Talha-mar (Rynchops niger)
 
 
Notícia
Ave mais velha conhecida no mundo tem novo filhote
A fêmea de albatroz chamada Wisdom surpreende novamente ao chocar um filhote aos 70 anos
 

15/03/2021 – Uma senhora ave, Wisdom, um albatroz-de-laysan selvagem anilhado com mais de 70 anos de idade, considerado o espécime mais velho do mundo, surpreendeu os cientistas mais uma vez. Wisdom postou um ovo no final do ano passado, em um pedaço de terra no Oceano Pacífico, que eclodiu no início do mês passado, revelou o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos.

Biólogos acreditam que Wisdom, identificada e anilhada no Atol de Midway em 1956, pode ter gerado entre 30 e 36 filhotes. A idade, aproximada, do albatroz já era um feito extraordinário, agora sua nova reprodução prova que Wisdom é de fato um individuo singular.

Wisdom registrou centenas de milhares, quiçá milhões de milhas, voando ao redor do norte do Oceano Pacífico nesses 70 anos, o que significa viver cerca de duas vezes mais que um indivíduo de sua espécie (Phoebastria immutabilis).

“Os albatrozes têm uma vida extremamente longa, mas o incomum sobre a Wisdom é que ela é muito mais velha do que as outras aves”, disse o professor Richard Phillips, ecologista de aves marinhas e chefe do grupo de predadores superiores e de conservação do British Antarctic Survey, ao NYT.


Reprodução/John Klavitter/U.S. Fish and Wildlife Service

 



Segundo Phillips, a ave mais velha que se aproxima de Wisdom é um albatroz-anelado, com 61 anos de idade. Apesar dos albatrozes poderem acasalar durante toda sua vida, a longevidade de Wisdom mostra que ela teve vários companheiros, afirma a Dra. Beth Flint, bióloga do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, em um post online.

O macho responsável pela paternidade é chamado de Akeakamai, companheiro de Wisdom desde 2012. Os pais compartilharão as atividades de alimentação do filhote, com uma dieta de ovos de peixe e lulas que são regurgitados no bico do filhots. No próximo verão o filhote já deve estar pronto para alçar voo pela primeira vez, afirma o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos.

O Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Atol Midway e o Memorial Nacional da Batalha de Midway, localizados no extremo norte das Ilhas Havaianas, servem de colônia para albatrozes e outros milhões de aves marinhas.

Wisdom e Akeakamai, como outros milhares de casais retornam à ilha de 2,5 milhas quadradas a cada inverno para acasalar e nidificar. Os albatrozes costumam postar apenas um ovo por ano, o que torna a espécie ainda mais vulnerável.

Segundo os pesquisadores, Wisdom gerou filhotes em quase todos os anos, nos últimos 15 anos. “Normalmente, você espera que os albatrozes envelheçam da mesma forma que os humanos e que sua frequência de reprodução e sucesso diminuam com o aumento da idade, então, novamente, Wisdom é incomum porque ela ainda parece estar se reproduzindo com bastante regularidade”, disse o professor Phillips.

Biólogos (as) do refúgio de vida selvagem do Atol de Midway estudando e fazendo o rastreamento de milhares de albatrozes por mais de 85 anos, afirmam que Wisdom retorna à ilha por décadas, já superando até o ornitólogo Chandler Robbins, que o anilhou pela primeira vez e que faleceu em 2017.

O retorno de Wisdom "não apenas inspira os amantes de pássaros em todos os lugares, mas nos ajuda a entender melhor como podemos proteger essas graciosas aves marinhas e o habitat de que precisam para sobreviver no futuro", afirma Flint.

Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação, com informações do New York Times e agências internacionais
Fotos: Reprodução/John Klavitter/U.S. Fish and Wildlife Service

 
 
 
Periquito-rico (Brotogeris tirica)
 
 
 

   
 
_Acompanhe as ações e atividades do Projeto Aves
     

 

     
             
             
  Patrocínio          
   
             
             
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental  
 
Copyright 2015-2021. Projeto Aves. © Agência Ambiental Pick-upau. Todos os direitos reservados.