguinte, após estar totalmente recuperado, ele foi solto na mesma área onde foi encontrado.

Do G1

 
  Postado às 19h28
 
|
  17/09/2011
  PF faz operação contra comércio ilegal de aves no interior de SP
 

A polícia Federal promoveu uma operação contra o tráfico de aves silvestres no interior de São Paulo e Minas Gerais.

Trinta e oito mandados de busca e apreensão foram expedidos em 19 cidades nas regiões de Jales (585 km de SP), Sorocaba (99 km de SP) e Uberlândia (533 km de Belo Horizonte).

A operação é uma ação conjunta entre cerca de 130 policiais federais e militares e servidores do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis).

Mais de 60 aves foram apreendidas e quatro pessoas foram presas desde o início das investigações há alguns meses.

O início das investigações se deu quando a PF se deparou com animais silvestres sendo capturados em matas na região de Jales e de cidades próximas para serem vendidos.

Os grupos de traficantes falsificavam e/ou adulteravam as anilhas obrigatórias nas aves silvestres fornecidas pelo IBAMA, a fim de facilitar o transporte e a comercialização.

Um grupo que atuava em Jales e Santa Fé (625 km de SP) e outro na região de Sorocaba foram identificados pela investigação. Um grupo era responsável pelo comércio e transferência dos pássaros e o outro era responsável pelas anilhas.

Alguns criadores de aves autorizados pelo IBAMA também estão sendo investigados, sob a suspeita de que forneciam as anilhas para “regularização” dos pássaros capturados ilegalmente.

Os quatro suspeitos que foram presos estavam em Paranapuã (606 km de SP) em posse das anilhas adulteradas e as ferramentas para fazer a adulteração.

Eles estão sendo acusados sob a suspeita de crime contra a fauna, formação de quadrilha e falsificação de selo público.

Divulgação/PF
Pássaro apreendido pela Polícia Federal tinha anilha do Ibama falsificada

G1

 
  Postado às 19h25
 
|
  17/09/2011
  Tartaruga é flagrada sobre as costas de jacaré em zoo americano
 

Connie Lemperle, morardora de Ohio, fotografou uma cena curiosa no zoológico de Cincinnati, Ohio (EUA). Ela flagrou uma tartaruga sobre as costas de um aligátor (jacaré americano), como mostrou o jornal inglês “Metro”.

Reprodução
Tartaruga foi flagrada sobre as costas de um aligátor

Da BBC

 
  Postado às 19h20
 
|
  17/09/2011
  Inpe registra desmatamento de 312,7 km² em junho na Amazônia Legal
 

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – l INPE noticiou os resultados do relatório de junho, de seu Sistema de Monitoramento de Desmatamento em Tempo Real da Amazônia Legal (DETER). O relatório divulgou que foram detectados 312,7 km² de área desmatada. Área correspondente a 195 vezes o Parque do Ibirapuera.

O índice ficou 28,3% maior que o de junho do ano passado, quando foi registrado 243,7 km² de desmatamento e também ficou 16,7% maior que o de maio deste ano, quando o índice alcançado foi de 267,9km².

O Pará, em junho, teve o maior índice entre os estados que mais desmatam. Lá foram detectados 119,6 km² de área desmatada, mais de um terço do total. Quando comparado a maio, houve um aumento de 82,5%. Parte deste aumento pode se dever ao fato da diminuição da cobertura das nuvens na região, já que em maio 40% do Estado estava encoberto e em junho apenas 20% estava coberto.

O segundo estado com a maior área desmatada foi Mato Grosso, com 81,5 km² de florestas derrubadas em junho. Esse índice teve uma queda se comparado a maio, quando foi observado 93,7km² de áreas devastadas.

Como de praxe, o Instituto, sediado em São José dos Campos (SP), ressaltou que devido à cobertura das nuvens ser variável de um mês para o outro e a resolução dos satélites, os dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER) pode não ser exato.

A principal função do sistema é a geração de dados para orientações na fiscalização ambiental no local.

Divulgação/Ibama
Desmatamento de 12 km² flagrado em junho em Altamira, no Pará.

Do Globo Natureza

 
  Postado às 19h18
 
|