São Paulo, SP – Brasil
 
  +Blog da Pick-upau
   
  19/12/2011
  Homem é preso por jogar ilegalmente 1 milhão de pneus velhos
 

Um homem pegou uma sentença de quinze anos de cadeia por ter descartado ilegalmente mais de 1 milhão de pneus velhos em quatro regiões afastadas no Reino Unido.

De acordo com o “Guardian”, Carl David Steele jogou os pneus em Essex, Lincolnshire, Norfolk, Yorkshire e Worcestershire, desde 2009 para não precisar pagar as taxas que as cooperativas de reciclagem oficiais cobram. Estes centros recolhem anualmente 55 milhões de pneus.

A Agência Ambiental encontrou primeiramente cerca de 3.000 pneus, que aumentaram para 400 mil, e então começaram uma investigação que chegou a encontrar 800 mil unidades.

Tal apreensão ultrapassou os 175 mil pneus e as 290 toneladas utilizadas na fabricação deles em 2009.

A combustão do pneu libera gases perigosos à saúde humana, gerando um grave problema ambiental.

O descarte ilegal de pneus gera uma pena de cinco anos de prisão.

Reprodução/The Guardian

Homem observa fila formada por pneus jogados ilegalmente em quatro regiões remotas do Reino Unido.

Do G1

 
  Postado às 17h37
 
|
  19/12/2011
  Microscópio revela 'rosto assustador' em minúsculo animal aquático
 

A exposição 'Incredible Inner Space' organizada Centro de Pesquisa Microscópica e de Microanálise da Austrália, mostrou uma imagem feita com microscópio de um minúsculo animal aquático. O animal é um briozoário que vive em colônias sendo participante da construção dos recifes. A imagem revelou que ele possui um “rosto assustador”.

A exposição tem o objetivo de mostrar a beleza de trabalhos científicos realizados em uma rede de laboratórios das universidades ao redor do país.

Além das belas imagens, os organizadores da exposição buscam o conhecimento e contam uma história. "A análise de materiais em escalas microscópicas e atômicas é fundamental em áreas como medicina, engenharia e arqueologia", contam os organizadores.

A imagem espantosa do briozoário faz parte de uma pesquisa realizada na Universidade de Sydney, por David Salt, onde analisa os esqueletos atuais para identificar melhor as formas fossilizadas dos seres aquáticos.

As aberturas do esqueleto permitem que os alimentos cheguem até o animal que está ali dentro.

David Salt/Universidade Nacional da Austrália

O 'assustador' briozoário vive em colônias e participa da construção de recifes.

Da Folha de São Paulo
Da BBC

 
  Postado às 17h34
 
|
  19/12/2011
  Cientista descobre quatro novas espécies de borboletas no México
 

A partir de uma análise de DNA descobriu-se que quatros espécies de borboletas tinham sido classificadas erroneamente no México.

Devido à grande variedade de cores e formatos encontrados, tanto no inseto quanto na larva, a classificação das borboletas é uma tarefa bem complicada, por isso não é interessante se basear apenas em uma análise visual.

Carmen Poso, cientista, utilizou o DNA para analisar novamente a classificação de 579 espécies da família Nymphalidae e então descobriu-se que quatro delas estavam inseridas na espécie errada.

Os resultados foram divulgados na revista “PloSONE”.

Prado BR, Pozo C, Valdez-Moreno M, Hebert PDN

Dois exemplares de duas das quatro novas espécies descobertas pelo DNA

Do G1

 
  Postado às 17h31
 
|
  19/12/2011
  Sobe para 108 o número de animais encontrados mortos em praias de SC
 

A Polícia Ambiental em conjunto com biólogos e pesquisadores da Universidade do Vale de Itajaí (UNIVALI), em Santa Catarina, analisam a morte de 108 animais marinhos registrada na segunda metade de outubro no litoral do Estado. Acredita-se que pescadores estejam utilizando métodos ilegais para pescar e causando a morte de tantos animais.

Em oito dias (21 até 29 de novembro) as mortes pularam de 31 para 108, dentre os animais encontrados tem-se tartarugas, golfinhos, botos e baleias. De acordo com as informações divulgadas pelo Museu Oceanográfico da UNIVALI, as mais afetadas são as tartarugas-verdes (Chelonia Mydas), já foram encontrados 90 exemplares sem vida nas praias catarinenses, sobretudo o centro-norte do litoral.

“Temos trabalhado na criação de um mapa exato das ocorrências, a partir de informações dos envolvidos nos trabalhos de busca e também de moradores que telefonam denunciando os locais onde foram encontrados os animais”, afirmou Jules Marcelo Rosa Soto, curador do Museu.

Pesca ilegal

O monitoramento de animais marinhos na região se iniciou há mais de dez anos, e essa é a primeira vez que ocorre essa alta densidade de perdas. “Temos a suspeita de que os pescadores estão utilizando redes de malhas finas próximo à costa. Isso pode fazer com que os animais fiquem presos”, explicou Rosa Soto.

De acordo com a legislação ambiental, a pesca malha fina é proibida no Brasil.“Mas vamos aguardar o nosso relatório que vai averiguar de fato o que tem acontecido”, assegura.

Foram encontrados, além das 90 tartarugas, golfinhos-cinza (Sotalia guianensis), 12 botos (Tursiops truncatus), conhecidos como "boto flíper" ou "boto da tainha", uma baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae), uma baleia-minke-antártica (Balaenoptera bonaerensis) e uma toninha (Pontoporia blainvillei).

Divulgação/Univali

Golfinho-nariz-de-garrafa que apareceu morto em praia de Balneário Camboriú.

 
Exemplar de tartaruga-verde (Chelonia mydas) encontrado morto por pesquisadores em praia de Santa Catarina.

Do Globo Natureza

 
  Postado às 17h28
 
|
  19/12/2011
  Britânico toca Beethoven para elefantes cegos na Tailândia
 

Um vídeo postado no Youtube mostra um britânico de 50 anos que levou seu piano a uma montanha da Tailândia e tocou Beethoven para elefantes cegos. O vídeo já teve mais de 12 mil acessos.

Conforme informou o jornal “Mail Online”, Paul Barton sonhava em realizar este projeto a muitos anos, desde que sentou pela primeira vez atrás de seu piano a poucos metros de distância dos mamíferos e tirou as primeiras notas da composição Pathetique Sonata, de Beethoven.

O principal objetivo dele é tentar sensibilizar a sociedade e arrecadar fundos para a causa dos elefantes cegos, que hoje residem em um santuário da vida selvagem nas montanhas Kanchanaburi, próximo a Bangcoc.

Borton disse que pretende fazer um show junto com os elefantes, a fim de levantar fundos para comprar uma cerca elétrica.

Reprodução/YouTube

O britânico Paul Barton toca piano a poucos metros de elefantes cegos, que estão em santuário da vida selvagem na Tailândia.

Do Globo Natureza

 
  Postado às 17h25
 
|
  19/12/2011
  Astronautas fazem foto das camadas da atmosfera da Terra
 

Astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional conseguiram tirar uma foto, no dia 31 de julho, que mostra as últimas camadas da atmosfera terrestre e a Lua. A imagem foi divulgada pela NASA.

A troposfera é a parte alaranjada, ela é mais baixa e densa e é nela que vivemos. A estratosfera é a camada branco-acinzentada e a faixa marrom é denominada “tropopausa”, uma transição entre a camada branca e a acinzentada da estratosfera. A mesosfera e a termosfera, últimas camadas, estão no azul que se estendem até o preto do espaço aberto.

Earth Observatory/Nasa

Fotografia feita pelos astronautas a bordo da ISS

Do G1

 
  Postado às 17h23
 
|
  19/12/2011
  Corvos fazem gestos e usam objetos para se comunicar, diz estudo
 

Uma pesquisa do Instituto Max Planck de Ornitologia, de Seewiesen, na Alemanha, e da Universidade de Viena, na Áustria, mostrou que os corvos são capazes de se comunicar a partir de gestos e até apontar e mostrá-los uns para os outros. A pesquisa foi publicada na revista “Nature Communications”.

As observações dos pesquisadores mostraram que as aves selvagens utilizam o bico para mostrar e oferecer coisas, como musgos, pedras e gravetos. Geralmente os gestos estão direcionados a aves do sexo oposto e resulta em uma interação entre eles, como utilizar objetos em conjunto.

De acordo com os autores da pesquisa, é a primeira vez que gestos são observados fora do grupo dos primatas. Os cientistas consideram os animais da família dos corvos inteligentes, devido a resultados de testes anteriores.

“Os estudos de gestos focaram as habilidades comunicativas só dos primatas durante muito tempo. O mistério das origens da linguagem humana, no entanto, só pode ser solucionado se olharmos em uma esfera maior e considerarmos também a complexidade dos sistemas de comunicação de outros grupos de animais”, afirma Simone Pika, cientista do Instituto Max Planck.

Thomas Bugnyar/Divulgação

Corvos pegam pedras com o bico e fazem gestos para se comunicar.

Do G1

 
  Postado às 17h21
 
|
  19/12/2011
  Jardim Botânico Plantarum é aberto ao público
 

Pessoas interessadas no universo botânico podem desfrutar de um centro de referência em flora brasileira, situado em Nova Odessa, a 40 km de Campinas - SP.

O Jardim Botânico Plantarum foi aberto ao público no dia 12 de novembro e oferece uma área visitável de 80 mil m2, equipada com estacionamento interno arborizado, restaurante, lanchonete, empório e centro de eventos.

Na área de visitação não há degraus, o que torna agradável a visita de pessoas com mobilidade reduzida ou com carrinhos de bebê. Além dos mais de 4,6 km de acessos pavimentados é permitido andar no gramado!

No acervo botânico vivo do Jardim Botânico Plantarum se encontram exemplares de mais de 3600 espécies de plantas. Só de arvores nativas do Brasil, são mais de 800 espécies. Pode-se apreciar a vitória-régia (Victoria amazonica), emergindo no Lago da Ninfa.

Dali a poucos metros encontra-se a raríssima Butia leptospatha, considerada uma das menores palmeiras do mundo. Entre jardins temáticos, lagos, canteiros floridos e bosques, vários caminhos sinuosos levam os visitantes a descobrir as muitas curiosidades do reino vegetal.

O circuito de visitação também é repleto de tecnologias de impacto ambiental positivo, tais como: captação e uso de água de chuva para regar as plantas, aproveitamento de resíduos de construção para cultivo de plantas rupícolas, compostagem e cobertura de canteiros com matéria orgânica vegetal triturada, edificações sustentáveis com arejamento e iluminação natural e uso de materiais de demolição e madeira certificada.

O projeto foi idealizado a partir de 1990, por iniciativa do engenheiro agrônomo e botânico brasileiro Harri Lorenzi. O pesquisador percorreu por mais de 30 anos, a maior parte dos ecossistemas da América do Sul, em expedições científicas destinadas ao conhecimento e à conservação das plantas ameaçadas de extinção. Como resultado de seu trabalho, Lorenzi publicou no Brasil dezenas de livros em estilo popular sobre identificação de plantas.

“Realizo expedições de prospecção botânica no Brasil desde 1970. Após todos esses anos vivenciando a destruição dos biomas, me senti motivado a apresentar ao público o acervo botânico vivo, fruto de minha pesquisa. Espero que o conhecimento e o trabalho desenvolvido por nossa equipe colaborem para reduzir a degradação ambiental e a perda irreparável das espécies vegetais”, diz Harri Lorenzi

Em 2007, com um grupo inicial de 16 associados foi fundado o Jardim Botânico Plantarum, que é uma associação sem fins lucrativos dedicada à educação, pesquisa e conservação da flora brasileira.

Hoje, com mais de 60 associados, a instituição é responsável pela conservação de dezenas de espécies de plantas ameaçadas, identificação de novas espécies vegetais, intercâmbio de material propagativo com outros jardins botânicos, publicações científicas e apoio técnico em projetos conservacionistas.

A partir de sua abertura ao público, a instituição inaugura também o Programa de Educação Ambiental, com o objetivo de sensibilizar as pessoas para a importância da conservação das plantas e o uso parcimonioso dos recursos ambientais. Nesse sentido foi elaborada uma exposição de plantas raras floríferas e insetívoras, aberta aos visitantes no Centro Cultural.

“Nosso projeto político pedagógico contempla a realização de várias oficinas e eventos durante o ano. Já iniciamos o agendamento para visitas escolares e trilhas interpretativas guiadas, destinadas aos grupos de interesse específico sobre os projetos desenvolvidos”, explica José André Verneck Monteiro, integrante do Grupo de Educação Ambiental JBP.

O Jardim Botânico Plantarum foi inaugurado no dia 11 de novembro. Na cerimônia, além da equipe e dos associados, compareceram o Deputado Estadual Cauê Macris, o Prefeito de Nova Odessa Manoel Samartin, Vereadores e convidados.

Mais informações no portal www.plantarum.org.br

Divulgação

 

 
 

Postado às 17h20

 
|