Talha-mar (Rynchops niger)
 
 
Aves podem apresentar evidências das mudanças climáticas
Estudo realizado na Austrália indica alteração de tamanho das aves em relação ao clima
 

08/04/2020 – Uma pesquisa realizada pela Universidade Nacional da Austrália (Australian National University, em inglês) traz um novo cenário para o entendimento de como as aves e os mamíferos estão respondendo ou se adaptando às mudanças climáticas.

Pesquisadores afirmam que as descobertas oferecem insights de como as pressões sobre populações selvagens resultarão em sua sobrevivência. A manutenção de futuras gerações dependerá de como elas serão capazes de responder as consequências dessas mudanças climáticas.

Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 



O estudo indica que além da mudança de local e um avanço no momento da criação para o acompanhamento das estações quentes, animais têm apresentado alterações no tamanho médio do corpo. Entretanto, apresar das previsões de que o tamanho do corpo diminuirá com o aumento da temperatura média, algumas espécies apresentaram aumento no tamanho, mas nenhum estudo ainda foi capaz de explicar as variações.

Uma equipe de pesquisadores liderados pela Dra. Janet Gardner mediu milhares de espécimes de museus, de 82 espécies de aves australianas para buscar uma mudança nos corpos ao longo de 50 anos. Os pesquisadores também verificaram como o clima mudou na região de cada espécie durante esse período.

"Os pássaros são realmente os 'canários da mina de carvão' quando falamos sobre o impacto que a mudança climática está causando nos animais", disse Gardner ao Phys.

Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 



"Como as aves podem ter apenas reservas limitadas de corpo devido às restrições de voo, elas podem ser mais vulneráveis às mudanças climáticas do que os mamíferos".

Para os cientistas as aves estão alterando o tamanho do corpo para acompanhar as mudanças climáticas, dependendo da localização geográfica e do clima a que são submetidas.

"Em climas muito quentes e secos, como desertos, as aves tendem a aumentar de tamanho. Acreditamos que isso ocorre porque as aves pequenas têm menos probabilidade de sobreviver às ondas de calor, que se tornaram mais frequentes nos últimos 50 anos", afirmou Gardner.

"Com um tamanho corporal maior, vem a capacidade de transportar mais reservas corporais, o que pode permitir que os indivíduos sobrevivam mais tempo quando expostos a ondas de calor e outros eventos extremos”.

"No entanto, aumentar tem seus próprios custos - aumenta demais e fica difícil vazar o calor de maneira eficaz. Há evidências de que populações de algumas espécies maiores de aves no deserto de Mojave, nos Estados Unidos, entraram em colapso em resposta ao aumento das temperaturas".

Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 



Segundo Gardner, durante o mesmo período, as aves em regiões temperadas, onde as temperaturas no inverno estão ficando mais quentes, ouve redução no tamanho do corpo. "Aves menores podem sobreviver a esses invernos mais amenos, onde não podiam há 50 anos", disse ela.

“Se os animais podem mudar rápido o suficiente para acompanhar o clima e aquecimento, rápido continua sendo uma questão em aberto e que requer atenção urgente”, disse Gardner.

"Há um limite para a quantidade que o tamanho do corpo pode mudar sem afetar a sobrevivência e a reprodução de uma espécie. É por isso que essas mudanças nas populações de aves são tão importantes para documentar", disse ela.

"As aves do deserto na Austrália que estudamos parecem particularmente vulneráveis. Nosso estudo indica que aves e mamíferos em climas quentes e secos ao redor do mundo provavelmente são vulneráveis".

O estudo foi publicado na Royal Society Open Science.

Projeto Aves realiza diversas atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância da conservação das comunidades de avifauna.

Da Redação, com informações da Australian National University e Phys
Fotos: Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 
 
 
Periquito-rico (Brotogeris tirica)
 
 
 

   
 
_Acompanhe as ações e atividades do Projeto Aves
     

 

     
             
             
  Patrocínio          
   
             
             
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental  
 
Copyright 2015-2020. Projeto Aves. © Agência Ambiental Pick-upau. Todos os direitos reservados.