Patrocínio      
     
 
Talha-mar (Rynchops niger)
 
 
Pombas que voam em grupo ficam mais cansadas, diz estudo
Aves usam mais energia para acompanhar outras no mesmo grupo
 

19/06/2019 – Voar em formação “V”, como fazem gansos, irerês e outras espécies é uma técnica inteligente. Ao realizar esse posicionamento aerodinamicamente adequado ao voo, os grupos de aves economizam energia. Entretanto, os pombos parecem não compartilhar dessa técnica.

Um estudo publicado no Journal PLOS mostra que aves que não voam em formação, como os pombos, não apresentam benefícios individuais. Pesquisadores revelaram que após monitorarem as pombas, verificaram que elas acrescentam "um bater de asas por segundo" quando estão grupo.

Maxipixel/Reprodução

Um estudo publicado no Journal PLOS mostra que aves que não voam em formação, como os pombos, não apresentam benefícios individuais.



"Os resultados desse estudo foram completamente inesperados. A energia é a moeda da vida, então é surpreendente que as aves estejam preparadas para pagar um custo energético substancial para voarem juntas", disse Lucy Taylor, chefe da pesquisa, na divulgação dos resultados.

Outra evidência anotada pelos cientistas é que, embora as pombas façam mais movimentos quando juntas, não conseguem voar mais rápido. "O aumento na frequência de batida de asa é equivalente a Usain Bolt executando a corrida de 100 metros rasos em sua velocidade normal, enquanto encaixa quase uma passada extra por segundo", disse a pesquisadora, comparando o desempenho das aves com o campeão olímpico.

Maxipixel/Reprodução

Um estudo publicado no Journal PLOS mostra que aves que não voam em formação, como os pombos, não apresentam benefícios individuais.



Apesar do maior consumo de energia, os pesquisadores explicam que o aumento da frequência pode facilitar o voo em grupo, segundo o estudo, as reações são mais rápidas e dessa maneira podem ter mais controle sobre os movimentos, auxiliando a manter a cabeça estável, para rastrear os outros indivíduos do grupo.

Ainda que seja mais cansativo, como demonstrou o estudo, se movimentar em grupos tem vários benefícios para as pombas, pois melhoram a precisão do voo, economizando energia no fim do percurso, pois escolhem trechos mais curtos e evitam ou diminuem a ação de predadores.

PLOS/Reprodução

A equipe usou GPS de alta frequência e acelerômetros para medir como as pombas mudam a frequência do bater de asas ao voar em pares, em comparação com quando estão sozinhas.



Veja o estudo completo>

O Projeto Aves realiza diversas atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância da conservação das comunidades de avifauna. O Projeto Aves é patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, desde 2015.

Da Redação, com informações da Galileu
Fotos: PLOS/Maxipixel/Reprodução


 
 
 
Periquito-rico (Brotogeris tirica)
 
 
 

 

     
       
       
Patrocínio      
 
       
       
   
 
_Acompanhe as ações e atividades do Projeto Aves
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental  
 
Copyright 2015-2019. Projeto Aves. © Agência Ambiental Pick-upau. Todos os direitos reservados.